Objetivos e metas: ajustando o foco para empresa e colaboradores crescerem juntos

Objetivos e metas: ajustando o foco para empresa e colaboradores crescerem juntos

No final da década de 1960, estudos realizados pelo psicólogo e professor norte-americano Edwin Locke comprovaram que ter objetivos e metas para atingir na empresa é uma fonte de motivação para as pessoas.

Em sua pesquisa, Locke, que é autor do livro A theory of goal setting & task performance (Uma teoria de definição de metas e desempenho de tarefas), concluiu que equipes que tinham objetivos específicos e metas desafiadoras ao longo do tempo se comprometiam mais com o trabalho do que as que não tinham e seus resultados melhoravam gradativamente.

Apesar de terem conceitos parecidos, objetivos e metas são diferentes e quanto mais você entendê-los, melhor conseguirá defini-los.

Neste artigo você vai entender o que são objetivos e metas, por que eles são importantes e como escolhê-los. Acompanhe!

 

O que são objetivos e metas de uma empresa?

Sem dúvida, a sua empresa possui Missão e Visão bem estabelecidas. A primeira diz respeito ao propósito da empresa existir; a segunda, fala sobre a situação em que a empresa deseja chegar em um período definido de tempo.

Esses dois conceitos são balizadores dos objetivos e metas que a empresa deseja alcançar nos próximos anos, bem como dos indicadores de desempenho que servirão de métricas que mostram se a gestão está indo no caminho certo ou não.

É a partir disso que cria-se o planejamento estratégico, recurso importantíssimo, que simboliza o passo inicial em direção a um objetivo e que abrange a empresa como um todo, orientando as atividades para que as metas estabelecidas sejam atingidas.

Pirâmide dos objetivos e metas: missão no topo, abaixo objetivos estratégicos, táticos e, na base, os operacionais | runrun.it
Pirâmide representando a importância dos tipos de objetivos organizacionais

Objetivos e metas são, portanto, meios de alavancar uma empresa ou de mantê-la competitiva no mercado.

Internamente, são fatores importantes para promover o engajamento e a motivação dos colaboradores com a organização e com o seu trabalho.

Vamos dar um exemplo de objetivos e metas: se a empresa quer ser cada vez mais lembrada e amada pelos clientes, este é o objetivo; as metas podem estar relacionadas a entregas de valor, como diminuir as reclamações em 15% num mês, manter a taxa de renovação de assinaturas estável; aumentar em 30% a produção de conteúdo educativo, etc.

Qual a diferença entre objetivos e metas?

Podemos resumir os conceitos de objetivos e metas da seguinte forma:

Diferença entre objetivos e metas
Aprenda a diferenciar objetivos e metas.

Para ilustrar o que são objetivos e metas e os cuidados que devemos ter ao adotá-los, imagine a seguinte situação: a sua empresa é um navio que está em alto-mar e a sua tripulação são os seus colaboradores.

A algumas milhas marítimas dali está a Ilha X, que está no seu mapa, ou seja, no seu planejamento. Portanto, chegar até ela é o seu objetivo.

Mas em quanto tempo você deseja chegar lá? Só com a força do vento você pode demorar semanas, mas você quer mesmo é chegar lá em alguns dias, pois seus suprimentos estão acabando.

Você analisou a situação do navio e da tripulação e viu que é possível tomar algumas atitudes para chegar na Ilha X mais rapidamente. Reúne o marinheiros e compartilha com eles o que é preciso fazer:

– Criar turnos com equipes que irão remar para dar mais velocidade ao navio;

– Se livrar de pesos desnecessários que estejam deixando o navio mais lento.

A equipe concorda, se sente encorajada a fazer e se compromete ao máximo com aquelas tarefas.

Esses meios que foram adotados para atingir o objetivo são as suas metas.

Tudo está indo bem quando acontece o inesperado: uma tempestade violenta se encontra com o navio e o coloca numa rota perigosa, cheia de arrecifes. 

Neste cenário, o objetivo é o mesmo, mas as metas precisam mudar. É preciso diminuir a velocidade e usar todo seu conhecimento para fugir de rochas que podem danificar o navio e achar o canal que colocará a navegação no rumo certo outra vez.

