Descubra como criar o processo criativo perfeito para você

Descubra como criar o processo criativo perfeito para você

Você já deve ter ouvido falar que a criatividade é uma soft skills do futuro do trabalho, não é mesmo? Independentemente da área de atuação, os profissionais estão dedicados a conhecer seus gatilhos de inventividade para elaborar um processo criativo com métodos e ferramentas que ativam o seu pensamento criador.

A tática de influenciar cognições criativas têm um forte impacto no ambiente de trabalho, já que empresas e funcionários estão atentos para projetar processos criativos perfeitos para as suas necessidades profissionais.

Pensando nisso, desenvolvemos este artigo com tudo o que você precisa saber sobre processo criativo. Confira!

 

Quais são as etapas do processo criativo?

Existe ciência no processo criativo! A primeira teoria deste cunho surgiu em 1926 pelo psicólogo inglês Graham Wallas (1858-1932). Ele propunha a ideia de que a estrutura do processo criativo está organizada em quatro estágios: preparação; incubação; iluminação; e implementação.

O modelo conhecido como 4-stage model inspira processos criativos até hoje. Conheça mais sobre cada fase. 

1. Preparação

Levando a ideia de preparação para o ambiente de trabalho, essa fase diz respeito ao mapeamento das informações basilares para compreender o escopo do projeto. Tais como: público-alvo, necessidades do cliente, prazos e outras informações que vão assimilar a equipe sobre objetivos e metas.

Investir tempo na fase de preparação pode representar uma economia ao longo do projeto. Isso porque quando se entende de forma consistente a proposta, a equipe cria atalhos mentais para chegar às melhores soluções. 

Esses atalhos podem ser recordações de um trabalho similar que deu certo, uma ferramenta que pode ajudar no desenvolvimento ou mesmo ações que talvez não sejam recomendadas para este tipo de projeto. 

Para isso, é necessário investir em reuniões produtivas e, inclusive, adotar metodologias como Scrum para promover retrospectivas sobre aprendizados de cada projeto.

>> Saiba como adotar Sprints da metodologia Scrum na sua empresa: Sprints: conheça essa forma ágil para a entrega de projetos

2. Incubação

A etapa de incubação é o período mais inconsciente do processo criativo.

Nessa fase, as informações coletadas anteriormente são maturadas e aos poucos são transformadas em perspectivas para possíveis ações. Por isso, o ideal é que após as reuniões de alinhamento, a equipe tenha um tempo para refletir sobre o projeto.

Conhecendo a realidade de aceleração das empresas, para essa fase funcionar bem é preciso investir em planejamento para alocar todas essas fases de maneira sinérgica e não acabar encavalando as demandas. Portanto, se o ideal é iniciar o projeto daqui duas semanas, dia 28, e hoje é 17, que tal criar um fluxo de trabalho da seguinte maneira:

  • Reunião de alinhamento no dia 17;
  • Brainstorm para referências e insights no dia 21;
  • Quatro dias úteis para a equipe pensar as informações enquanto conclui os projetos anteriores.
 

Não existe um tempo específico de intervalo entre o primeiro contato com o escopo do projeto e o início do mesmo, o ideal é que ele exista e que não seja longo demais a ponto das informações fugirem da memória e nem curto dando a sensação de sobrecarga. 

3. Iluminação

Nessa fase as ideias começam a se materializar de forma mais concreta. Observe que na etapa anterior, de maneira inconsciente, a equipe refletiu sobre possibilidades e algumas foram se definindo a ponto de permanecerem na fase de iluminação. Enquanto outras foram descartadas, pois não tiveram aderência. 

>> Leitura recomendada: Os benefícios do trabalho em equipe para sua empresa

Uma dica para esta etapa do processo criativo é se conectar com atividades e temas não diretamente relacionados com o projeto em si. Sair da zona de conforto pode ajudar a visualizar melhor o projeto e ter ideias mais inovadoras. 

Esse movimento de serendipidade significa o encontro frutífero de duas ou mais coisas que podem se complementar. 

