Por que os mentirosos prosperam nas empresas?

Por que os mentirosos prosperam nas empresas?

Por Sílvio Celestino*

O ser humano não nasce com o conhecimento necessário à sua sobrevivência. Precisa adquirir, ao longo do tempo, um código de valores que viabilizem a vida que deseja. Valor é tudo aquilo que a pessoa deseja ganhar ou preservar. E, para obtê-lo, precisa de ações, que são suas virtudes. E que devem ser incentivadas, não punidas.

Eu aplicava coaching a um executivo de uma empresa do interior quando ele me contou sobre sua trajetória no setor público antes de ir para a siderurgia. Dizia que, como jovem arquiteto, ingressou no setor responsável por liberar obras na cidade.

No entanto, como sua produtividade era muito maior que a de seus pares, começou a receber elogios de seu chefe e reprimendas dos colegas de trabalho. Pois, se ele produzia muito mais que eles, isso seria exigido de todos, e ninguém queria trabalhar mais. Com o tempo, a pressão por sua saída ficou insuportável, e ele decidiu mudar de área.

É um exemplo de punição da virtude. Se alguém deseja ser produtivo, para atender mais pessoas que esperam o resultado de seu trabalho, punir a produtividade é punir sua virtude. Se empresas desejam inspirar confiança, puni-las por proteger o sigilo das mensagens de seus clientes é punir sua virtude.

Se alguém deseja poupar para investir ou ter uma vida digna no futuro, gerar inflação ou impor taxa de juros negativa é punir sua virtude. Por que estamos punindo a virtude? Não seria mais sensato incentivar as pessoas a serem mais produtivas?

Não seria mais coerente contribuir para que elas desenvolvam suas vocações? E ensiná-las a tratar seu tempo com respeito e seu dinheiro com cautela? Só assim evitaremos o risco de perpetuar um mundo de hipocrisia, um mundo que desprezamos.

silvio_celestino_blog

*Sílvio Celestino é colunista do Blog do Runrun.it, autor do livro Conversa de Elevador – Uma Fórmula de Sucesso para sua Carreira e sócio-fundador da Alliance Coaching. @silviocelestino.

 

gestão estratégica de pessoas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>