Metodologia OKR: conheça a prática de gestão das empresas de sucesso

Metodologia OKR: conheça a prática de gestão das empresas de sucesso

Na atualidade, uma gestão estratégica eficiente está profundamente ligada à cultura de resultados, na qual os objetivos e metas são amplamente mensurados. Nessa linha administrativa, a metodologia OKR vem se destacando por proporcionar agilidade e precisão nas fases de planejamento. 

Popularizada pela Google no final da década de 90, o método OKR (Objectives and Key Results) conquistou não somente as empresas do Vale do Silício, como outras organizações que buscavam gerenciar seus processos de maneira flexível e colaborativa. 

A verdade é que a prática se tornou uma alternativa eficaz aos modelos tradicionais de negócios, principalmente por ser elucidativa quanto aos seus propósitos, mantendo todos os profissionais cientes dos objetivos planejados, aumentando o senso de pertencimento e, por consequência, a produtividade das organizações. 

Para você que está adentrando nos conceitos da metodologia OKR, preparamos esse conteúdo para mostrar o passo a passo de como implementar e colher os benefícios gerados por essa estratégia de gestão. 

 

O que é a metodologia OKR? 

Derivado da abreviação do termo Objectives and Key Results – Objetivos e Resultados-Chave, a metodologia OKR é uma prática de gestão contemporânea que direciona sua atenção para o alcance dos objetivos e metas e da mensuração desses propósitos. 

O OKR também pode ser definido como um conjunto de objetivos interligados que orientam em qual projeto ou ação os esforços devem ser concentrados. Sendo assim, há maior clareza sobre a aplicação do tempo e da priorização das atividades. 

Fundamental para a gestão estratégica, o método OKR estimula a participação de profissionais de variadas áreas, não apenas diretores e líderes, para a criação de objetivos que podem ser alcançados a curto e médio prazo. 

Com características que combinam com a gestão ágil, a metodologia OKR  é mais flexível e facilita a implementação de mudanças ao longo dos períodos vigentes. Ou seja: os objetivos podem ser ajustados ao decorrer do progresso das atividades, a fim de que se tenha uma percepção clara se a estratégia está funcionando ou não. 

A partir dessa visão, na qual existe uma mensuração de resultados constante, as pessoas entendem com mais facilidade o escopo de suas atividades, o que por consequência favorece a interação e o trabalho em equipe. 

Dentro da metodologia OKR, seus dois pilares possuem intenções diferentes que se complementam. 

Os objetivos são elaborados com transparência para que todos entendam aonde a empresa quer chegar, enquanto os resultados mostram se as metas criadas estão trilhando o caminho idealizado, trazendo dados concretos que fortalecem a tomada de decisão. 

Como surgiu a metodologia OKR 

Ao pesquisarmos as origens do termo OKR, os resultados apontam para um nome: Andrew Grove (1936-2016), ex-CEO da Intel, que teria cunhado o nome da metodologia na década de 70.

No entanto, buscas mais profundas mostram que outros autores conhecidos da área administrativa já davam passos em direção ao método OKR. 

Antes de darmos continuidade a essa breve retrospectiva histórica, é importante salientar que o OKR contrapõe a hierarquia vertical, na qual as decisões partem de um nível superior, ou seja, sem a inclusão de ideias de demais colaboradores que não ocupam cargos de gestão, o que torna o processo burocrático. 

Os primeiros passos rumo a essa mudança vieram de personalidades conceituadas na administração, como os engenheiros Henri Fayol (1841-1925) e Frederick Taylor (1856-1915), conhecidos pela inserção dos princípios científicos na gestão. 

Para conseguir extrair os melhores indicadores de produtividade, esses especialistas passaram a relacionar medidas de desempenho, gerando dados que indicavam possíveis melhorias para a gestão do trabalho. 

Por volta dos anos 50, Peter Drucker (1909-2005), pai da administração moderna, apontou que a criação de metas em torno de melhorias de produtividade era o modo mais adequado de auxiliar na verificação dos resultados. 

Segundo o consultor, realizar o acompanhamento desses índices de gestão em períodos curtos permitia um entendimento dos pontos positivos e as necessidades de correção, configurando num modelo de melhoria contínua. 

>> Leitura recomendada: O que é a entrega contínua e como ela pode ajudar o seu time de marketing 

No livro The Practice Of Management (A Prática da Gerência), Drucker ressaltou a filosofia que mais tarde viria a ser descrita como MBO – Management by Objectives – Gerenciamento por objetivos, em livre tradução – como um princípio de gestão que conciliaria as responsabilidades individuais com o esforço comum, possibilitando a visão coletiva acerca dos esforços. 

Nos anos 70, o conceito de MBO era utilizado na gestão de Andrew Grove da Intel, que para conquistar os objetivos planejados a cada trimestre, fazia o uso de técnicas como as Metas SMART. Para mensurar o alcance, as equipes definiram ações chave, que logo começaram a ser chamadas de key-results, e na sequência virou a metodologia OKR.

Até então é que os resultados-chave podiam ser elaborados por qualquer profissional, independente do cargo hierárquico, o que prometia trazer engajamento para o processo. 