4. Implementação/verificação

A última fase do processo criativo é a mais operacional, mas também a que define o sucesso do projeto. Até agora, a equipe criativa tinha boas ideias, nesta fase ela vai promover testes para verificar a aderência das hipóteses antes de colocar o produto ou serviço na rua.

Na indústria da tecnologia existe o conceito de Mínimo Teste Viável (MVT). A ação de realizar experimentações para validar a efetividade do projeto pode ser adaptada para outras áreas, pois para executar o MVT você precisa ter:

Hipóteses adquiridas a partir do trabalho, nos retornos dos clientes ou em experiências anteriores;

Métricas para validar a eficácia do projeto a partir de parâmetros que capturam o valor das hipóteses;

Avaliar a eficiência das hipóteses a partir da análise sobre o quão relevante a hipótese é para o sucesso do projeto; o quão confiante a equipe está na execução da hipótese; o quão fácil é executar a proposta.

Com o devido investimento nessas quatro etapas do processo criativo, a equipe fica mais motivada, pois tem tempo e recursos necessários para executar projetos com mais qualidade. Ainda assim, existem obstáculos nesse processo, descubra como evitá-los a seguir. 

Principais obstáculos do processo de criação 

Como você pode perceber, ideias inovadoras carecem de método, ferramentas e tempo para serem elaboradas. Para que essa trajetória de criatividade e inovação seja efetivada na rotina da sua equipe, confira como orientar os seus colaboradores e as melhores dicas para motivá-los. 

O seu processo de feedback é construtivo?

É normal as pessoas temerem críticas e acabarem ficando na zona de conforto para não lidarem com essas situações, esse temor é ainda mais agravante para pessoas em nível júnior e/ou com menos tempo de empresa.

Neste sentido, a postura do gestor é essencial para que os colaboradores ousem em suas propostas e pensem fora da caixa. 

Para isso, a dica é fornecer um briefing com as informações básicas do projeto, mas deixando livre para que o colaborador construa de maneira autônoma a sua própria forma de responder à demanda. 

A proposta fugiu do combinado? Vale primeiro avaliar se houve algum ruído na comunicação. Já o feedback precisa se concentrar em explicar porque a entrega não agradou seguindo os direcionamentos básicos e tentar entender porque o colaborador seguiu aquele caminho. 

Entender como e porque determinada ação surgiu te ajuda a orientar de maneira mais profunda o colaborador do que apenas pontuar aquele trabalho específico.

>> Leitura recomendada: Do planejamento à entrega de projeto: dicas para uma gestão bem-sucedida

Onde está faltando direcionamento?

Falando sobre direcionamentos, esse ponto é o que costuma atrapalhar o processo criativo. No entanto, (muitas) às vezes os apagões de orientação podem vir desde o cliente e acabar estourando nas mãos de quem executa a demanda.

Por isso, é válido olhar todo o processo de trabalho e buscar soluções para tais ruídos. A metodologia Scrum, citada anteriormente, promove a aproximação entre cliente e equipe para que a entrega faça sentido para o “dono do projeto” (cliente) e evite refações.

Além dessa adesão de metodologias ágeis, existem ferramentas que ajudam a melhorar solicitações de trabalhos. 

O Runrun.it, por exemplo, tem a funcionalidade de formulários customizáveis, no qual pessoas internas da empresa, bem como externas podem responder os questionários intuitivos com todas as informações necessárias para a equipe dar seguimento à solicitação.

Um grande ganho no uso dos formulários do Runrun.it em comparação aos e-mails ou WhatsApp, é que você especifica exatamente o que precisa. Afinal, é normal esquecer de solicitar algum dado importante que vai impactar na execução do projeto e resultar em mais e-mails descentralizados. 

>> Leitura recomendada: Saiba como criar um ambiente colaborativo

Suas demandas têm prazos realistas?

No caso dos prazos, além deles existirem, é preciso assegurar que sejam realistas para a dimensão da complexidade de cada tarefa. Afinal, começar uma demanda já com a corda no pescoço pode atrapalhar a criatividade.