Assim, podemos perceber que objetivo representa onde se quer chegar, é algo que leva tempo para ser alcançado.

Já as metas são pequenos alvos a serem atingidos num período de tempo menor e que precisam ser desafiadoras, mas não poder deixar de serem realistas.

Agora imagine que ao estar bem próximo à Ilha X você avistasse algum perigo nela. Insistir neste objetivo seria um erro. Logo, manter o foco muito fechado pode ser um limitador do sucesso.

É por isso que os objetivos e metas podem e devem ser revistos e renovados de acordo com a situação da empresa. Eles não podem ser limitantes nem devem podar a criatividade e a espontaneidade das pessoas. Vamos falar mais sobre isso adiante.

>> Leitura recomendada: Descubra os principais erros de planejamento e o que fazer para não cometê-los

Por que é importante ter objetivos e metas bem definidos?

Como dissemos, objetivos e metas são a força que impulsiona a empresa a alcançar melhores resultados.

Aliás, ter objetivos e metas é essencial para quem deseja adotar uma gestão por resultados ou realizar uma gestão por desempenho.

De acordo com a teoria de Edwin Locke, os objetivos e metas são importantes para o ser humano, pois motivam e orientam suas ações. Eles indicam aos funcionários o que precisa ser feito ou desenvolvido e quanto esforço será necessário investir.

Assim, os colaboradores realizam seu trabalho de forma consciente. Eles assumem a responsabilidade de atingi-las e sentem-se importantes ao perceber seus esforços como parte dos resultados.

Ainda segundo o psicólogo, os objetivos incentivam as pessoas a darem o melhor de si mesmas, estimulando-as a melhorar o desempenho, pois elas acabam criando seus próprios objetivos e metas pessoais.

Definir objetivos e metas, de acordo com a Teoria de Locke, também é importante pois eles têm a função de:

  • ajudar a manter o foco na execução e realizar as tarefas com atenção;
  • mobilizar a energia, os recursos e o esforços do colaborador;
  • aumentar a persistência e perseverança.
  • desenvolver estratégias.
 

Ferramentas que ajudam a definir objetivos

Agora que você já entende como diferenciar objetivos e metas e sabe da importância de cada um deles, vamos aprofundar mais o assunto.

Antes de citar as ferramentas em si, vamos conhecer mais sobre os objetivos.

De acordo com o renomado professor e consultor administrativo Idalberto Chiavenato, existem três tipos de objetivos:

Estratégicos

São mais amplos e de longo prazo (de dois a cinco anos ou mais). Ex.: aumento do retorno sobre o investimento organizacional.

Táticos

Abrangem os setores individualmente. Geralmente, são de médio prazo. Ex.: incentivar a responsabilidade social.

Operacionais

São voltados para a execução das tarefas ou operações. São mais específicos e de curto prazo. Ex.: incentivar o consumo consciente.

Conheça agora algumas ferramentas que ajudam líderes a traçar objetivos.

Matriz SWOT

Uma matriz, ou análise SWOT, tem como objetivo analisar as Forças, Oportunidades, Fraquezas e Ameaças de uma empresa, levando em consideração fatores internos e externos, assim como o macro e o micro ambiente.

Essa é uma maneira prática e visual de enxergar o cenário atual da sua empresa, quais são as oportunidades que podem ser exploradas e quais ameaças devem ser controladas. 

Como traçar objetivos e metas: matriz swot
Representação da matriz SWOT

5W2H

A ferramenta 5W2H pode ser feita em uma tabela de Excel, numa folha de papel ou facilmente incorporada a um gerenciador de projetos.

Sua nomenclatura é formada pela abreviatura das sete perguntas que definem a sua estrutura. A partir desses questionamentos, surgem as respostas e caminhos que conduzem as equipes rumo ao seu propósito, de maneira visível e explicativa.

Como traçar objetivos e metas: matriz 5W2H
Exemplo de tabela 5W2H

What (o que fazer?): defina os objetivos e metas que devem ser atingidos. 

Why (por que fazer?): indaga qual é a real importância disso para a empresa e por que ele precisa ser feito no momento. Aponta as dores e problemas que serão resolvidos a partir do produto/serviço/funcionalidade.

