Como a sua agência está gerando valor para os clientes?

Como a sua agência está gerando valor para os clientes?

*Guest post produzido pela equipe da Rock Content

Seja por oferecer soluções de conteúdo, criar presenças fortes nas redes sociais ou otimizar as conversões nos canais digitais, é fundamental ter um processo escalável e repetível de operações.

Muitas agências digitais confundem a necessidade de personalizar a estratégia dos clientes com uma falta de processo interno para entregar valor. Isso é um grande erro.

A criação de um modelo de projeto de marketing é uma das formas mais práticas e confiáveis de adotar uma metodologia interna e ajudar os clientes a ter sucesso com o marketing digital.

Se você está acostumado a construir estratégias do zero para cada cliente, sabe o que fazer para ajudar quem te contrata, mas talvez não saiba traduzir isso em um modelo para aplicar em todos os casos, vamos te ajudar com isso.

Entenda por que criar um modelo de projeto de marketing e como fazer isso sem demora!

Entenda o que é um plano de marketing

Basicamente, o plano de marketing é o projeto completo que leva uma empresa a conquistar resultados nos canais digitais.

Esse projeto vai desde a definição de objetivos e identificação de necessidades do público até a implementação das táticas e mensuração de resultados.

Na prática, é o plano de ação completo, com atitudes a tomar, prazos, canais que serão usados, profissionais necessários e uma série de outras informações relevantes.

Por isso é tão importante criar, junto com os clientes, esse plano de marketing. Você dará a eles maior segurança com relação à parceria e uma forma melhor de acompanhar o progresso da estratégia.

Por que montar um modelo de projeto de marketing para a sua agência

Criar o plano de marketing é uma coisa, mas por que criar um modelo de projeto já que a estratégia terá de ser personalizada para cada um?

É preciso separar os casos: a personalização não é prejudicada pela existência de um modelo predefinido. Pelo contrário, há vários motivos pelos quais o modelo ajuda nos resultados. Veja 5 deles:

1. Comprovação da metodologia

O primeiro motivo é que, por usar o mesmo “esqueleto” para todos os projetos de marketing dos seus clientes, será mais fácil encontrar padrões do que funciona para todos os tipos de necessidade.

Por mais que a personalização seja importante, algumas iniciativas são como que universais no marketing digital, como a criação de personas, definição de objetivos, canais e assim por diante.

Com um modelo de plano que leva tudo isso em consideração, fica mais fácil comprovar para o cliente por que determinado curso de ação é o mais indicado para ele.

Também é mais fácil apontar cases de sucesso anteriores e tirar qualquer dúvida durante a execução da estratégia.

2. Agilidade de implementação

A maioria das ações de marketing digital leva algum tempo para dar resultados, mesmo que o trabalho seja muito bem executado. Então, quanto antes começar, melhor.

Se a sua agência gastar tempo demais definindo os detalhes de cada projeto dos clientes, a agilidade tão necessária será prejudicada e os resultados levarão ainda mais tempo para aparecer.

Criar um modelo de plano de marketing vai acelerar esse processo essencial e fazer com que todos comecem a trabalhar nos objetivos de marketing — sem perder a eficiência — o mais rápido possível.

3. Entrega de valor

Como a metodologia será testada e refinada constantemente até que seus resultados sejam comprovados, é claro que a entrega de valor para os clientes também será garantida.

Afinal, de nada importa prestar o melhor atendimento, ter a melhor estrutura e os profissionais mais experientes se tudo isso não se traduzir em resultados concretos para os clientes.

Algo tão simples quanto um modelo predefinido de plano de marketing aumenta bastante as chances de executar estratégias de sucesso sem surpresas negativas.

Aliás, mesmo que o cliente tenha dificuldade em colaborar com o que foi combinado, será mais fácil identificar em qual das etapas do método ele está com problemas e resolver a questão sem demora.

4. Facilidade de venda

“O que você vai fazer por mim?” é a pergunta que todo cliente faz — de forma direta ou não — antes de contratar uma agência.

A maneira com que você vai respondê-la faz toda a diferença entre iniciar relacionamentos duradouros e lucrativos ou correr de proposta em proposta.

Uma agência que já tem um modelo de plano pronto, como uma metodologia de trabalho, consegue transmitir todo o valor e a qualidade dos serviços com clareza e precisão.

Por outro lado, caso não tenha esse plano de ação estabelecido, corre o risco de responder “depende” para cada dúvida específica do cliente e perder o negócio.

