Gestão de conflitos: dicas imperdíveis para mitigar comportamentos prejudiciais ao ambiente de trabalho

Gestão de conflitos: dicas imperdíveis para mitigar comportamentos prejudiciais ao ambiente de trabalho

Liderar é mesmo uma tarefa profundamente desafiadora. Além das demandas da própria operação e da constante pressão por resultados, o(a) gestor(a) deve cuidar para que o ambiente de trabalho seja saudável, positivo, favorável à obtenção desses resultados. E isso só é possível com um efetivo trabalho de gestão de conflitos. Porque é inevitável: onde há pessoas, há divergências e confrontos, e saber administrá-los é vital para qualquer organização, independentemente do tamanho que ela tenha.

O assunto já deu muito o que falar aqui no blog. Neste artigo sobre gerenciamento de conflitos, por exemplo, trazemos dicas para você manter a harmonia no seu time. E neste, abordamos o gerenciamento de conflitos em equipes de TI.

Agora, vamos nos deter naqueles comportamentos considerados prejudiciais. Sim, as grosserias, que, mesmo que involuntárias, podem envenenar o espírito coletivo e ameaçar o equilíbrio do ambiente de trabalho.

Os números confirmam: estamos cada vez mais rudes

Esta matéria da McKinsey traz dados reveladores sobre as atitudes prejudiciais no ambiente de trabalho. De acordo com o texto, a porcentagem de pessoas que foram tratadas de forma rude pelos colegas ao menos uma vez por mês (por exemplo, com insultos, interrupções abruptas etc) vem crescendo significativamente: era de 49% em 1998, passou para 55% em 2011 e, em 2016, chegou a 62%.

O impacto disso também é péssimo para o desempenho do time — e, em consequência, para os negócios. Dos colaboradores desrespeitados, 80% afirmam perder tempo no trabalho por pensar no conflito; 60% perderam tempo ao evitar quem os ofendeu; e impressionantes 48% diminuíram intencionalmente sua dedicação ao trabalho.

Medindo sua capacidade de realizar a gestão de conflitos

Pois é, os números são preocupantes. Já pensou em perder quase metade da capacidade produtiva de um(a) colaborador(a) super competente por conta de algo que ele(a) ouviu de um(a) colega?

É aí que deve entrar sua capacidade de realizar a gestão de conflitos. E, caso você não tenha certeza se é realmente capaz disso, as perguntas abaixo devem ajudar:

  • Em uma escala de 1 a 5, quão confortável você se sente para ter conversas “desagradáveis” ou “duras”?
  • Qual seria o seu método de abordar os funcionários que precisam dessas conversas? Email, telefone, cara a cara ou outro?
  • Para você, é difícil gerenciar emoções efetivamente enquanto fala sobre uma situação desafiadora ou que induza a medo?
  • Como você cria um ambiente de diálogo aberto com seu time, independentemente de circunstâncias difíceis?
  • Como você demonstra equilíbrio e autocontrole diante confrontos?
  • Quão confortável você se sente ao dar um feedback que pode ser percebido como negativo?

 
Se as suas respostas para as perguntas acima não foram muito animadoras, esta matéria da Forbes traz dicas sensacionais. Combinadas com outras recomendações aqui do blog, compõem um significativo arsenal para você criar um ambiente de trabalho menos propenso aos conflitos; e para que, caso eles ocorram, consiga administrá-los da melhor forma possível:

1. Identifique a possível oportunidade

Procure mudar a lente pela qual você visualiza o conflito. Ao adotar um ponto de vista positivo, você poderá descobrir que cada conflito constitui uma nova oportunidade para que as partes envolvidas aprendam e se desenvolvam.

2. Construa uma cultura organizacional que favoreça o feedback

Peça para que seu time dê feedbacks de forma constante e saudável. Assim, você começará a demonstrar força e vai encorajar a transparência por meio do seu exemplo.

O ato de permitir que verdades desconfortáveis venham à tona gradualmente cultiva um senso de camaradagem e compreensão dentro de qualquer organização. Por outro lado, a iniciativa certamente inibe o risco de conflitos no futuro.

E mais: a iniciativa de estimular diálogos honestos permite que seus colaboradores percebam que suas opiniões são valorizadas, também aumentando o nível de engajamento. Finalmente, quando os confrontos ocorrerem, seu time certamente estará mais propenso a receber a intervenção de sua parte.

3. Seja proativo(a), mas resista às conclusões premeditadas

Você pode prevenir que comportamentos problemáticos se intensifiquem ao tomar atitudes rápidas, claro. Mas evite, a todo custo, as conclusões apressadinhas antes de chegar a um entendimento profundo da questão.

Outra forma de mostrar proatividade é medir suas palavras para evitar se tornar, você mesmo(a), uma fonte de conflitos. Por exemplo, dizer “Quero que você venha ao meu escritório às 15h” tem um potencial muito mais nocivo do que “Podemos nos reunir para priorizar os riscos do seu projeto no meu escritório, às 15h?”

4. Jamais use o e-mail para realizar a gestão de conflitos

Se, respondendo àquela pergunta de cima, o email for a sua opção de meio de comunicação para a gestão de conflitos, já está na hora de mudar isso. Chegou o momento de se sentir confortável com conversas desconfortáveis.

Para isso, procure explorar a emoção causada pela perspectiva da conversa, utilize-a como bússola. Quanto mais emoção você sentir, mais provável será que se sinta confortável para uma abordagem presencial.

Mitigando os conflitos com uma ferramenta de gestão

Muitas vezes, a má comunicação corporativa pode resultar em sérios conflitos, causando comportamentos prejudiciais ao ambiente de trabalho. E para eliminar esses ruídos tão perigosos, formalizar a comunicação dentro da equipe é indispensável.

Ou seja, trocar ferramentas de comunicação informais, como WhatsApp, Facebook e outros aplicativos, por uma “oficial”, utilizada por todos, que garanta a segurança das informações e organize sua circulação dentro da empresa. O Runrun.it é uma dessas ferramentas, uma vez que estrutura a forma como você e seu time se comunicam.

No Runrun.it, toda tarefa pertence a um projeto e todo projeto pertence a um cliente. Você pode se comunicar com qualquer pessoa tanto dentro das tarefas, deixando comentários e anexos, quanto dentro dos times, usando o mural. Ou seja, saem as dúvidas e as informações nebulosas, mitigam-se as grosserias e reduzem-se os conflitos. Para conhecer a ferramenta, faça um teste grátis agora mesmo: http://runrun.it
 
Gif_Signup-1-1-3

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>