Quer superar expectativas e resultados neste ano? Confira essas dicas de desenvolvimento de equipes

Quer superar expectativas e resultados neste ano? Confira essas dicas de desenvolvimento de equipes

É sempre assim: chega o começo do ano e quase todo mundo resolve tirar os planos da gaveta. São várias as resoluções tomadas neste momento. Mas também existe quem, em vez de reformular totalmente a própria vida, queira aperfeiçoá-la. E mais: há quem queira expandir essa evolução para as pessoas com quem trabalha, de modo a que todo o time se aprimore. Se este é o seu caso, confira as dicas de desenvolvimento de equipes que trazemos abaixo.

Comecemos pelo tema mais difícil: engajamento

Pois é, principalmente em épocas de crise. Por mais que a impressão geral seja a de que o pior ficou para trás, os tempos continuam desafiadores. E manter o time focado e engajado constitui um desafio ainda maior, porque, além de encarar os obstáculos do cenário atual, você, como líder, precisa entender as expectativas dos colaboradores.

Uma boa estratégia de desenvolvimento de equipes, assim, depende da conexão entre a qualidade de vida dos seus comandados com os aspectos mais intangíveis da sua organização — como cultura organizacional, local físico, sistemas de reconhecimento remunerados ou não, alinhamento com os valores e possibilidades de carreira.

Leia nossos artigos sobre esses assuntos:
>> Home office, jornadas flexíveis e política de benefícios: como algumas empresas têm melhorado a qualidade de vida no trabalho
>> Uma bússola para seus negócios: Como a cultura organizacional pode ser o norte para sua empresa
>> Como os dados podem te ajudar a fazer uma avaliação de desempenho mais precisa

Esses fatores devem ser tratados como prioridades estratégicas, conforme salienta Karin Parodi, CEO do Career Center, neste texto para a Harvard Business Review.

“Ligação afetiva”

Para a executiva, o engajamento mais sólido é o da ligação afetiva, de valores e de objetivos do negócio, entre o funcionário e a organização. Parodi lembra que engajar é promover a sustentabilidade dos resultados, e isso só se consegue em função do alto índice de energia, comprometimento, resiliência e entusiasmo de uma equipe. Por outro lado, “o grau de autonomia, a oportunidade de aprender e de ser reconhecido por meio de feedback construtivo levam o profissional a sentir-se realizado e, consequentemente, feliz”.

Agora, reflita sobre a sua equipe: você sente essa conexão, essa ligação entre os colaboradores e os objetivos do negócio? Caso esteja em dúvida, realize este teste sobre liderança e motivação; ele certamente trará uma luz. Agora, caso seja necessário aprimorar esse engajamento, as dicas abaixo devem ajudar:

Objetivos-chave à vista de todos

A gestão à vista é uma metodologia de engajamento que proporciona ter o controle da empresa ao alcance de toda a equipe. Constitui-se de gráficos, dados ou informações gerenciais que podem ser rápida e facilmente visualizados e interpretados por todos. E nos formatos mais diversos: desde um quadro na sala do cafezinho a TVs nos departamentos.

Um exemplo de gestão à vista para o desenvolvimento de equipes é o kanban. O sistema de origem japonesa que significa, literalmente, “registro” ou “placa visível”. Consiste em controlar as atividades que compõem os projetos utilizando-se cartões de sinalização. Isto garante uma verificação sempre atualizada do andamento de cada projeto, e possibilita ajustes sempre que necessário. Para conhecer mais sobre a ferramenta, leia este artigo sobre o que é kanban.

Organização e gamificação para engajar os colaboradores

Outra ferramenta que pode fazer a diferença no engajamento e no desenvolvimento de equipes é um organizador de tarefas. Afinal, um bom organizador elimina uma importante tarefa que nos ocupa: justamente a de organizar tarefas.

E quando um organizador contém um sistema de gamificação e monitoramento em tempo real, melhor ainda. Porque ele fornece a possibilidade de ficar a par do desempenho da equipe, mesmo a distância; e o time se envolve mais por conta do caráter lúdico e interativo.

Isto porque os games respondem a quatro desejos básicos que qualquer um de nós tem. Quando aplicados a um organizador de tarefas, são eles:

1) Autonomia: os colaboradores controlam seu próprio ritmo e visualizam seu progresso;
2) Excelência: a equipe evolui com o tempo e conforme a dificuldade das missões;
3) Objetivo: cada um tem uma meta clara a atingir e é por ela que continua jogando;
4) Interação social: cada colaborador pode comparar seu desempenho ao de outros colegas.

O Runrun.it é um sistema que contempla todos esses quesitos. Para saber mais, leia este artigo sobre organizador de tarefas.

Trabalhando o senso de ownership dos colaboradores

Será que seus colaboradores se sentem parte da empresa? Será que você consegue disseminar a “atitude de dono”, fazendo com que se sintam responsáveis pelos objetivos a serem atingidos?

Algumas práticas podem aprimorar isso. Como, por exemplo, ter um motivo de existência em que se possa crer: é preciso dar diariamente às pessoas motivos para renovarem seu interesse pelo o que estão realizando. De inúmeras formas, você e outras lideranças da empresa podem mostrar aos colaboradores por que eles são importantes.

Uma das principais é definir e comunicar a missão não só da empresa toda, mas de cada área. Mantenha sempre um canal de comunicação aberto com seus colaboradores, conversando com eles e, claro, sempre dando feedbacks. Para saber mais, leia este artigo sobre avaliação 360 graus.

Recompense de surpresa

É fato: prometer recompensas por um trabalho traz riscos. Porque, quando a expectativa é muito grande, raramente o resultado não é, pelo menos, um tanto decepcionante.

Neste artigo sobre gestão estratégica de pessoas aqui do blog, o empreendedor João Paulo Pacifico, fundador do grupo Gaia, conta a solução de gestão estratégica de pessoas que encontrou: “Em 2014, acabamos com os bônus e criamos os prêmios. Funciona como uma surpresa para quem achamos que merece. O prazer de bater as metas deve ser a própria sensação de vê-las atingidas e assim obter o reconhecimento. No longo prazo, quem bate mais metas tende a receber mais prêmios, pois são os que mais se destacam. Por ser inesperado, o prêmio gera uma sensação de felicidade muito maior do que o bônus”.

Uma ferramenta para o desenvolvimento de equipes

Motivar pessoas que são tão diferentes é um tremendo desafio para qualquer líder. Mas, além das dicas acima, há ferramentas de gestão que auxiliam nesse processo. O Runrun.it, por exemplo, que foi criado com este objetivo.

Trata-se de uma ferramenta de gestão de equipes adotada por milhares de empresas de todo o planeta. Com ele, colaboradores têm todas as suas tarefas reunidas e priorizadas, podem compartilhar conhecimento e trabalho com mais agilidade e organização do que o e-mail permite. Já os gestores conseguem ter uma visão completa e em tempo real do andamento dos projetos e seus custos. Teste grátis agora mesmo: http://runrun.it

Gif_Signup-1-1-3

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>