A importância do core business para sua estratégia de negócios

A importância do core business para sua estratégia de negócios

Ter uma imagem consolidada no mercado é o anseio da maioria das empresas. Para que isso aconteça, é essencial que a corporação tenha pleno conhecimento de qual é o seu core business. Esse termo da língua inglesa bastante difundido no mundo corporativo diz respeito ao núcleo de um negócio, ou seja, a atividade principal desenvolvida por uma instituição. Assim sendo, o core business pode ser definido como a essência de uma empresa. 

Apesar de parecer um requisito básico para criar seu próprio negócio, muitas companhias acabam se distanciando de seu propósito inicial na tentativa de diversificar suas atividades. Por isso, ter o domínio do negócio principal da sua empresa é importante para fortalecer a imagem dela em seu segmento, bem como estruturar um planejamento estratégico com confiança, com o objetivo de crescer cada vez mais. 

Para que você saiba como trabalhar essa estratégia – e para que sua empresa consiga crescer sem se afastar do que deu origem a ela -, neste post vamos abordar tudo o que você precisa saber sobre esse núcleo.

 

O que é o core business e como encontrá-lo na minha empresa?

Como mencionamos no início do artigo, o core business representa o propósito central de uma empresa, mas também pode ser interpretado como a parte mais forte da instituição, que deve ser usada estrategicamente como vantagem competitiva, bem como nas campanhas de marketing, reforçando o principal valor agregado da organização. Vale a pena lembrar que o core business não é sinônimo de modelo de negócio, um conceito que descreve a lógica de criação e distribuição de valor de uma empresa. 

A premissa do core business está intimamente ligada à identidade institucional de uma empresa, isto é, a missão, visão e valores, que por sua vez são formulados no planejamento estratégico. Por exemplo, uma agência de comunicação definiu como missão o seguinte tema: se comunicar com a alma. Logo, podemos entender que o core business dela será uma comunicação humanizada em todas as suas frentes, seja na relação com os clientes, parceiros, fornecedores e colaboradores.

Na busca por encontrar (ou recuperar) a essência da sua empresa, é preciso elaborar perguntas cujas respostas serão a chave da retomada do seu negócio. A seguir, separamos algumas delas que podem ser úteis para você. 

  • Quais são os diferenciais da minha empresa?
  • Quem são os meus principais parceiros e fornecedores?
  • Qual é o público majoritário atendido pela minha companhia?
  • Quais são meus principais canais de negócio e relacionamento? 
  • Como minha empresa está posicionada no mercado?
  • Como satisfazer as expectativas dos meus clientes? 
 

Ao passo que as soluções surgem a partir das respostas, já é possível visualizar um horizonte mais nítido e enxergar qual é o real core business da sua instituição. Outra maneira de manter isso em vista é utilizando a Matriz SWOT, que irá analisar as forças, fraquezas, oportunidades e ameaças que influenciam a organização e a partir do cruzamento de dados, chegar a alternativas viáveis para conduzir os processos com precisão e racionalidade.  

Com essas respostas, você deve ser capaz de traçar a estratégia para seu core business sem medo de colocar limites e perder campo de ação. Pois é justamente ao colocar os limites que você conseguirá detectar as oportunidades.

>> Leitura recomendada: Da inovação à transformação: como encontrar e mudar o seu modelo de negócio

Como fortalecer a marca com o core business?

Identificar o core business da sua empresa agrega um valor para a marca, fazendo com que ela se destaque da concorrência e esteja preparada para alcançar novos objetivos. Para facilitar o entendimento de como fortalecer sua corporação com esse método, selecionamos alguns tópicos desenvolvidos por um artigo da Entrepreneur. Confira. 

Diversifique as atividades em torno do seu core business

Se você pretende expandir o ramo de atuação do seu negócio, mantenha em mente qual é o seu core business e utilize suas diversas capacidades para criar valor para sua empresa. Um grande exemplo disso é o Google. Cada uma das ferramentas e recursos oferecidos pela plataforma está muito bem integrada ao core business de busca e anúncios. Seus produtos e serviços têm como objetivo obter mais e mais pessoas para o ecossistema da empresa. 

Ao diversificar suas ações, procure manter os novos serviços alinhados com seus objetivos e resultados-chave (OKR), de forma que ao consultar as atividades oferecidas, o público-alvo lembre do produto principal da sua marca e enxergue as relações que as novas funcionalidades estabelecem com ele. 

Alinhe sua diversificação para fidelizar os clientes

Atualmente, os negócios são dependentes da construção de uma relação próxima e amigável com seus clientes. Assim, a diversificação só deve acontecer para fortalecer a atuação existente de uma empresa, aumentando sua proposta de valor para os clientes. 

Um bom exemplo a ser lembrado é a compra da Marvel pela Disney. A aquisição dos direitos dos quadrinhos e produções cinematográficas da franquia audiovisual da editora pela gigante do entretenimento causou apreensão dos entusiastas a princípio. No entanto, a Disney prezou pelo legado construído pela Marvel e ainda ampliou a gama de serviços, produzindo novas séries e filmes baseados nas histórias tão conhecidas. Essa estratégia não apenas atraiu novos interessados para a marca como aproximou ainda mais os clientes mais apaixonados por produções audiovisuais..