Foi a partir dessa sacada que em 1999, John Doerr trouxe a proposta para a Google, que na época tinha somente 40 funcionários. Com a equipe implementando o método OKR, a empresa se tornou um negócio escalável e a essência da prática de gestão foi rapidamente difundida pelas companhias do Vale do Silício. 

Hoje em dia, a metodologia OKR é realizada em múltiplas companhias, das startups às PME que buscam integrar a cultura de resultados à comunicação transparente.

Arte com uma linha do tempo da Metodologia OKR
 

As diferenças entre OKR, MBO, KPI e BSC 

No universo da gestão, siglas e abreviações são abundantes e, por vezes, possuem semelhanças que podem causar pequenas confusões. 

E quando falamos de metodologia OKR, isso não é diferente. Para evitar mais percalços no seu planejamento estratégico, vamos contextualizar quais são os atributos principais dessas nomenclaturas de gestão. 

OKR – Objectives and Key Results 

Tema principal deste artigo, a metodologia OKR tem como propósito compartilhar objetivos interrelacionados, o que promove a integração entre os colaboradores, que passam a entender com mais clareza a sua participação no alcance dos objetivos. 

Para aferir se as ações estão no rumo estabelecido, são propostos resultados-chave para os objetivos macro da empresa. O ciclo do OKR é relativamente curto (geralmente são trimestrais) e conta com revisões de alinhamento frequentes, permitindo mudanças ao longo de sua execução. 

MBO – Management By Objectives 

Essa filosofia de gestão foi essencial para o amadurecimento da metodologia OKR. Contudo, o conceito elaborado por Peter Drucker possui algumas distinções. 

No MBO, não existem métricas definidas para mensurar os resultados, oferecendo uma visão muito mais aberta para a aferição dos mesmos. Outro ponto é que o Gerenciamento por Objetivos (MBO) guarda um aspecto de confidencialidade, no qual os objetivos são discutidos em reuniões mais reservadas, enquanto o OKR é altamente colaborativo. 

Por fim, a conquista dos objetivos no método MBO é atrelada à remuneração por metas, o que gera um comportamento competitivo. Em contrapartida, a metodologia OKR busca o crescimento da corporação como um todo e uma conexão maior, não apenas com o quadro de funcionários, mas também com clientes e parceiros. 

>> Leitura recomendada: Cultura de crescimento: veja se você está no caminho certo

KPI – Key Performance Indicator

Conhecidos também como Indicadores chave de desempenho, são dados fundamentais utilizados pelos gestores e donos de empresa para acompanhar a evolução dos processos e operações da organização. 

>> Leitura recomendada: Conheça as tendências da gestão de desempenho

Enquanto os KPIs são indicadores que averiguam que os índices de produtividade, capacidade e desempenho estão sendo atingidos, o OKR define seu foco no alinhamento dos resultados chave com os objetivos propostos, ou seja, as metas são norteadoras das ações e atividades executadas. 

BSC – Balanced Scorecard 

Por fim, a Balanced Scorecard, ou simplesmente BSC, é outra metodologia de gestão. Também propondo a contribuição de outros setores, ela se estrutura em quatro pilares estratégicos: financeiro, clientes, processos internos e aprendizados. 

Em cada uma dessas esferas são definidas metas que convergem entre os departamentos, deixando os passos da gestão à visão de todos. Inclusive, uma das práticas realizadas na BSC é a escolha das métricas adequadas para o seu negócio, o que irá criar indicadores mais assertivos. 

Os elementos da metodologia OKR 

Como podemos notar pelo nome, o OKR é formado por dois componentes primordiais: os objetivos e os resultados-chave. Cada qual cumpre um intuito, mas funcionam conjuntamente, como vamos exemplificar mais adiante.

De maneira sucinta, podemos afirmar que os objetivos se configuram nas intenções que a empresa possui para os próximos ciclos do planejamento e estão de acordo com as políticas institucionais. 

Sendo assim, eles possuem uma característica aspiracional, descrevendo com precisão as práticas almejadas, como converter 100 novos leads por mês ou lançar dois novos produtos por semestre. 

Por sua vez, os resultados-chave definem como esses objetivos serão alcançados.

Por exemplo, para aumentar a base de clientes, é preciso incrementar as campanhas de marketing e oferecer treinamentos à área de vendas, enquanto a criação de novas funcionalidades necessita da realização de pesquisas com os consumidores e a formação de squads multidisciplinares para a execução das tarefas. 

Na metodologia OKR, esses elementos são acompanhados continuamente para que eventuais obstáculos possam ser contornados com rapidez e inteligência. Nas situações em que os resultados-chave estão distantes do objetivo estabelecido, eles são revistos e reformulados, com a intenção que todo o esforço feito não seja em vão. 

Já nos casos de sucesso, os princípios da metodologia OKR servem como atributos de engajamento, evidenciando na prática a força do trabalho coletivo e despertando a atitude de dono nas pessoas. 

O passo a passo para colocar o OKR em prática 

Agora que você já conhece a base da metodologia, vamos mostrar como colocar o OKR em prática. Para enriquecer ainda mais o seu conhecimento, confira o nosso webinar com a Souzanne Dupont, CPO da GhFly, onde também mostramos esse caminho! 