Where (onde será feito?): se refere ao espaço físico ou virtual em que o protótipo será testado e aplicado. Também é importante salientar se a responsabilidade de desenvolvimento será de um setor ou departamento específico. 

Who (por quem será feito?): responde o questionamento de qual equipe ou squad será responsável por realizar as atividades descritas no planejamento.

When (quando?): define a previsão do início das atividades, assim como a duração de cada ciclo e o prazo estabelecido para a entrega da solução para os clientes. 

How (como fazer?): descreve as etapas e ações desenvolvidas no planejamento tático, funcionando como um guia para as atividades subsequentes. 

How much (quanto custará fazer?): estipula quais serão os recursos humanos e materiais necessários para a realização do projeto e quanto eles vão custar.  

Métodos importantes para definir metas

SMART

Na hora de traçar metas, lembre-se que elas devem ser tangíveis e realistas. Neste caso, considere sempre se o que você definiu é específico, mensurável, atingível, relevante e temporal, como sugere o método Metas SMART.

Como traçar objetivos e metas: Metas SMART
SMART é o acrônimo em inglês para designar as características dos objetivos e metas: específicos, mensuráveis, atingíveis, relevantes e temporais.

OKR (Objective and Key Results)

O método OKR, do inglês Objectives and Key Results (Objetivos e Resultados-chave), tem dois componentes: o objetivo, ou seja, onde você quer chegar, e um conjunto de Key Results, ações práticas que as equipes se comprometem a fazer para alcançar os objetivos, que podem ser consideradas como metas.

Para estabelecê-los, há algumas regras a serem seguidas:

  • Todos devem, obrigatoriamente, conter números.
  • Todos devem ser mutuamente acordados entre os gestores e os colaboradores.
  • Cada pessoa deve possuir, no máximo, cinco objetivos macro com quatro resultados-chave para cada objetivo macro.
  • 40% dos objetivos devem ser definidos pelo board e os outros 60% pelo próprio profissional que trabalhará neles.
  • Devem ser pensados em curto prazo, estabelecendo metas específicas para cada trimestre.
 

>> Leitura recomendada: Saiba como vencer o gap entre estratégia e execução aplicando o OKR na prática

Cuidados ao estabelecer objetivos e metas

Para que o colaborador se sinta motivado, é necessário que os objetivos e metas da empresa sejam claros e atingíveis.

Logo, a organização precisa incentivar esse interesse e propor tarefas atraentes para o trabalhador, as quais devem ser alcançadas gradualmente, considerando as diferenças individuais das pessoas.

Por exemplo, se o objetivo é crescer em vendas, não faz sentido um vendedor receber uma meta de aumentar em 10% e outro em 50%.

Mas há ainda outros cuidados que é preciso ter antes de traçar objetivos e metas e isso está relacionado ao risco de estreitar demais o foco, perdendo oportunidades.

Objetivos e metas: as piores práticas

Em artigo na Fast Company, a colunista Stephanie Vozza traz uma reflexão de que objetivos e metas, quando ferrenhos e seguidos cegamente, podem levar ao insucesso. 

Para chegar a essa afirmação, ela ouviu Adam Galinsky, professor de negócios na Columbia Business School e pesquisador líder no assunto.

Em sua pesquisa, ele concorda que objetivos e metas podem ser bons motivadores para pessoas que desejam ter um bom desempenho, manter o foco e se engajar. A desvantagem é que eles podem levar a comportamentos e consequências indesejáveis.

Como exemplo, ele cita o caso dos funcionários da Ford, que negligenciaram os testes de segurança para colocar um determinado veículo no mercado.

“Metas que são mais fáceis de alcançar e medir (como quantidade) podem receber mais atenção do que outras metas (como qualidade) em uma situação de múltiplas metas”, escreveu.

>> Leitura recomendada: Quer aumentar a transparência no ambiente de trabalho? Comece implantando a mensuração de resultados

A colunista também entrevistou Bill Sanders, diretor-gerente da empresa de consultoria em estratégia operacional na Roebling Strauss, que afirma que objetivos e metas muitas vezes trazem uma “visão de túnel”.

Ele diz: “Líderes focados em uma meta específica tendem a perder formas alternativas de alcançar os mesmos ou melhores resultados, ignoram os sinais de alerta que o ‘motor está quente’ e perdem o que poderiam ter aprendido na jornada pensando apenas no destino ”.

