Descubra como transformar suas estratégias em resultados com o OKR

Descubra como transformar suas estratégias em resultados com o OKR

OKR é uma metodologia de gestão de resultados, que busca o envolvimento colaborativo de todas as áreas para alcançar um objetivo em um curto prazo de tempo.

O método já existe desde os anos 70, mas empresas de vários portes e segmentos têm apostado cada vez mais neste modelo de gestão para melhorar os seus resultados. Descubra  como você também pode levar essa estratégia para o seu negócio:

 

O que é OKR?

Em resumo, a metodologia OKR – do inglês Objectives and Key Results – Objetivos e Resultados-chave – trata-se de um sistema simples para criar alinhamento e engajamento em torno de metas mensuráveis e dinâmicas. 

O termo OKR foi criado por Andrew Grove, presidente da Intel na década de 70, como uma estratégia de gestão que desse conta dos avanços tecnológicos e inovações do mercado da época. 

Adotado pelo Google logo no início da empresa, o método possibilitou o aumento de 40 funcionários para sua rede de mais de 60 mil colaboradores em todo o mundo. Isso demonstra como o modelo de OKRs pode ser aplicado em uma gestão por resultados, por pequenas e médias empresas.

Além do Google, o número de empresas que utilizam OKR é enorme. Somente no Vale do Silício, Twitter, LinkedIn, Dropbox, GoPro, Coursera, Eventbrite, entre outras várias adotam o OKR. No Brasil, a lista inclui empresas como Nubank, VivaReal, Locaweb, ContaAzul, Moip e nós, do Runrun.it.

Os OKRs sempre estiveram no DNA do próprio Runrun.it. De acordo com o cofundador AC Soares neste artigo escrito para a Endeavor, desde o início da empresa, a ideia era conduzi-la de forma que a estratégia não ficasse desconectada da operação. 

No começo aconteciam reuniões mensais com toda a equipe, nas quais os números eram compartilhados e explicados. Mas o Runrun.it foi crescendo e esses encontros se tornaram mais escassos. 

À medida que entravam e saíam pessoas, a impressão era de que o foco estava se perdendo. Foi quando os OKRs foram implementados. 

Com os OKRs, tudo ficou claro para todos. E o próprio Runrun.it teve papel fundamental nesse processo. “Comecei a perceber que os colaboradores só entenderam de fato a existência e a importância dos OKRs quando, ao criar tarefas no Runrun.it, eles tinham que relacioná-las com o projeto correspondente ao seu OKR”, afirma AC.

Quais os benefícios e como implementar OKRs?

Em primeiro lugar, é necessário entender que os OKRs devem fazer parte da identidade da empresa, na forma de uma cultura de comunicação e compartilhamento de objetivos interrelacionados, que podem ser alcançados de forma individual ou coletiva.

Isso significa levar os objetivos macro da empresa para os colaboradores, fazendo uma gestão de metas por meio de ações e resultados claros. A iniciativa vai possibilitar que cada profissional entenda o seu escopo de trabalho e, assim, direcione seus esforços sem gastar energia no que não interessa.

A implementação da metodologia OKR representa uma verdadeira alteração na mentalidade da sua equipe como um todo. A gestão objetiva de OKRs tende a elevar a produtividade e reduzir de forma grandiosa o tão temido estresse no ambiente de trabalho. 

Ou seja, o colaborador se sentirá motivado ao trabalhar em cima de metas claras e resultados tangíveis, ao longo de um tempo (não mais que um trimestre) estipulado.

Ao produzir mais, a autoestima do colaborador aumenta e o ambiente de trabalho torna-se mais leve e alegre. Ou seja, trata-se de uma equação em que todos saem ganhando.

>> Leitura recomendada: Motivação profissional: Por que bons profissionais se demitem?

Faz sentido incorporar OKR no home office?

Produtividade é um tema sensível no trabalho remoto. Por um lado, nossa produtividade melhora quando diminuímos a quantidade de conversas paralelas, por exemplo. Por outro lado, a falta de alinhamentos e uma boa gestão do tempo colocam em xeque o desempenho das equipes. 

