Deixe o celular no silencioso: é hora de descobrir como ter foco e priorizar o que realmente importa

Deixe o celular no silencioso: é hora de descobrir como ter foco e priorizar o que realmente importa

O foco (ou a falta de) é, definitivamente, um dos males do século XXI. Seja pelo fato de que estamos todos cada vez mais conectados ou seja porque o nosso cotidiano é repleto de atividades, há tantas coisas demandando a nossa atenção, que corremos sempre o risco de deixar para depois aquilo que deveria ser prioritário. Este artigo, por exemplo: não são poucos aqueles que não conseguirão lê-lo até o fim. O que é uma pena, porque é justamente para eles que foi escrito. Afinal, aqui tem dicas preciosas de como ter foco e priorizar o que realmente importa.

Então, se você está entre eles, nós te convidamos a fazer um esforcinho. Feche a porta, desative as notificações de aplicações de mensagem instantânea, deixe o resto da agenda do dia para daqui a pouco. É só por alguns poucos minutos, prometemos. Porque o assunto é da mais alta importância.

Como ter foco: pode ser difícil, mas não impossível

O assunto é de suma importância aqui no blog. Está no nosso DNA, porque o próprio Runrun.it foi criado para, entre outras atribuições, ajudar gestores a manter o foco no trabalho. E neste artigo sobre foco no trabalho compartilhamos um pouco dessa filosofia.

Agora, se você continua achando dificílimo ficar concentrado ou atento a algo por um período um pouco mais extenso, não se assuste. Neste artigo da Harvard Business Review, o psicólogo norte-americano Michael Lipson conta que o ato de se concentrar, para muita gente, é uma verdadeira bagunça. Mas, para o autor de Stairway of Surprise: Six Steps to a Creative Life, é uma bagunça com estrutura.

Por isso, para entender como ter foco, você pode começar descobrindo o funcionamento dessa estrutura de dispersão. Procure perceber de que forma a sua atenção se esvai num primeiro momento. É aqui que você poderá intervir, restabelecendo o foco no trabalho, na vida pessoal ou onde quer que seja.

Os quatro passos da atenção e da distração

De acordo com Lipson, quando tentamos focar em algo, há quatro fases de atenção e distração que se sucedem:

1. Primeiro, escolhemos o objeto de nosso foco. Pode ser qualquer coisa, de qualquer área de nossas vidas. Mas vamos assumir que seja o foco no trabalho. Digamos que, no seu caso, você tenha que se manter atento em uma reunião importante.

2. Em algum momento (e isso é inevitável), seu foco vai se perder. Isso certamente não estava nos seus planos. Mas simplesmente acontece, uma hora ou outra.

3. Você, então, vai perceber que sua mente deslizou para longe daquilo a que ela devia se ater. Você vai constatar a dispersão, e o quão distante você está daquela reunião. Mais uma vez, não é algo que você consiga prever ou planejar.

4. Após esse “despertar”, você pode escolher retornar ao princípio – à reunião. Ou não; pode ser sua escolha se manter alheio a ela. É com você. Se você optar pelo retorno, todos esses processos tendem a se repetir: cedo ou tarde, sua mente vai perambular.

Então não tenho salvação?!

Calma! Sem pânico, claro que tem. De acordo com Michael Lipson, o fato de você tomar consciência desses quatro passos já vai te ajudar muito a não perder o foco. Quer ver como?

Note que as etapas 1 e 4 envolvem escolhas conscientes. Os passos 2 e 3 são inconscientes, simplesmente acontecem. A força inconsciente que atua no segundo parece a pior inimiga do projeto de manter o foco.

E aquela do terceiro passo, quando você percebe a distração, não é exatamente uma aliada, mas ao menos te dá liberdade. Ela revela que você se distanciou do seu foco, de modo que você decida se volta a ele ou não.

Tomar consciência do processo para modificá-lo

Aqui está o grande segredo da metodologia de Lipson: apenas por se dar conta desses estágios conforme ocorrem, você conseguirá mudar padrões.

No começo, você pode simplesmente perceber que esses quatro estágios ocorrem. Agora, conforme você presta atenção a essa ocorrência, você tenderá a manter o foco original por mais tempo antes que a distração se instale.

Você vai ver que, aos poucos, escapará menos do tema principal, e por períodos mais curtos, antes de “despertar”. E, quando esse despertar ocorrer, você vai optar por retomar o foco em vez de desistir e sair para tomar um café.

>> Leitura recomendada: Mantendo o foco! Do que eu estava falando, mesmo?

Metodologia de pilha: outra grande aliada do foco no trabalho

Criada por Franklin Valadares, CTO e co-fundador do Runrun.it, a metodologia de pilha pode oferecer uma ótima resposta para quem se pergunta sobre como ter foco no cotidiano profissional.

Porque a metodologia ataca justamente um problema muito frequente enfrentado por gestores: não conseguir enviar a mensagem correta do que é prioridade, do que é necessário fazer primeiro.

>> Leitura recomendada: Como manter o foco no trabalho: 10 estratégias

O principal objetivo da metodologia de pilha é encaixar diversas atividades ou projetos no dia a dia desses colaboradores, e indicar a prioridade. É facilitar a gestão do trabalho de forma estruturada, organizada, para que você consiga se dedicar ao que realmente importa.

Para conhecer tudo sobre a prática, leia este artigo: “Expectativas alinhadas, prioridades estabelecidas: conheça a metodologia de pilha e seus benefícios“.

Uma ferramenta para nunca perder o foco de vista

Como dissemos, o Runrun.it foi criado para que você jamais perca o foco no trabalho. Desenvolvida para tornar sua atuação muito mais fácil, a solução fornece indicadores de desempenho, relatórios gerenciais sofisticados como o Gantt, além de gráficos com a projeção de entrega dos projetos e relatórios automáticos de custos. Você verá como é simples e fácil manter o foco no que realmente importa: resultados sempre melhores. Experimente grátis: http://runrun.it

Gif_Signup-1-1-3

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>