Outro alerta feito em relação a objetivos e metas é que eles podem promover um comportamento antiético.

Como exemplo, o professor descreve algumas situações: o caso da unidade automotiva da Sears, quando os funcionários cobravam dos clientes reparos desnecessários a fim de atender a objetivos específicos e desafiadores. 

O segundo caso citado aconteceu no final da década de 1980, quando os trabalhadores da Miniscribe enviavam peças quaisquer aos clientes em vez de unidades de disco só para atender às metas de envio.

E por último, em 1993, ele lembrou de quando colaboradores da Bausch and Lomb falsificaram demonstrações financeiras para atender às metas de lucro.

Anisha Vinjamuri, CEO da empresa de consultoria de gestão InnovationsIQ, acrescenta: “metas podem desencadear o medo do fracasso”. E mais: “o estabelecimento de metas extremas mata a criatividade”.

A solução então estaria em não estabelecer objetivos e metas? Com certeza não.

A questão é pensar em objetivos e metas de forma consciente e realista e, antes de tudo, valorizar os recursos humanos, considerando a espontaneidade de cada um individualmente, não apenas sua capacidade estratégica.

Os 5 princípios de Locke

Existem 5  princípios para estabelecer objetivos e metas, segundo a Teoria de Locke:

1. Clareza

Quanto mais específicos e claros são os objetivos e metas, melhor o colaborador entende o que precisa ser feito, o que se traduz em melhores resultados.

2. Desafio

Objetivos e metas precisam ser suficientemente desafiantes para motivar, mas não muito difíceis ao ponto de serem considerados impossíveis, despertando uma reação negativa na equipe.

3. Comprometimento

Geralmente, os objetivos e metas não são individuais, eles dependem do comprometimento de todos. Por esse motivo, faz parte de uma gestão estratégica envolver a equipe no processo de definir bem quais serão os objetivos e metas.

>> Leitura recomendada: Alinhamento estratégico: as pedras que estão no caminho da execução

4. Feedback

Metas precisam ser mensuráveis, ou seja, devem ser medidas. Isso pode ser feito por meio de KPIs.  

São esses indicadores que irão gerar dados para comunicar aos colaboradores como está o seu desempenho.

Além disso, deve haver um clima organizacional adequado e uma cultura de feedbacks que motive os colaboradores, não que os ponha para baixo, trabalhando sempre em cima de falhas e por pressão.

5. Complexidade das tarefas

Ao estabelecer objetivos e metas, é preciso ter o cuidado de não criar tarefas muito complexas, já que isso pode impactar a autoestima do colaborador, impactando na produtividade e na motivação.

Não deixe de desenvolver e revisar seus objetivos e metas ao longo do ano. Você também pode ir lançando novas metas conforme elas forem sendo atingidas. Mas caso não consiga alcançá-las, isso deve ser usado como aprendizado: encontre as falhas e veja como é possível melhorar a produtividade.

Lembre-se: os objetivos e metas não devem ser instrumentos de competição e desavenças para os membros da sua equipe. Pelo contrário: eles devem estimular a colaboração e o crescimento de todos.

Como usar o Runrun.it para acompanhar os objetivos e metas da empresa

Quando falamos em transformação digital e em gestão 4.0, falamos em automação de processos.

Independentemente do método escolhido para estabelecer os objetivos e metas, eles podem ser facilmente adaptados à realidade da sua empresa com a ajuda de um software de gestão, como o Runrun.it.

Através da ferramenta, que também ajuda a realizar a organização das tarefas e a gestão de processos, fica muito fácil ver se os seus objetivos e metas estão próximos de serem atingidos.

A plataforma se divide em três níveis hierárquicos básicos: clientes, projetos e tarefas. No OKR, por exemplo, cada objetivo pode representar um projeto e as tarefas relacionadas a ele serão justamente as ações práticas para alcançar as metas ou Key Results.

O Runrun.it possui um Dashboard customizável, no qual é possível acompanhar o andamento desses projetos de acordo com suas principais métricas, estimulando a cultura de resultados.

Conheça hoje mesmo o Runrun.it. Faça um teste gratuito: http://runrun.it/pt-BR

objetivos e metas”=

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>