Se não puder vencer, seja espetacular

Se não puder vencer, seja espetacular

Por Sílvio Celestino*

Quando a porta do elevador em que estávamos abriu, na cidade de Naples, na Flórida (EUA), um senhor entrou, trazendo embaixo do braço um livro. Minha esposa perguntou sobre a foto na capa: um piloto de corridas permeado pela frase: “Se não puder vencer, seja espetacular.” Somos brasileiros, dissemos, e o senhor se encheu de admiração. Falou imediatamente de Ayrton Senna, Emerson Fittipaldi e nossos outros campeões. E aquele, na capa, finalmente soubemos quem era: célebre piloto da década de 1960, que correu Indianápolis. Seu nome, Eddie Sachs.

“Se não puder vencer, seja espetacular”. Esta frase me fez pensar como somos instruídos a priorizar a vitória financeira sobre todas as demais formas de vencer. Pensar como não cogitamos outra tradução para “sucesso” que não seja “o fato de ter conseguido muito dinheiro”. E nem sempre para nosso próprio prazer, mas pela imagem que desejamos estampar na vida pública.

Um pensamento que talvez nunca tenhamos formulado: Se eu deixasse tudo hoje, sentiria o vazio ou alívio? Quanta coragem você tem para aceitar suas vocações? Seria ela a arte, o comércio, a informática, a ciência ou a culinária? Para aqueles que vivem em um setor econômico em colapso, pode ser o momento de observar e buscar no horizonte as paixões profissionais abandonadas. Nenhum caminho é fácil nesse sentido. Afinal, na maioria das vezes, deixamos o que nos fazia ou nos faria mais felizes para tentar o que nos traria dinheiro.

Dinheiro é importante. Não há como imaginar problema algum que se apequene quando se tem menos dinheiro. Por outro lado, se for posto como a prioridade de uma vida então teremos deixado de viver para nós mesmos. Você pode perfeitamente escolher por tempo indeterminado fazer algo que odeia. Mas que forma terrível de se viver. Temporariamente, suporta-se. Mas quantos anos serão precisos para notar que, para expandir, nos reduzimos?

A maior coragem, neste caso, está em descobrir aquilo que, apesar de não nos tornar campeões, nos faz espetacular – mas não o espetáculo de outrem. É impossível saber se você terá na vitória uma amiga, mas, se investir pesado nas suas vocações, terá a chance de ser espetacular naquilo – e viver daquilo, inclusive. Viva para pensar livremente e você entenderá que o sentimento de realização está em tornar-se tudo o que se pode tornar, e não apenas em sobreviver.

* Autor do livro Conversa de Elevador – Uma Fórmula de Sucesso para sua Carreira, Sílvio Celestino é sócio-fundador da Alliance Coaching. No Twitter: @silviocelestino. Visite: http://www.alliancecoaching.com.br e http://www.facebook.com/AllianceCoachingBrasil.

Sílvio Celestino

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>