Defina metas e objetivos claros 

A metodologia OKR costuma funcionar em ciclos curtos, nos quais a cada trimestre os resultados são avaliados conjuntamente e remodelados para a próxima fase, seguindo um estilo próximo às metodologias ágeis

Nesse modelo, o ideal é que a empresa defenda objetivos gerais no ano para todos os departamentos, assim como objetivos trimestrais, que irão pavimentar a jornada até o alcance dos propósitos. 

Tais objetivos precisam ser bastante claros, favorecendo o entendimento e o acompanhamento de todas as pessoas, principalmente os responsáveis por colocar as atividades em ação. 

Para cada objetivo que contemple a totalidade das atividades empresariais, é necessário criar quatro resultados-chave que irão mensurar a realização dos projetos. 

Exemplo: Se para o próximo ano, a sua empresa pretende implantar o trabalho remoto para todos os colaboradores, os resultados-chave serão os seguintes: 

  • Proporcionar a todos os setores recursos digitais que promovam a interação no home office, desde softwares de gestão, suporte remoto aos funcionários e clientes, bem como a garantia dos benefícios trabalhistas para a sua equipe;  
  • Capacitação online, por meio de workshops, auxílio educacional e treinamentos periódicos;
  • Campanhas sazonais de engajamento para fortalecimento da cultura organizacional; 
  • Incentivo à prática da autogestão e do aprendizado contínuo, incentivando a elevação do cargo profissional à distância. 
 

Equilibre os objetivos 

A metodologia OKR permite a criação dos objetivos tanto das lideranças quanto das equipes do trabalho. Dessa forma, faça uma divisão proporcional, garantindo a participação de todos no processo de definição do OKR. 

Estabeleça prazos 

Culturalmente, as etapas do método OKR são distribuídas de forma trimestral. Mas também é possível idealizar objetivos e resultados-chave mensais, que servirão para balizar as entregas acordadas. 

Faça um acompanhamento contínuo 

Por ter uma cultura flexível, a metodologia OKR incentiva as mudanças e interações durante o ciclo. Para isso, os key results precisavam ser mensurados com frequência para que a cada intempérie, novas soluções sejam propostas de forma rápida e efetiva. 

Aplique a gestão à vista 

Transparência é um adjetivo inerente ao método OKR. A proposta é que todos os resultados estejam ao alcance dos colaboradores, seja no espaço físico ou virtual. 

Para isso, conte com uma ferramenta que centralize as informações como o Runrun.it. Na plataforma, além do acompanhamento dos projetos é possível compartilhar arquivos, realizar comentários, solicitar ajustes e conectar equipes. 

Mantenha o foco na cultura de dados 

Medir os resultados e o desempenho por vezes pode ser complicado. Isso porque quando as métricas são rasas e não baseadas em dados, elas encaminham sua visão para o lugar errado. 

Por isso, é importante contar com softwares como o Runrun.it, que possui indicadores de desempenho, capacidade, custos e prazos que geram relatórios completos para entender a efetividade das tarefas. 

No Runrun.it, você tem acesso a inúmeros relatórios que auxiliam a sua gestão

[Bônus] Livros sobre a metodologia OKR 

Quer conhecer a metodologia OKR mais profundamente? Separamos algumas leituras essenciais para você! 

Avalie o que importa: Responsável por inserir a cultura do OKR na Google, John Doerr conta um pouco mais sobre as experiências utilizando a metodologia. 

Os OKRs e as métricas exponenciais: Especialista em estratégias ágeis, Emero Herrero Filho detalha a aplicação da metodologia OKR nas empresas contemporâneas.

OKR: O guia definitivo desde os fundamentos, a implementação até a gestão da ferramenta: Esse guia, escrito por Elias Daher, reúne os preceitos mais importantes do método. 

How Google Works: Executivos da Google mostram como o OKR coopera para a motivação dos funcionários. 

OKR e Runrun.it: a combinação ideal para a sua gestão

Como vimos, a metodologia OKR facilita a gestão de processos da sua empresa a longo prazo, mas claro que inserir novas práticas de trabalho sempre geram dificuldades. Além disso, o planejamento das empresas para 2022 pode contar com mudanças na gestão de pessoas e de trabalho e você vai precisar contar com um aliado para a sua gestão. 

Ferramenta completa, o Runrun.it dá mais transparência à gestão e organiza as tarefas para que os OKRs sejam acompanhados e atingidos, desta maneira, sua equipe se familiariza com a metodologia de forma orgânica. Além disso, você acompanha o andamento dos projetos e suas principais métricas  com os dashboards customizáveis.

Faça um teste grátis: http://runrun.it  

metodologia okr”=
 

Links relacionados

Leituras complementares

https://www.goodreads.com/book/show/48018.The_Practice_of_Management

https://journals.aom.org/doi/abs/10.5465/ambpp.1977.4976584?journalCode=amproc#:~:text=The%20term%20Management%20by%20Objectives,objec%2D%20tives%20of%20an%20organization.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>