Uma maneira consistente de definir prazos é por meio do timesheet do Runrun.it. O gerenciador de tarefas contabiliza o tempo que cada tipo de atividade leva para ser entregue, assim a empresa tem dados transparentes sobre investimento de recursos para fazer um planejamento de projeto mais assertivo.

Se você se atentar sobre esses pontos operacionais do processo de trabalho, ganhará segurança para que a equipe se sinta mais autônoma e confiante para explorar a criatividade disruptiva

Técnicas para desbloquear a criatividade

Dada a relevância do assunto, existem vários métodos para se aprender e aprimorar um processo criativo. São princípios que te ajudam a explorar suas habilidades naturais, superar os bloqueios e inserir a criatividade em sua rotina. 

Um truque para começar o processo criativo

Theodore Scaltsas, professor emérito de Filosofia Clássica na Universidade de Edimburgo, compartilha o que considera um “truque cognitivo” para resolvermos problemas de forma criativa.

Partindo do pressuposto científico de que nos baseamos nas experiências passadas para enfrentar novos problemas, ele dá a grande dica para o processo criativo: reinventar o problema.

“Uma maneira de desencadear essas soluções inovadoras é imaginar a eliminação das circunstâncias que estão bloqueando seu progresso, uma a uma”. De acordo com ele, o procedimento produz versões diferentes de um desafio.

Sua mente, então, vai disparar um novo conjunto de soluções, das quais uma ou mais podem funcionar. Mesmo que a solução que você escolher não for a usual, certamente se qualificará como uma solução criativa.

Um exemplo para ilustrar melhor o processo criativo

Imagine que você está numa sala e seu desafio é sair dela. As possibilidades convencionais são abrir a porta ou pular pela janela. Mas o que fazer se a sala estiver no 10º andar e houver um incêndio atrás da porta? Aquelas soluções convencionais serão fatais.

Para sobreviver nessas circunstâncias, você deve supor (antes de saber se isso pode ser feito) que pode pular com segurança pela janela; então, você considera como fazê-lo. Isso desencadeia o pensamento de um paraquedas, o que o faz enxergar as cortinas com um novo olhar.

Assim, você resolve o desafio da “saída segura” criativamente, ao transformá-lo em um problema de como construir um paraquedas com as cortinas.

O método do professor Scaltsas é bastante pessoal, mas pode ser perfeitamente aplicado ao campo profissional.

Estratégias para desenvolver o pensamento criativo no marketing

Foco no indivíduo: o cliente deve ser o centro da organização, por isso ofereça produtos e serviços personalizados, de modo que o consumidor se sinta distinto, privilegiado.

Flexibilidade é fundamental: assim como é preciso entregar um produto mais adequado, você deve encontrar formas de diferenciar a apresentação desse mesmo produto para outros consumidores. Deve ser flexível nas soluções que oferece.

União de forças: muitas empresas têm unido habilidades para garantir a flexibilidade e oferecer inovações mais robustas. Principalmente no que se refere à tecnologia. É comum que uma organização desenvolva um produto original — mas que, para realmente entregá-lo, precise recorrer a uma estrutura tecnológica que não tem. Então, achar um parceiro para isso pode ser muito mais interessante do que investir no desenvolvimento dessa tecnologia. Em outras palavras, o principal aprendizado é: durante o processo criativo, você não precisa abraçar o mundo.

Ferramentas que estimulam o processo criativo

Assim como o processo criativo tem ciência, existem ferramentas que ajudam a estimular a criatividade e deixar as ideias mais organizadas para que se tenha foco sem perder a autonomia. Algumas dessas ferramentas são:

O Runrun.it é uma ótima opção para as equipes que querem se manter produtivas sem perder a autonomia de desenhar o próprio workflow a partir de suas prioridades e afinidades.

Para isso, a ferramenta te ajuda a desenvolver a autogestão com informações transparentes sobre a sua produtividade. Adote o Runrun.it na sua empresa você também, teste grátis: https://runrun.it/

processo criativo”=

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>