Gestão do tempo: 7 táticas polêmicas que costumam funcionar

Gestão do tempo: 7 táticas polêmicas que costumam funcionar

Para fazer o impossível, talvez você precise ignorar o que todo mundo diz. Se o impossível para você é ser uma pessoa produtiva, e você não acredita mais nas dicas que lê porque nenhuma funciona, então é hora de apelar para o que poucos tiveram coragem de tentar. Confira sete táticas que mergulham fundo no espírito humano e analisam com honestidade os seus problemas de gestão do tempo. E já adianto: você vai conseguir checar suas redes sociais, e mesmo assim, sair no horário e não levar tarefa para casa no fim de semana.

Tática #1 Desista da motivação

E não sou eu quem está dizendo, mas Shoma Morita, psiquiatra japonês influenciado pelo Zen Budismo. O que ele diz faz todo sentido: “Desde quando você precisa primeiro superar o medo para depois pular de um trampolim, ou melhorar a sua autoconfiança para só então convidar alguém para sair? Se nós fôssemos depender desse processo sempre, muitos de nós ainda estariam esperando”.

Em vez de tentar se empolgar, abrace o seu medo, sua negatividade e ansiedade de fazer a próxima tarefa. Se preciso, assuma “Eu não estou a fim de trabalhar”, e em seguida, comece. Uma simples frase, um cálculo, um e-mail enviado, uma ligação feita, mesmo que insatisfatória, já é o bastante para te desbloquear e te colocar de volta no jogo, no gás.

Tática #2 Procrastine

Por muito tempo, a regra de ouro da produtividade foi: comece o seu dia pela tarefa mais importante. Mas se você tem percebido que isso não funciona porque só te deixa mais tenso(a) e bloqueia seu raciocínio, adie essa tarefa. É isso mesmo que você leu: adie, mas com responsabilidade e método. Basta começar por outra mais simples e o seu cérebro entenderá que aquela tarefa superimportante é mais tranquila do que você imaginava, porque não é mais a primeira da fila.

Quanto mais tarefas prontas você tiver, mais confiante e produtivo(a) se tornará! E o professor de Stanford, John Perry, acrescenta: “Quando as tarefas estão estruturadas dessa forma, o procrastinador passa a ser um cidadão útil e um ser humano eficiente”.

Tática #3 Trabalhe menos

Pode ser difícil de acreditar à primeira vista, mas trabalhar mais não costuma ser a solução. E, de modo algum, significa ser mais produtivo – embora muitos se gabem de ter ficado até altas horas no escritório. Não vem ao caso por que elas passam tanto tempo no trabalho, mas sim o que você pode fazer para não cair nessa rotina estressante. “Ao decidir que você passará a trabalhar menos horas, você terá de pensar melhor em que tarefas precisa investir seu tempo”, diz a professora da Harvard Business School, Leslie Perlow.

Uma dica é pensar em tudo que você pode curtir se sair mais cedo do trabalho. Um cineminha, ginástica, um mergulho, um barzinho com os amigos, um jantar a dois… Tudo isso que há tempos você combina, promete e sempre desiste porque o trabalho aperta. A próxima tática deve te ajudar a se libertar o quanto antes.

Tática #4 Diga menos “Sim”

Essa é uma das maneiras mais poderosas de recuperar o controle sobre a sua rotina. O problema não é com você. Você diz “sim” porque é muito mais fácil do que dizer “não”. Tanto porque você não quer chatear ou decepcionar aquela pessoa quanto porque não é nada fácil resistir a uma tentação. Para mudar isso, há duas táticas que nós recomendamos:
A) Entenda que tipo de coisas você não faz, por exemplo: “Eu não checo meu e-mail antes do almoço”, “Eu não interrompo uma tarefa para começar outra” e “Eu não me deito depois das 11”. Tenha rigor: em vez de “Não posso”, diga “Não faço”. Não é porque você é intransigente, mas porque você precisa de algumas regras para encontrar seu estilo de trabalho.
B) Comprometa-se com suas escolhas. Escreva-as num post-it para ficar sempre visível, ou ainda, deixe seus amigos e colegas de trabalho saberem. Assim, maiores serão suas chances de não cair na tentação e fazer uma gestão do tempo exemplar.

Tática #5 Aceite a rejeição

Ser rejeitado pode nos tornar mais criativos, mais fortes, em suma, mais competentes. Duvida? Em um estudo da Universidade John Hopkins, a professora Sharon Kim reuniu dois grupos para executar um exercício e os informou que eles poderiam (ou não) ser considerados para futuros exercícios novamente. Quando os dois grupos retornaram duas semanas depois, ela recomendou ao primeiro completar algumas tarefas antes de entrar na etapa seguinte (inclusão) enquanto, ao segundo, pediu que completasse algumas tarefas, mas que ninguém ali participaria da próxima etapa (rejeição).

Pois foi justamente o segundo grupo o de melhor desempenho na tarefa. A conclusão de Sharon é que “a rejeição social pode inspirar a imaginação, especialmente em pessoas com um alto senso de independência”.

Tática #6 Realize uma tarefa impossível

Pode parecer radical, mas é uma tática polêmica que pode funcionar muito bem. Atribua a você mesmo(a) uma tarefa absolutamente impossível de realizar. E a cada vez que você pensar “Vai dar errado” ou “Estou fazendo errado” continue. O racional disso, de acordo com o psicólogo e pesquisador Robert Epstein, é que você põe o seu cérebro em choque. É como ir à academia e levantar um peso extremamente pesado, e falhar depois de algumas repetições. Seu cérebro é semelhante a um músculo: ele se expande e é ativado. Qualquer outra tarefa “normal” depois disso parecerá incrivelmente fácil e fará com que você vá muito além do que antes.

Tática #7 Guarde suas metas para você

E aí? Encontrou uma tática que funciona para você? Agora falta descobrir o que pode tornar a sua equipe toda mais produtiva. Quer dizer, não falta mais. Para isso existe o Runrun.it, a ferramenta de gestão de tarefas que está ganhando o mundo por aumentar em 25% a produtividade das equipes. Comece agora. http://runrun.it

Você sabia que a mensuração do tempo que a sua equipe investe nos projetos pode ser feita online?
Veja como não é complicado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>