Neste cenário, o OKR se torna um recurso que ajuda a refinar as expectativas da empresa com as dos colaboradores, que podem não apenas sofrer com falta de eficiência, mas também se distanciar da cultura organizacional. 

Segundo a pesquisa do Runrun.it, somente 50% dos colaboradores admitiram conhecer com clareza as metas e objetivos de seus empregadores. Uma das dificuldades do home office apresentada pelo estudo é a falta de comunicação e colaboração, que foi destacada por 48,5% dos 252 colaboradores ouvidos. Sem transparência a equipe pode ficar perdida sobre o seu papel no todo da empresa.

O OKR, portanto, torna-se um facilitador do trabalho remoto. Afinal, o colaborador se sentirá motivado ao trabalhar em cima de metas claras e resultados tangíveis, ao longo de um período específico.

>> Leitura recomendada: Saúde mental no home office: como cuidar do bem-estar

Para incorporar de maneira correta os OKRs, é preciso saber medir

John Doerr, um dos grande nomes da área de tecnologia, fala um pouco sobre a metodologia OKR no vídeo abaixo: 

Perceba que, para ele, toda boa meta deve ter a seguinte estrutura:

“Eu vou ________ medido por ____________”.

Ou seja, uma boa meta tem que listar o que você vai realizar e a maneira como você vai medir seu atingimento. Essa regra é a melhor maneira de se explicar a estrutura de um OKR:

Eu vou (Objetivo) medido por (esse conjunto de Key Results).

Nessa regra, percebemos que um OKR tem dois componentes: o Objetivo, ou seja, o que queremos atingir, e um conjunto de Key Results que servem como ferramenta de medida para ver se estamos chegando lá.

Assim, OKRs devem ir bem direto ao ponto e seguir as seguintes regra de ouro para serem criados:

  • Todos devem, obrigatoriamente, conter números.
  • Todos devem ser mutuamente acordados entre gestor e profissional.
  • Cada pessoa deve possuir, no máximo, 5 objetivos macro com 4 resultados chave para cada objetivo macro.
  • Ao menos 60% dos objetivos devem ser definidos bottom up, ou seja, pelo próprio profissional que trabalhará neles.
  • OKRs devem ser pensados em curto prazo, estabelecendo metas, no máximo, a cada trimestre.
 

OKR Bottom Up e Top Down: o que significa isso?

A gestão de objetivos normalmente é realizada de cima para baixo (Top Down), ou seja,  costuma ser decidida em reunião de diretoria, sem o envolvimento do quadro de colaboradores.

Porém, a metodologia OKR utiliza uma abordagem diferente, na qual apenas 40% dos objetivos são definidos pela alta administração e 60% são desenvolvidos pelos demais profissionais que compreendem a organização (Bottom up).

É como se o CEO de uma empresa de jogos para celular definisse, no OKR macro da empresa, uma meta de aumentar o lucro para 2 milhões de reais no ano. 

Os gestores e líderes de cada área se encarregam de discutir com as equipes como cada uma – e também como cada funcionário – pode contribuir para chegar a esse lucro. Dessa discussão sairiam os OKRs de área e, abaixo deles, o OKR de cada funcionário.

OKR por meio da gestão participativa

Falar em OKR implica falar em gestão participativa, em que as diretrizes não são apenas compartilhadas, mas são pensadas por cada equipe da empresa. Assim, essa metodologia é um dos elementos que compõem uma boa gestão participativa, além de ser uma ferramenta muito útil para reforçar o engajamento do quadro de colaboradores da empresa e aumentar a produtividade.

Ao envolvê-los no processo de elaboração de metas, certamente você irá se surpreender com os resultados atingidos. As pessoas se sentem valorizadas e se sentem fazendo definitivamente parte da organização.

OKRs e indicadores de desenvolvimento

No processo de mensurar os resultados atingidos, os OKRs podem se relacionar aos indicadores de desempenho da sua empresa. 

Indicadores de produtividade: relacionam-se à produtividade de cada colaborador, por hora trabalhada e por hora/máquina. Ou seja, correspondem ao uso dos recursos da empresa a partir da avaliação das entregas.

