Matriz SWOT, ou FOFA, para os íntimos: a melhor forma para avaliar cenários e tomar decisões importantes

Matriz SWOT, ou FOFA, para os íntimos: a melhor forma para avaliar cenários e tomar decisões importantes

Imagine a seguinte situação: você está insatisfeito com a performance da sua equipe e cogita rever seus processos de trabalho – e até implementar uma nova estratégia. Em casos mais extremos, renovar a equipe. O mais provável é que você avalie os prós e os contras dessa iniciativa, verificando o que ela tem de bom e de ruim. Então, e só então, acabará por seguir adiante – ou não. Se você já viveu algo assim, provavelmente tem familiaridade com o assunto de que trataremos aqui, ainda que incidentalmente: a matriz SWOT.

Matriz what?

O termo é muito conhecido no meio corporativo, porque não há metodologia mais eficaz para analisar um cenário qualquer. Entre as empresas, a matriz SWOT é usada como base para a gestão e um planejamento estratégico bem feito. No entanto, pode ser aplicada a praticamente qualquer situação – da escolha de um lugar para jantar à decisão de se largar ou não um emprego.

Isto porque o SWOT da sigla se refere a:

_S, stregths, as forças;
_W, weakenesses, as fraquezas;
_O, opportunities, as oportunidades;
_T, threats, as ameaças.

No Brasil, a matriz SWOT é conhecida como matriz FOFA (F de forças, O de oportunidades, F de fraquezas e A de ameaças). Simpático, não? Agora, falando sério: se você precisa colocar mais gás em suas entregas e ainda não conhece a metodologia, está perdendo uma ferramenta de gestão fundamental.

Porque ela consiste em uma análise aprofundada e detalhada da situação de uma situação no cenário macro, e te ajuda tomar decisões. O principal objetivo é dar um diagnóstico estratégico que deve prever e prevenir condições negativas, além de firmar diretrizes que façam o empreendimento se diferenciar. Isto porque combina fatores externos (as forças e as fraquezas) aos externos (as oportunidades e as ameaças).

>> Leitura recomendada: O que temos a aprender sobre as crises de 1929 e 2008

Como montar uma matriz SWOT?

Primeiro, você precisa estabelecer qual problema ou demanda de gestão pretende resolver. Vamos continuar com o exemplo acima: suponha que você já tenha decidido mudar completamente sua equipe, ou até de estratégia.

O primeiro passo da matriz SWOT é definir os pontos fracos e fortes da nova estratégia. Ou seja, descobrir o que o seu modelo tem de força: novos profissionais, ar renovado, novas perspectivas de expor seus esforços dentro da empresa etc. É o momento de conhecer os recursos de que você dispõe, o que há de melhor em relação à estratégia anterior, e o que pode trazer melhores resultados. Em seguida, você deve entender quais são as fraquezas: essa gente leva tempo até entender a estratégia e a cultura da empresa, o onboarding demora a acontecer, você precisa de algum tempo até apresentar resultados, e por aí vai. Tudo aquilo que pode levar sua estratégia por água abaixo.

Após realizadas essas análises, chega o momento de verificar o ambiente externo. Ou seja, tudo aquilo que você não consegue controlar. Nesse quesito, são observadas as oportunidades – no seu caso, novos olhares para os processos já criados, gente nova traz experiências novas, além de tendências, expansão da equipe, chances de suas ideias conquistarem novas áreas. Ou seja, tudo o que pode gerar reconhecimento e valor ao seu trabalho e da nova equipe.

Mas as ameaças também devem aparecer no seu radar. Você deve atentar para todos os perigos que o cenário pode apresentar, como o concorrente antenado às suas mudanças, tendências não significam sucesso, queda na qualidade das entregas, mudança de KPIs… enfim, tudo o que puder afetar negativamente a receita ou a imagem da sua nova área.

Como fazer isso na prática?

Uma dica é listar todos os pontos levantados em um quadrante, separado nesses quatro aspectos. Depois, dê uma nota de prioridade para cada item, seguindo o critério de sua preferência, e classifique cada item da lista de cinco (excelente) a um (fraco). Multiplique a nota de prioridade pela classificação, e logo você obterá um valor x sobre aquele item final. Isso te dará uma visão ampliada sobre onde focar esforços.

>> Leitura recomendada: Baixe aqui um modelo de SWOT para aplicar na prática

analise-swot-matriz
Fonte: 5seleto.com.br

Mantendo a empresa preparada para os desafios

A matriz SWOT ganha ainda mais importância em tempos turbulentos como os atuais. Porque é quando o cenário externo fica mais agitado, com ameaças ganhando dimensão. Assim, você precisa avaliar com todo cuidado possível todos os passos que está prestes a dar, para que não se veja engolido por algum risco não previsto.

Com ela, você vai conseguir entender se a sua ideia inovadora não passa de uma bobagem mirabolante – antes de colocá-la em prática e sujar sua reputação profissional. Assim, ganhará confiança, segurança e força para lidar com os imprevistos e situações desafiadoras que certamente virão.

Realizou a SWOT? É hora de organizar a gestão

A matriz SWOT deve ser um dos primeiros passos de qualquer ideia – seja ela um novo empreendimento ou uma tentativa de guinada profissional. E depois da ideia ter ganhado tração, você vai precisar organizar os projetos relacionados a ela. Sem isso, aquelas oportunidades e forças que você identificou podem simplesmente não dar em nada.

O Runrun.it é uma ferramenta indicada para organizar todas as demandas do negócio e para que você saiba quando as tarefas e projetos serão entregues e quanto vão custar de fato. Faça o teste grátis desta ferramenta de gestão do trabalho: http://runrun.it

Gif_Signup-1-1-3

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>