3 perguntas para não patinar na carreira

3 perguntas para não patinar na carreira

Por Sílvio Celestino*

Conheci pessoalmente Marshall Goldsmith, um dos mais importantes coaches executivos da atualidade. Decepcionado, ele mencionou que alguns jovens nos Estados Unidos já dedicaram mais de 20 mil horas a videogames – tempo suficiente para, segundo ele, concluir-se um doutorado. O ponto é que as pessoas passam um tempo precioso soterradas numa avalanche de informações irrelevantes para a maior parte dos seus objetivos de vida. O resultado, você pode conhecer, é aquela sensação constante de que não temos tempo suficiente para o que mais queremos e que sempre poderíamos ter feito mais. Para superar esse conflito interno, proponho que você responda a estas três perguntas:

1ª pergunta

Com quais pessoas você gostaria de conviver? Algumas vão favorecer a vida que você deseja, enquanto outras vão te afastar dela. Dê preferência às primeiras e não aceite tão fácil gastar seu tempo com o que você nota que não está te acrescentando ou, pior, está sorvendo sua energia.

2ª pergunta

Quais ambientes você gostaria de frequentar? Há lugares que contribuem para o seu amadurecimento e outros que inibem você de ser quem é. Fuja dos últimos e não creia que você deve fingir sorrisos e elogios para ser aceito(a). Quando você está num lugar que lhe faz bem, você sabe e sente isso.

3ª pergunta

A quais temas quer se dedicar? Certos assuntos são importantes para você se desenvolver, já outros são irrelevantes. Quanto mais você ignorar aquilo que não lhe traz valor, mais cedo será quem planejou ser, mais cedo terá a vida que escolheu ter. Repito: você escolheu.

Quem, de verdade, você quer ser para o mundo depende muito do seu interesse e da sua atitude. Por isso, não tenha receio de conhecer e de manter contato com pessoas, entidades e empresas que são relevantes para o seu desenvolvimento. Use seu tempo para bater papo e conviver com gente inspiradora, que lhe ensine e que também está aberta para aprender com você. Disse Shakespeare: “Desperdicei tempo e agora o tempo me desperdiça”. Lembre-se dele quando o que você estiver fazendo estiver mais para um videogame do que para um doutorado.

silvio_celestino_blog

*Sílvio Celestino é colunista do Blog do Runrun.it, autor do livro Conversa de Elevador – Uma Fórmula de Sucesso para sua Carreira e sócio-fundador da Alliance Coaching. @silviocelestino.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>