Plano de carreira: 7 lições de vida para nunca esquecer

Plano de carreira: 7 lições de vida para nunca esquecer

A sua agenda está cheia de compromissos, mas vazia de propósitos – de algo que te mova. Até que, cansado(a) de viver no piloto automático, você decide mudar de postura. Só precisa saber por onde começar para se tornar alguém de quem você se orgulhe. Se você é protagonista desta história, saiba que há vários caminhos para sair dela, mas antes é preciso relembrar algumas verdades da vida que não mudam. Por isso, o escritor Travis Bradberry, especialista em inteligência emocional, criou esta lista e pede que você a mantenha por perto, para quando vir que as coisas não estão saindo como esperava. E no que diz respeito à sua vida profissional, estas são algumas dicas essenciais para você seguir seu plano de carreira com louvor:

1. Ser ocupado(a) não é ser produtivo(a)

O que você vê quando olha para as pessoas ao seu redor? Gente estressada, saindo de uma reunião para entrar em outra, correndo para lidar com todas as demandas e sem nenhuma ordem de prioridade? Pode acreditar: ninguém é produtivo de verdade assim. Produtividade é justamente ter mais tempo livre do que os outros, e poder fazer coisas que você jamais pôde, porque, em vez de movimento desvairado, você teve planejamento e foco. Você tem as mesmas 24h que todo mundo, mas depende da sua atitude torná-las sua estratégia de plano de carreira, ou seu futuro remorso.

2. Grandes conquistas costumam vir após grandes fracassos

Você não irá reconhecer o verdadeiro sucesso até que você aprenda a aceitar o verdadeiro fracasso. Como saber se você está no rumo certo se nunca tomou o rumo errado? Seus fracassos são seu caminho e sobre ele você prossegue para a glória. No momento em que você se sentir mais frustrado(a) e preso(a) à sua realidade, nada mais poderá te ofender. Por isso, pessoas com alta inteligência emocional riem de si mesmas e, por tudo o que passaram, elas também aprenderam bem o que significa “não”. E é dizendo “não” para tudo – inclusive elas mesmas – o que as impede de seguir em frente que elas conseguem tentar outra e mais outra vez.

3. O medo é sua maior fonte de arrependimento

Depois que passa, é provável que você lamente muito mais as chances que deixou passar do que os erros que cometeu tentando algo novo. Travis Bradberry conta que muitas vezes ouviu as pessoas dizerem que a pior coisa que poderia acontecer com elas era a morte. No entanto, não é a morte a pior coisa que pode acontecer com você – e não, também não é falar em público –, mas como disse o Nobel da Paz, Albert Schweitzer, “a pior tragédia humana é o que morre dentro do ser enquanto o ser ainda está vivo”.

4. Sua autoestima não pode depender dos outros

Se você está acostumado(a) a sentir orgulho de si mesmo só quando se compara aos outros, está perdendo sua capacidade de se sentir em paz. Travis acredita que, ao se sentir bem com algo que fez, não pode permitir que a opinião ou mesmo a conquista de alguém tirem isso de você. Ainda que seja impossível desvincular suas reações do que os outros pensam de você – afinal, procuramos por reconhecimento e pertencimento ao grupo –, você sempre tem a opção de desconfiar. “Se existe uma coisa que eu aprendi sobre autoestima”, Travis conclui, “é que você nunca está tão bem nem tão mal como dizem que você está”.

5. Ser bom/boa é estar rodeado de pessoas boas

Uma das coisas que mais dá prazer aos emocionalmente inteligentes é estar rodeado(a) de pessoas que as fazem querer ser melhores. Se você se sente assim também, ótimo sinal. E quanto às pessoas que te deixam para baixo? Por que elas continuam sendo parte da sua vida? Qualquer um que faz você se sentir inútil, ansioso, ou sem inspiração tende a fazer de você um deles. Por isso, cuidado e pense bem se esse possível altruísmo da sua parte está levando você e a outra pessoa a algum lugar.

6. Não espere um pedido de desculpas para perdoar

Viver vale muito mais a pena quando você esquece seus rancores e perdoa aqueles que jamais tiveram coragem – ou viram necessidade – de te pedir desculpas. Até porque, guardar ressentimento arruína sua felicidade e, conforme o escritor e político Malachy McCourt escreveu, é como tomar veneno e esperar que o outro morra. Quando você perdoa alguém, não quer dizer que você concorde com sua atitude, mas simplesmente deixou de ser sua eterna vítima.

7. O presente é o presente

Nenhuma culpa pode mudar seu passado e nenhuma ansiedade pode mudar seu futuro. O ser humano é capaz de ser feliz estando mentalmente em outro lugar, mas o regresso ao agora pode ser doloroso de uma forma que não compense essa viagem. “Preocupar-se é como pagar uma dívida que você não deve”. Palavras do grande escritor Mark Twain. Além disso, você é impelido(a) a errar de novo enquanto ignorar a mudança, continuar fazendo o que sempre fez e esperar um resultado diferente. Pense em como as coisas que estão indo bem na sua vida podem continuar mesmo que tudo ao redor mude. O presente é o presente: alguma coisa você sempre pode ganhar com ele.

Talvez agora você esteja mais próximo(a) de conseguir ou aperfeiçoar o seu plano de carreira. E se existe uma tecnologia que pode te ajudar com isso, é o Runrun.it, o software de gestão de tarefas, tempo e desempenho adotado em mais de 100 países do mundo. Com ele, as prioridades ficam mais claras, o fluxo de trabalho mais ágil e formalizado, e você consegue se focar no que importa. Teste grátis agora: http://runrun.it

 

Criando equipes altamente produtivas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>