Como o modelo mental dos líderes impacta no desempenho da empresa

Como o modelo mental dos líderes impacta no desempenho da empresa

O assunto deste artigo poderá soar um pouco místico, ou até mesmo charlatanesco. Pudera: quem nunca ouviu falar de modelo mental pode achar que se trata de uma espécie de telepatia, ou algo assim. Mas não: uma das formas mais utilizadas pelas pessoas para representar o mundo e interpretar os acontecimentos ao redor, o modelo mental é um mecanismo do pensamento que representa a realidade externa. E agora você vai descobrir como utilizá-lo a favor da gestão da sua empresa.

O que é modelo mental?

Modelos mentais são dispositivos do pensamento por meio dos quais um ser humano tenta explicar, a si próprio e aos outros, como funciona o mundo real.

É um tipo de símbolo interno de representação da realidade externa, hipotética, que tem um papel importante na cognição – ou seja, na forma como apreendemos o mundo. São os modelos mentais de cada um de nós que definem como percebemos o que acontece ao redor, como cada evento nos afetará, como pensaremos e como agiremos. Cada pessoa tem seu próprio modelo mental, que é resultado de todas as suas experiências, história de vida e situações.

Resumindo: o modelo mental pode ser descrito como uma visão ampla do mundo, adquirida por meio de experiências passadas. São pressupostos, generalizações ou mesmo imagens arraigadas que influenciam a nossa forma de ver o mundo e agir.

E o que isso tem a ver com gestão?

Tudo, porque estamos falando da visão de mundo dos gestores. Fala-se muito, hoje em dia, de modelo de negócio; mas isso é só parte da equação. O principal modelo em questão é o mental. Pois há vários estudos que comprovam que o modelo mental dos líderes pode ser responsável pelo sucesso – ou pelo fracasso – de uma empresa.

Este trabalho intitulado “As Dimensões dos Modelos Mentais dos Empreendedores e seus Impactos sobre o Desempenho Organizacional” apresenta sete dimensões básicas que podem impulsionar os modelos mentais dos empreendedores para um melhor desempenho de suas organizações. São elas: conhecimento, habilidade emocional, mente linear, relacionamento, missão e estratégia, criatividade e vocação.

>> Leitura recomendada: Cultura organizacional: como e quando transformar

O exemplo da Southwest Airlines

De acordo com este artigo da Havard Business Review, o setor aéreo estadunidense é emblemático do que pode acontecer quando empresas reformulam o modelo de negócio sem alterar o modelo mental.

Por mais de 40 anos, a companhia texana Southwest Airlines vem rompendo modelos no setor aéreo de lá. Já são 43 anos de lucratividade – um recorde absoluto para o segmento. O modelo é simples: enquanto empresas tradicionais como United e Delta operam com cabines multiclasse, frotas heterogêneas e voos por conexões, a Southwest foca em taxas reduzidas, com cabines de apenas uma classe, frota homogênea e rotas sem conexão.

No começo, muitas companhias tentaram copiar esse modelo. Mas por que não funcionou? Porque, desde o início, o modelo mental de Herb Kelleher, cofundador da Southwest Airlines, estava bem definido: como concorrentes, ele não via apenas empresas aéreas, mas carros, ônibus e trens.

A ideia de Kelleher era viabilizar viagens de avião a quem até então não podia fazê-lo. Assim, o modelo mental não estava focado em como conquistar market share de outras companhias, mas em criar um mercado totalmente novo para o setor aéreo.

“É incidental que operemos com aviões”

As diferenças entre os modelos mentais não param por aí. É conhecida a seguinte frase de Herb Kelleher: “Digo a meus funcionários que estamos no ramo de serviços, e que é incidental que operemos com aviões”. Ou seja, de acordo com essa visão de mundo, a Southwest serve às pessoas usando aviões, enquanto outras companhias voam aviões para transportar pessoas. Percebeu a diferença?

Por conta disso, os esforços das grandes companhias em reproduzir o modelo fracassaram. A Continental Lite, a Ted da United, e Song da Delta: nenhuma vingou, e os gestores culparam a má execução.

Quando a Continental encerrou as operações da Lite, o CEO Gordon Bethune disse que a iniciativa “Não foi implementada de forma orquestrada”. Mas a razão verdadeira do insucesso foi o fato de que o novo modelo de negócio foi implantado sem que houvesse um modelo mental equivalente por trás.

As companhias tradicionais ainda estão pensando em seus negócios a partir de aviões em vez de servir às pessoas. O modelo mental ainda é o de capturar fatias de mercado em vez de ampliar esse mercado, e a medida do sucesso continua baseada em quão bem sucedidos são os usos dos aviões e as experiências a bordo.

O que tudo isso nos ensina? Que copiar um modelo de negócios sem um modelo mental que o sustente certamente levará a resultados muito frustrantes. Você precisa alterar a forma como pensa antes de de mudar o que você faz – e, então, mudar o que você mede para fechar o ciclo.

>> Leitura recomendada: Da inovação à transformação: como encontrar e mudar o seu modelo de negócio

Não siga o exemplo da VW

De acordo com o mesmo artigo da Havard Business Review, você deve ter, como exemplo do que não fazer, o recente pronunciamento da Volkswagen, em que a companhia declarou que planeja superar a Tesla na corrida dos veículos elétricos. A promessa da VW é a de que a marca vai dar amplos saltos com uma plataforma modular de montagem de carros.

O problema é que, aqui também, uma grande companhia está replicando um modelo de negócio valendo-se do modelo mental equivocado. A Volskwagen é uma montadora que usa tecnologia, enquanto que a Tesla, por outro lado, sabe que é uma empresa de tecnologia que monta carros. E isso, como vimos, faz toda a diferença.

Então, agora você já sabe: antes de reformular seu modelo de negócio, pare e reflita sobre seu modelo mental. É ele que vai legitimar a mudança – e produzir os resultados que certamente você busca.

E, para replicar esse modelo mental em toda a sua organização, você pode contar com uma ferramenta de gestão como o Runrun.it. Assim, todos os seus colaboradores vão trabalhar dentro de um mesmo sistema.

Com isso, além de conseguir monitorar as tarefas realizadas com mais precisão, você conseguirá imprimir sua visão de mundo aos processos com mais clareza e eficiência. Faça um teste grátis hoje mesmo: http://runrun.it
 
Gif_Signup-1-1-3

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>