Espere o momento certo

Com o crescimento do seu negócio, é natural querer expandir a gama de produtos e serviços oferecidos. No entanto, a prioridade antes de qualquer mudança  é tornar o seu core business estável em termos de capital e recursos. Seu negócio principal é o que financiaria a diversificação por algum tempo.

Sendo assim, é necessário que a sua empresa tenha uma visão do todo, desde os processos internos ao engajamento com os próprios colaboradores. Existem ferramentas de planejamento, como a BSC (Balanced Scorecard), que podem te ajudar a compreender a estrutura corporativa de forma mais realista. Por exemplo, com a metodologia, você consegue perceber se os objetivos estão alinhados em todos os setores, se existem recursos para tal transformação e como isso irá impactar seus funcionários. 

Antes de realizar uma aposta que pode ser ousada, realize todas as etapas do planejamento tático e verifique se os métodos dão segurança para tal transformação. Se não for possível no período atual, alinhe suas ideias e programe-se para que a diversificação do negócio aconteça na hora certa. 

Selecione os seus parceiros

Um negócio existente requer quantidades significativas de tempo e energia da gerência. Por isso, é essencial olhar para a estrutura da equipe de dentro.

Identificar os colaboradores que têm propensão para ir além da execução das tarefas diárias é fundamental para inovar dentro da empresa . Assim, as equipes de gestão devem ter não só a responsabilidade, mas também devem ser autorizadas a mover as coisas para a frente.

>> Leitura recomendada: Como o SLA pode ajudar na relação com seus parceiros

Alinhando planejamento estratégico e core business

Os conceitos de estratégia e core business são diferentes, mas o alinhamento entre as duas práticas é essencial para o sucesso de uma empresa. Afinal, as manobras e preparações para se alcançar um objetivo deve estar de acordo com o núcleo principal de um negócio, certo? 

Nesse caso, o acompanhamento estratégico do core business atua para mensurar as possibilidades de crescimento e avaliar quais são os períodos adequados para mudanças de posicionamento de marca ou lançamento de novos serviços e linhas de produto. 

É por isso que o planejamento estratégico é imprescindível para uma organização, pois ele reúne os melhores métodos e ações em torno de um objetivo específico, analisando o cenário ao seu redor e percebendo quais práticas estão adequadas com o foco principal de atuação da empresa. Ou até mesmo apontar se esse é o momento ideal para pivotar o core business. 

Mudança de core business: evolução natural ou risco?

O mercado muda com muita rapidez: novas referências, novas demandas, novos consumidores surgem a todo momento. E, na intenção de aumentar seu faturamento com essas mudanças, empresários tendem a pivotar seus negócios – ou seja, mudar o core business, dar um giro.

Pensando nesse dilema, sempre nos vêm à mente os equívocos da Kodak, Nokia e outras companhias que preferiram manter uma postura conservadora ao invés de se tornarem empresas com características disruptivas. A mudança do core business está em voga nos dias atuais principalmente com o avanço da tecnologia. No entanto, um relatório global divulgado pela McKinsey mostrou que as empresas que buscam crescer unicamente mudando suas estratégias não apresentaram resultados expressivos. 

Assim, a questão da pivotagem deve ser tratada com muito cuidado, pois pode trazer riscos à operação. Para que essa atualização do core business seja positiva, é preciso pesquisar, planejar e elaborar uma estratégia aprofundada. A seguir, listamos algumas condutas adequadas para realizar essa transição e definir o futuro da sua empresa com segurança:  

>>Compreenda o contexto do mercado: para as empresas que desejam expandir-se para novas atividades, é importante entender primeiro até que ponto o crescimento além do core business em sua região e indústria é uma oportunidade ou um risco. O crescimento para novas categorias, por exemplo, vale mais em economias emergentes do que nas economias desenvolvidas.

>>Encontre o crescimento perto de casa: identifique oportunidades de crescimento que possuem ligações únicas entre a atividade futura e o core business. Em outras palavras, ideias ou oportunidades onde seja possível aproveitar capacidades e habilidades já existentes.

Crie as capacidades certas: ao planejar a busca de novas oportunidades fora do seu core business, os líderes devem avaliar as capacidades de suas empresas para garantir que os processos e práticas corretas estejam no lugar para maximizar o valor que novas atividades podem agregar. As empresas com os recursos para digitalizar, avaliar e integrar oportunidades têm uma chance muito maior de criar valor com esses movimentos.

Tecnologia de gestão para inovar

Já que o assunto é inovação, seja por meio da diversificação ou do foco, vale você conhecer o Runrun.it – uma ferramenta de gestão de projetos indicada para líderes que desejam acompanhar os processos da sua empresa de maneira ágil e descomplicada. A plataforma conta com um dashboard completo que agrega todas as informações necessárias para orientar a tomada de decisão. 

Com recursos automatizados que facilitam o fluxo de trabalho, o software permite o gerenciamento de equipes com transparência e a comunicação entre todos os usuários, contribuindo para que todas as mudanças e planejamentos sejam acompanhados em tempo real. Crie a sua conta e faça o teste gratuito: http://runrun.it.

core business” width=  

Pesquisas e conteúdos mencionados: 

>>https://www.entrepreneur.com/article/277302

>>https://www.spacemoney.com.br/geral/acoes-da-disney-disparam-com-plano-agressivo-para-o-servico-de/161572/

>>http://www.mckinsey.com/business-functions/strategy-and-corporate-finance/our-insights/growing-beyond-the-core-business 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>