Ser procrastinador(a) tem tudo a ver com a sua genética. Mas você pode mudar isso

Ser procrastinador(a) tem tudo a ver com a sua genética. Mas você pode mudar isso

A cena talvez lhe seja familiar: você chega ao escritório e encontra uma enorme pilha de tarefas a serem feitas. Longo suspiro, talvez uma caprichada xícara de café, você se senta, liga o computador e… Acessa um portal de notícias, uma rede social, vê um vídeo, conversa um pouco por aplicativos de mensagens instantâneas, e por aí vai. Quando se dá conta, é quase hora do almoço, e a pilha só aumenta. E aí? Como parar de procrastinar de verdade? Como deixar a enrolação de lado e tocar o que realmente deve ser feito?

>> Leitura recomendada: Procrastinação: como convertê-la de vício em virtude

Nossos ancestrais têm culpa no cartório

Antes que você se amaldiçoe pelos atrasos, saiba de algo importante: a procrastinação e a preguiça são genéticas. Quem afirma isso é o pesquisador e cirurgião Sharad Paul, autor de The Genetics Of Health: Understand Your Genes for Better Health, um aprofundado estudo sobre a herança e a evolução genética.

De acordo com ele, ainda que pareça uma falha de caráter, nossa propensão a procrastinar desenvolveu-se por um motivo. “As pessoas que estavam nas cavernas temiam predadores, pensando algo como: ‘minhas ferramentas ainda não estão afiadas o bastante. É melhor gastar mais tempo aperfeiçoando essa lança’”, afirma o estudioso neste artigo da FastCompany. Tais pessoas sobreviveram mais porque evitaram o conflito. E os genes delas passaram às futuras gerações.

Nada de repetir padrões

Mas, de acordo com Sharad Paul, “culpar o passado” pela procrastinação é um péssimo hábito. “As pessoas pensam que os genes determinam seus destinos, mas isso só é verdade se as ações delas levarem a essa direção”.

Genes são fábricas de proteínas responsáveis por diferentes funções. “Nossas dietas e exercícios, e os ambientes em que vivemos, moldam nossos genes e os fazem produzir proteínas diferentes”, conta Sharad Paul. Entender seus genes significa que você pode aperfeiçoar sua máquina – seu corpo – para uma performance melhor.

>> Leitura recomendada: Como se concentrar quando você só quer procrastinar

Como fazer isso? Como parar de procrastinar?

De acordo com outra especialista – Caroline Webb, autora de How to Have a Good Day -, o caminho é visualizar os benefícios da ação. É torná-los maiores, mais reais. Neste artigo para a HBR, ela lista algumas formas de se conseguir isso:

1. Visualize os benefícios de se realizar uma tarefa

Conforme Webb, pesquisadores descobriram que nós temos maior tendência a poupar para nossas aposentadorias se vemos fotos de nós mesmos digitalmente envelhecidos. Isto porque as fotos fazem com que o futuro seja mais visualizável.

Assim sendo, pintar uma “imagem mental” dos benefícios de realizarmos uma tarefa que estamos evitando pode ser o gatilho necessário para eliminar a procrastinação. Então, se há uma ligação ou um e-mail que você está deixando para depois, dê uma mãozinha para seu cérebro ao imaginar a satisfação que ele experimentará assim que o trabalho for feito. Talvez ajude também projetar a expressão de satisfação no rosto de quem também dependia dessa sua realização.

2. Comprometa-se publicamente

De acordo com Caroline Webb, o simples fato de afirmar para as pessoas que você fará algo pode ser fundamental. Isto ocorre porque o sistema de recompensa do nosso cérebro é muito suscetível ao nosso convívio social.

Pesquisas revelaram que, para nós, o fato de sermos respeitados por outros – mesmo por estranhos – é de enorme importância. A grande maioria de nós não quer parecer tola ou preguiçosa para nossos convivas.

Então, se você chegar para alguém que vai enviar um relatório até o começo da manhã seguinte, você acrescentará “benefícios sociais” ao cumprimento dessa promessa – o que pode ser tudo o que falta para realizá-la, de fato.

3. Identifique o primeiro passo

Muitas vezes somos assombrados pela tarefa que estamos evitando. E muitas vezes isso ocorre porque a tarefa parece grandiosa, complexa demais. Tipo “aprender alemão”. De acordo com Caroline Webb, o segredo é quebrar isso em tarefas menores, que não pareçam tão árduas de serem cumpridas.

E a melhor forma de começar a empreendê-las é identificar o primeiríssimo passo. Algo que seja tão fácil que até o cérebro propenso a procrastinar possa ver que os benefícios superam os esforços. Então, em vez de colocar “aprender alemão” na sua lista de afazeres, você pode começar por “enviar e-mail ao Klaus para pedir conselhos sobre aprendizado de alemão”.

Isso pode te levar a usar a metodologia de pilha, da qual falamos aqui no blog.

4. Atrele o primeiro passo a algo que você queira ou de que goste

Para Carole Webb, conseguimos reduzir ainda mais o custo do esforço se ligamos aquele pequeno passo a algo que desejamos realizar. Ou seja, relacione a tarefa que você está evitando a algo que não está evitando.

Por exemplo, durante a academia, você pode se permitir ler livros e revistas de “baixa qualidade”, porque o prazer culpado ajuda a diluir a percepção do custo do exercício criada por seu cérebro. Da mesma forma, pode ser mais fácil realizar uma tarefa delicada se você prometer a si mesmo que o fará em uma cafeteria agradável, usufruindo de sua bebida favorita.

>> Leitura recomendada: Acordar cedo – às 4h da matina! – te fará produzir mais. Veja outras dicas

5. Identifique e remova os bloqueios escondidos

Carole Webb conta que, muitas vezes, nós nos pegamos indo e voltando a algumas tarefas, sem vontade de dar o primeiro passo. Uma voz aguda em nossas cabeças parece dizer “Boa ideia, mas…”.

O lance é combater este “mas”. Para isso, precisamos perguntar àquela vozinha algumas coisas, para entendermos o que leva a estes poréns. Pergunte-se pacientemente algo como “por que parece tão difícil realizar isso?”, e aquilo que causa o bloqueio pode aparecer rapidamente.

Assim que o conflito ficar mais explícito, você provavelmente conseguirá encontrar uma forma de superá-lo com muito mais facilidade.

Uma ferramenta contra a procrastinação

Além dessas dicas, existem ferramentas de organização do trabalho que podem se tornar grandes aliadas contra a procrastinação. Como o Runrun.it, que organiza todas as tarefas a serem feitas, prioriza as demandas da equipe, formaliza a comunicação e te ajuda a estar sempre no controle dos prazos das tarefas e projetos.

Assim, você consegue focar no que realmente importa, visualizando os benefícios de cumprir prazos e reduzindo os custos dos esforços para tanto. Experimente grátis agora mesmo: http://runrun.it

Gif_Signup-1-1-3

2 thoughts on “Ser procrastinador(a) tem tudo a ver com a sua genética. Mas você pode mudar isso

  1. Muito interessante este tema, pois seu tratamento é bastante ‘ignorado’ pela maioria das empresas. Fechar os olhos muitas vezes é menos doloroso. Parabéns.

    1. Oi, Jorge! Ficamos felizes que tenha gostado do conteúdo. Acreditamos que gestores e líderes podem ajudar os colaboradores a administrar a procrastinação e tornar a jornada de trabalho mais produtiva. Assim todos saem ganhando! Volte sempre.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>