5. Organização e produtividade

Por fim, a organização e a produtividade da sua equipe aumentam com o uso de um modelo único para todos os planos de marketing.

Na questão da organização, todos sempre saberão o que fazer e quais serão os próximos passos depois de terminar cada atividade.

O mesmo vale para os clientes, que poderão acompanhar de perto o que é feito e ter uma noção real do que sua agência faz e como realiza cada etapa do planejamento.

Já com respeito à produtividade, é bastante óbvio. O tempo economizado na elaboração do plano de marketing para cada cliente pode ser usado para iniciar as ações mais cedo e trazer resultados em menos tempo.

Como montar um modelo para o plano de marketing

Seguir a estratégia certa ao montar um modelo para o seu plano de marketing é o que diferencia as agências de resultados e as que só conseguem entregar valor na teoria.

A falha em criar um modelo de sucesso significa falhar também em levar os clientes aos resultados desejados.

Veja tudo o que você precisa fazer para criar o modelo perfeito de marketing e ajudar seus clientes a conseguir o melhor retorno possível para seus investimentos:

1. Diagnóstico das necessidades do cliente

A primeira etapa do modelo deve ser criar uma espécie de entrevista para levantar as necessidades do cliente e descobrir o quanto ele já conhece sobre pontos importantes, como o comportamento do seu público-alvo, concorrentes, etc.

É a partir desse diagnóstico que você saberá o melhor curso de ação para a estratégia. Só não precisa se prender demais na hora da entrevista.

A ideia é que seja uma conversa franca e aberta, na qual os profissionais da agência apenas conduzam os clientes a falar sobre as informações mais relevantes.

2. Definição de objetivos

Sua agência vai trabalhar com clientes que têm apenas um objetivo principal em mente ou que queiram conquistar vários alvos.

Para não se perder nem gastar tempo negociando esse ponto, crie modelos de escopo para diferentes objetivos, com base no que já viu dos clientes até agora.

Por exemplo, um escopo de projeto para geração de tráfego (com prazo, investimento, número de pessoas envolvidas, etc.), um para geração de leads, outro para otimização de conversões e assim para cada serviço que oferece.

3. Escolha de serviços

Depois de entender as necessidades do cliente e perceber quais são seus objetivos — bem como o escopo de projeto necessário para eles —, é hora de escolher os serviços de marketing que mais fazem sentido para cada caso.

Naturalmente, também dá para deixar preestabelecido qual serviço se encaixa melhor com determinado objetivo. Isso ajuda a ganhar um tempo valioso no planejamento.

4. Plano de ação das atividades

Com todos os pontos-chave da estratégia definidos, é hora de partir para o plano tático, ou seja, criar um cronograma das atividades.

Mais uma vez, a ideia é que você deixe essa “linha do tempo” pronta e apenas a apresente aos clientes de forma personalizada, de acordo com o que conversaram nos passos anteriores.

Lembre-se de que cada etapa da jornada de compra precisa de seu próprio plano de ação, com ações, prazos, canais e ferramentas que serão utilizadas.

5. Implementação individual

A etapa anterior é um resumo geral do que precisa ser feito em cada parte da jornada de compra. Já a implementação individual é um plano mais detalhado de como cada uma dessas fases será realizada.

Dessa forma, seu plano começa bem abrangente ao definir as necessidades do cliente e vai se afunilando até ficar bem específico, com o plano detalhado de como executar cada fase do projeto.

6. Modelo de análise e relatórios

Por último, crie um modelo de análise dos KPIs e uma maneira prática de oferecer relatórios de progresso. Isso pode ser feito por uma ferramenta inteligente e estratégica de gestão e automação do trabalho, como o Runrun.it, que oferece indicadores de desempenho em tempo real com um Dashboard customizável.

Desse modo, seu plano de projeto terá os seguintes pontos:

  • diagnóstico do que o cliente precisa;
  • definição de objetivos realistas;
  • escolha de serviços;
  • linha do tempo do projeto, com planos detalhados de cada etapa;
  • análise de resultados e relatórios de progresso a cada etapa.

 

Nunca houve tantas agências de marketing no mercado. A adoção de práticas consistentes, repetíveis e escaláveis, como a criação de um modelo para os planos de marketing, é uma das melhores maneiras de provar o valor que a sua agência tem a entregar para os seus clientes.

Sua agência já entendeu como é urgente implementar a transformação digital para continuar no mercado? Veja agora como esse fenômeno acontece para quem vive do mundo digital!

*Guest post produzido pela equipe da Rock Content


Gif_Signup-1-1-3

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>