Indicadores de qualidade: estes ajudam a compreender qualquer desvio ou não-conformidade ocorrida durante um processo produtivo. Devem estar sempre juntos aos KPIs de produtividade.

Indicadores de capacidade: Key Performance Indicators que mensuram a capacidade de resposta de um processo.

Indicadores estratégicos: são os KPIs que servem de bússola. Com eles, os gestores descobrem onde está a empresa em relação aos objetivos que foram estabelecidos anteriormente. Indicam o caminho e fornecem um comparativo de como está o cenário atual da empresa em detrimento ao que deveria ser.

Como implementar o OKR na sua empresa

Agora que você já conhece as noções básicas relativas à estratégia OKR, confira nossas dicas e se prepare para implementá-las na sua empresa.

1. Organize o cenário

Introduza o conceito de OKR junto ao seu time, explicando como as definições de objetivos e métricas de resultados afetam a performance da equipe como um todo. Permita que seus colaboradores se familiarizem com as definições básicas dessa nova metodologia. 

Os OKRs devem ser ambiciosos e as Key Results tendem a puxar os colaboradores para fora de suas zonas de conforto. Portanto, sua empresa deve estar preparada para atravessar uma curva de aprendizagem

2. Identifique os objetivos

Incentive sua equipe a participar de um brainstorm para definir quais serão os objetivos específicos e lembre-se de que eles devem estar diretamente relacionados e alinhados às metas macro da empresa. De início, procure apresentar aos colaboradores de 3 a 5 metas ambiciosas.

3. Identifique seus resultados

Agora é o momento de listar os Key Results mensuráveis que indicarão se você e sua equipe estão atingindo os objetivos. Lembre-se de que você não está lidando com tarefas e, sim, com resultados.

É possível que alguns de seus Key Results necessitem da colaboração de outra área ou equipe de sua empresa. Assim, não deixe de fazer o follow up com eles de tempos em tempos. 

4. Revisão e Análise

Revise sua listagem de objetivos e os Key Results correspondentes. Vale se perguntar se você está sendo ambicioso o suficiente, ou se você ainda se encontra na sua zona de conforto. Procure subir os níveis do target até o ponto em que se sinta verdadeiramente desafiado. 

5. Pontuação

A pontuação, ou scoring, é o instrumento utilizado para medir os Key Results. Uma pontuação baixa pode indicar que sua equipe está longe de atingir os objetivos. Por outro lado, uma pontuação muito alta talvez demonstre que os objetivos definidos talvez sejam pouco ambiciosos.

Uma sugestão é adotar a escala de 0.0 – 1.0 do Google, cuja expectativa é ficar com a nota de 0.6-0.7 no atingimento das metas. 

[Webinar] Como colocar os OKRs em prática

O CEO do Runrun.it, Antonio Carlos Soares, conversou com Souzanne Dupont, CPO da GhFly Network, sobre como aplicar essa metodologia nas empresas. No vídeo, ambos compartilham suas experiências sobre o assunto, confira:

OKR e Runrun.it: tudo a ver

Adotar o modelo de gestão OKR significa amadurecer o seu negócio. Para avançar ainda mais, o ideal é organizar a sua operação em um gerenciador de tarefas e projetos como o Runrun.it.

A ferramenta coloca gestores a par do desenvolvimento dos projetos de maneira simples e ágil. Dessa forma, você acompanha os resultados alcançados e faz mudanças necessárias para atingir os objetivos.

Além disso, a arquitetura flexível da plataforma permite que os colaboradores se engajem em suas tarefas com informações completas e centralizadas, agilizando a entrega de uma demanda. 

Teste o Runrun.it e leve essa visão estratégica para a sua empresa você também: https://runrun.it/

okr

6 thoughts on “Descubra como transformar suas estratégias em resultados com o OKR

    1. Olá, Renato. Que bom que nosso conteúdo foi enriquecedor para você! Esperamos que você continue por aqui conhecendo nossos outros artigos! Um abraço!

  1. Olá pessoal! Estou a procura de empresas ou consultorias especializadas na implantação desse sistema. Vocês teriam algumas para me indicar? Muito obrigada!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>