Como melhorar a concentração se sou viciado em distrações?

Como melhorar a concentração se sou viciado em distrações?

Quem nunca abriu um livro e de repente se viu lendo o mesmo parágrafo meia dúzia de vezes antes de admitir que seria impossível continuar? Quem nunca passou horas do dia percorrendo a Internet como uma espécie de flâneur digital, clicando até mesmo em links como “Veja como esses atores mirins que eram estranhos na infância ficaram atraentes depois de adultos”? – enquanto a pilha de tarefas acumulava sem perdão. Essas são situações clássicas, que muitos de nós já conhecem bem, e que configuram um certo “vício em distração”. Mas calma, se você se identificou com as situações, vamos te ajudar a iniciar um detox e a descobrir como melhorar a concentração, mesmo quando as distrações parecem irresistíveis.

Condenados à distração

No artigo “Addicted to Distraction“, publicado no The New York Times, Tony Schwartz, autor de The Way We’re Working Isn’t Working, faz um relato pessoal sobre a dificuldade de se desconectar e expõe como estamos condenados à distração. “Aceitamos de bom grado a perda de concentração e foco, a divisão de nossa atenção e a fragmentação de nossos pensamentos, em troca de recebermos uma fortuna de informações interessantes ou, pelo menos, capazes de nos distrair”.

Se isso chega a ser um vício? Bem, vício é a atração implacável a uma substância ou atividade, que se torna compulsiva a ponto de acabar interferindo na vida cotidiana. Guiando-me por essa definição, quase todo mundo que conheço tem algum grau de vício pela internet. Podemos dizer até que ela já substituiu o trabalho como o vício mais socialmente aceito hoje.

“A internet é feita para ser um sistema de interrupção, uma máquina configurada para dividir as nossas atenções”, explica Nicholas Carr em seu livro A Geração Superficial: O que a Internet Está Fazendo Com os Nossos Cérebros. Ainda segundo uma pesquisa recente, o profissional médio de um escritório gasta cerca de seis horas por dia só com e-mails. E essa estatística não inclui o tempo online gasto com compras, buscas ou acompanhando redes sociais.

>> Leitura recomendada: Virgin e a tendência de banir o e-mail da comunicação interna

O acesso infinito a novas informações também sobrecarrega com facilidade a nossa memória de trabalho. Quando atingimos a sobrecarga cognitiva, nossa capacidade de transferir o aprendizado para a memória de longo prazo se deteriora significativamente. É como se o cérebro tivesse se tornado um copo cheio d’água e qualquer gota a mais o fizesse transbordar.

A fome do cérebro por novidades, estimulação constante e gratificação instantânea cria algo chamado de “ciclo da compulsão”. Feito ratos de laboratório ou viciados em drogas, precisamos de doses cada vez mais fortes para obter o mesmo efeito.

Disciplina é liberdade

Agora que você já percebeu que está muito suscetível às distrações, e que elas estão interferindo negativamente no seu trabalho e na sua vida é só colocar um ponto final em todas. Certo? Infelizmente, não é tao simples assim. O problema é que nós humanos temos um reservatório bastante limitado de força de vontade e disciplina. “Nossa chance de sucesso é muito maior se tentarmos mudar um comportamento por vez. Idealmente, no mesmo horário todos os dias, de modo que ele se torne rotina, exigindo cada vez menos energia para a manter”, explica Schwartz.

>> Leitura recomendada: O método de organização de Bill Gates, Elon Musk e Zuckerberg

Bem, seu compromisso inicial é limitar a sua vida online a verificar seu e-mail apenas três vezes por dia: pela manhã, na hora do almoço e antes de ir para casa no final do dia. Parece simples, mas por experiência própria, é algo que exige uma grande quantidade de disciplina para ser feito. É como ser um chocólatra que trabalha em uma confeitaria e tentando resistir a um cupcake.

Não tenho dúvidas (na verdade, eu tenho) de que existem pessoas que realmente conseguem ficar concentradas em diversas atividades ao mesmo tempo. Porém, duvido um pouco da capacidade de dar plena atenção a todas essas atividades ao mesmo tempo.

Se você não aprender como melhorar a concentração, controlando as distrações agora, com tanta inovação e tecnologia ao seu redor, e com a gradual chegada de mais e mais novidades, pode ser tarde demais para assumir o controle. Melhor aprender agora a se controlar e, pelo seu próprio bem antes de tudo, se tornar uma pessoa mais produtiva.

Dicas para uma detox de distrações

1. Mantenha apenas uma ou duas abas abertas no seu navegador: somente aquelas que realmente importam para a atividade em execução no momento. (Dica de Hacker: para reabrir uma aba fechada, tecle Ctrl+Shift+T no Google Chrome)

2. Desconecte-se por 15 ou 30 minutos, algumas vezes ao dia. A capacidade de se desconectar é essencial para ficar no presente. Não é à toa que uma das mais consagradas técnicas de produtividade, a Pomodoro, exige pausas a cada turno de trabalho de 25min.

3.  Você não precisa atender ao telefone só porque está tocando, nem deve ler todos os e-mails assim que surgem na sua caixa de entrada (Aliás, o que você está fazendo no e-mail? Está dentro da frequência de checagem que combinamos?). Para ajudar, desative as notificações instantâneas. E não ofereça instantaneamente sua atenção a menos que seja absolutamente crucial oferecer uma resposta imediata. Em vez disso, agende um tempinho para responder e-mails e retornar telefonemas – assim que terminar o que está fazendo, por exemplo.

4. Conseguiu chegar até aqui sem checar o celular? Parabéns! Próxima dica é: Prepare-se para o seu próximo compromisso desconectando-se do anterior. Um repouso de quinze minutos entre entre as reuniões deve ser suficiente. A próxima pessoa na sua programação merece toda a sua atenção. Se não conseguir, adie o compromisso.

5. Quando for necessário, pendure em você uma placa de “não perturbe”. Isto é, fuja de todas as distrações quando precisar de foco. Nem hesite. Se houver uma sala, uma baia ou um cantinho aonde você possa levar seu notebook e trabalhar em paz, faça isso. Às vezes, não adianta colocar os fones de ouvido nem pôr o celular no silencioso. Você precisa de um “retiro”.

6. Quando você se propuser a alguma leitura, desconecte a rede do celular e feche seu notebook. É muito complicado se focar no seu livro quando ele concorre com as mensagens do WhatsApp e os GIFs do Facebook.

7. Em dias que a dificuldade de concentração está muito forte (e todos nós temos dias assim!), bloquear distrações como o Facebook e outras formas de mídia social pode ser uma saída interessante. Aliás, neste post sobre 17 extensões Google Chrome gratuitas, temos um truque ótimo para ajudar você a ficar longe das distrações.

8. Descubra e potencialize seu ritmo. Você é uma pessoa mais focada de manhã? Faça o que é mais importante na parte da manhã.

Como melhorar a concentração no trabalho: Runrun.it

Agora que você sabe como melhorar a concentração e fugir das distrações, conheça o Runrun.it, a ferramenta que organiza o fluxo de trabalho, deixa as prioridades claras, dispensa o e-mail para comunicação interna e  as reuniões de follow-up. Tudo para sua equipe ficar ainda mais focada. Experimente grátis e sinta a diferença: http://runrun.it

3 thoughts on “Como melhorar a concentração se sou viciado em distrações?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>