Crie um ambiente colaborativo e monte o seu Dream Team

Crie um ambiente colaborativo e monte o seu Dream Team

Mesmo quem não é entusiasta de basquete já ouviu falar de uma seleção dos EUA batizada de “Dream Team”. Simplesmente os maiores atletas da NBA reunidos em um time que foi campeão invicto nas Olimpíadas de Barcelona de 92. Além de não perder nenhum jogo, todas as vitórias foram conquistadas com no mínimo 32 pontos de diferença. Montar um Dream Team é o sonho de todo empreendedor. Mas para atrair, reter e aproveitar de fato os melhores profissionais, você precisa criar o melhor ambiente colaborativo possível.

Todos responsáveis pelo sucesso do time

Uma atmosfera corporativa em que todos trabalhem juntos com um mesmo objetivo é uma utopia. Apesar de ter metas em comum, cada indivíduo também está em busca de suas próprias realizações. É o seu trabalho como empreendedor ou gestor de uma área fazer com que todos se sintam motivados e colaborem com o sucesso do time. Um desafio constante que envolve empatia e sinergia.

A maioria esmagadora das equipes não pode contar com atletas como Michel Jordan e Charles Barkley sempre na quadra. Mas, com o trabalho bem feito de criar um ambiente colaborativo, o time vai acumular muitas vitórias.

Criar esse ambiente envolve seleção rigorosa, com um olhar especial para saber destacar o melhor de cada um dos seus “jogadores” e, por fim, propiciar um convívio que seja benéfico para que o time todo passe a bola e marque pontos.

>> Leitura recomendada: Alta rotatividade de pessoal e produtividade são inimigas. Descubra como reduzir o turnover

A criatividade vem de cima

Não, não estamos falando de um ato divino. A criatividade vem de cima da corporação. Uma liderança criativa estimula criatividade de todos da equipe. Este artigo da Harvard Business Review dá ótimos insights de como estimular a colaboração e a criatividade. Desde ler revistas que você nunca leria, pegar feedback de diferentes áreas e meditar.

>> Leitura recomendada: Desvendando os mistérios da criatividade e inovação nas empresas

Crie a cultura

Um líder deve inspirar a equipe. Seja cordial, respeite as diferenças, ouça, valorize o trabalho dos outros. O que você fizer tem grande chance de ser repetido instintivamente pelos membros da equipe simplesmente por você dar exemplo. Você é um líder democrático? Confira aqui 5 histórias de líderes democráticos que deixaram seu legado para a equipe.

Diversifique formas de comunicação

Quem é extrovertido adora exibir uma ideia na reunião geral. Mas e o profissional tímido? Utilizar diversos canais para que haja colaboração é fundamental. Portanto, faça sim reuniões gerais periódicas para debates, mas vá além. Disponibilize um chat (um canal no Slack, por exemplo), crie interações, deixe as portas abertas (literalmente).

>> Leitura recomendada: Saem os ruídos, entra a organização: veja como desenvolver uma comunicação eficaz

Estimule a colaboração

Michel Jordan ficou imortalizado pelas enterradas nas partidas de basquete. Mas analisando as estatísticas do Dream Team, ele foi um dos atletas que mais deu assistências. Isso é colaboração.

Outra iniciativa que estimula um ambiente colaborativo é a imersão de profissionais em departamentos diferentes dos que trabalham diariamente. Isso atrai um olhar diferente para atividades específicas e cria terreno fértil para interação espontânea e melhorias. Essa imersão um pouco mais aprofundada pode ser feita através da rotação entre os cargos para que todos aprendem novas funções e se coloquem no lugar dos outros. Temos um artigo aqui no blog explicando mais sobre job rotation, que cai como uma luva para quem quer transformação com colaboração.

Explore novas formas de reconhecimento

O retorno financeiro é apenas uma das formas de dizer para um profissional “Muito bem, gosto do seu trabalho. Continue assim”. Explore maneiras práticas, diretas e às vezes até simples de reforçar atitudes colaborativas das pessoas no ambiente de trabalho. Um ótimo começo é dar crédito às ideias. Isso é mais do que identificar quem teve qual insight brilhante, mas valorizar a coragem de cada um contribuir com uma ideia na reunião.

Além de contribuições pontuais para a dinâmica do trabalho, valorize a rotina. Comente um trabalho bem feito com a pessoa que o fez e com os outros. Quando você deixa claro para as pessoas que o que elas fazem de positivo está sendo observado, o líder deixa de ser um bedel da escola e passa a ser um ímã de talentos.

Fuja do “funcionário do mês” e crie alternativas para que os profissionais sejam reconhecidos pela equipe. Por exemplo, quando alguém aprimorar um processo da empresa, use a pessoa como exemplo e peça que ela faça uma pequena apresentação sobre o processo para que essa melhoria possa ser replicada no dia a dia dos colegas. Identifique essas oportunidades, como uma técnica particular de venda, um caso de sucesso, um exemplo. Assim, você valoriza a pessoa estimulando a colaboração.

>> Leitura recomendada: Equipe motivada, caixa em ordem: descubra as vantagens da remuneração variável

Coloque limites no lugar de barreiras

A criatividade adora limites. É a estrutura de soneto para um poeta, é a paleta limitada de cores de um pintor ou é o aro pequeno do basquete para um atleta. Na empresa, o limite é o desafio, a meta a ser batida, a tarefa a ser cumprida, o tempo que um trabalho precisa ser concluído. Barreiras já são outra história.

O medo da demissão e a censura a ideias de pessoas de cargos inferiores são duas barreiras clássicas que travam o processo criativo. E é papel do empreendedor separar os limites das barreiras.

Extrapole os limites da empresa

Com um ambiente colaborativo na empresa, você tem tudo para estender esse clima produtivo aos fornecedores, clientes e parceiros. É uma maneira natural e contínua de reconhecer

Então, quando a colaboração é contagiante, todos se ajudam. O desenvolvedor de um app pode identificar uma melhoria não com uma reclamação, mas com uma sugestão. E e por aí vai.

>> Leitura recomendada: Como antecipar mudanças e revolucionar a sua empresa com o intraempreendedorismo

A grande lição da Metodologia Ágil para um ambiente colaborativo

Em 2001, programadores nos EUA mudaram a forma de desenvolver projetos. Em vez do tradicional modelo cascata, em que cada uma etapa só é iniciada após a etapa anterior ser concluída, a ideia foi entregar rápido uma versão e permitir que outros desenvolvedores trabalhassem no software simultaneamente. No lugar de uma grande demora para a entrega final, uma entrega parcial e a evolução contínua baseada na colaboração das equipes.

Os 4 valores principais da Metodologia Ágil se encaixam perfeitamente na criação de um ambiente colaborativo.

  • Indivíduos e interações mais do que processos e ferramentas
  • Software funcional mais que documentação abrangente
  • Colaboração do cliente mais que negociação de contratos
  • Responder a mudanças mais que seguir um plano

 

Colaboração começa com integração

Ferramentas de gerenciamento são grandes aliadas na criação deste tão desejado ambiente colaborativo. Com Runrun.it fica fácil manter todos informados sobre os progressos de um projeto.

Além do controle dos processos, você cria canais práticos de comunicação sem burocracia. Mais gente interagindo e contribuindo um com o trabalho do outro, sem bagunça ou dispersão de informação. Que tal fazer um teste grátis: http://runrun.it

Gif_Signup-1-1-3

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>