Como smartwatches e wearables irão mudar sua forma de trabalhar

Como smartwatches e wearables irão mudar sua forma de trabalhar

Profissionais que estão à frente das finanças de uma empresa, como CFOs, VPs e diretores financeiros, dormem e acordam pensando no mesmo: estratégias para diminuir custos e aumentar a produtividade da equipe. Pois temos duas boas notícias. Quem conta a primeira é Franklin Valadares, CTO do Runrun.it, num artigo em que cita tudo que já foi tentado por gestores, inclusive ele, para mensurar e alocar o tempo de uma equipe, e chega à conclusão de que a solução mais certeira é adotar um sistema integrado da gestão do trabalho. Para entender o que isso significa, clique aqui. E a segunda boa nova, que motivou este texto, é a de que a batalha contra a angústia dos gestores pela baixa produtividade de seus times pode contar, cada vez mais, com a força de novos aliados: os wearables. Você não imagina como essa tecnologia é poderosa.

Os wearables, como são chamados os dispositivos inteligentes que podem ser presos ou acoplados ao corpo, especialmente os smartwatches, serão estratégicos para o sucesso de qualquer negócio daqui pra frente. É o que aponta o relatório “Putting Wearables to Work”, produzido pelo Salesforce em 2015. Prova dessa tendência é que o Runrun.it já tem disponível aplicativo para smartwatch Android. Veja aqui!

Se você acreditava que esses dispositivos seriam úteis apenas para entretenimento, veja outras constatações do estudo e entenda como essa tecnologia pode ser aplicada no mundo profissional, contribuindo para a economia de receita e tornando as decisões de líderes mais seguras e estratégicas.

1. Dê as boas-vindas aos Wearables

Aqui estamos falando dos relógios, pulseiras, óculos e até colares inteligentes, que deverão se tornar os melhores amigos do seu smartphone nos próximos anos e, num futuro não tão distante, substituí-lo.

Para você ter uma ideia, de acordo com o estudo do Salesforce, a expectativa do mercado é que o uso de wearables no trabalho cresça 3x até 2017.

Além disso, 76% daqueles que já usam algum wearable relatam melhorias no desempenho da empresa desde que esses dispositivos passaram a ser adotados no trabalho. E 86% planejam investir ainda mais em wearables este ano, com o intuito de usufruir da sua tecnologia no escritório.

Em outro post recente, apontamos 5 tendências para o ambiente de trabalho, sendo que uma delas é justamente a adesão aos wearables. Não deixe de ler.

Persona_Maju_01

2. Como eles irão impactar sua rotina?

No dia a dia, você pode desde cronometrar seus minutos de meditação até acompanhar seu trajeto percorrido na caminhada, corrida ou de bike. Desde desaprender maus hábitos alimentares até checar a qualidade do seu sono.

Os wearables, além de acessório fashion, são um acessório fitness ideal para quem gosta de cuidar da saúde. Inclusive, essa é uma função recorrente para 21% dos donos desses dispositivos, indica o estudo Human Cloud at Work publicado em 2014 pela empresa britânica de computação na nuvem, Rackspace.

Já no trabalho, imagine que você não precisará retirar seu celular do bolso nem tocar nele. Todas as informações que você precisa acessar e os comandos que  precisa dar estão ao alcance do seu pulso.

Dizemos “pulso” pois são os smartwatches os wearables mais propensos a se tornarem os novos colegas de trabalho dos profissionais, em todas as áreas e camadas de uma empresa. Por uma simples razão: estão acessíveis o dia todo.

Na maioria dos casos, basta que o aparelho esteja conectado (por bluetooth) ao smartphone para acessar seus apps. Mesmo longe do computador, você não perderá nenhuma notificação, mensagem, solicitação ou ideia.

3. Usos práticos de smartwatches

A tendência é que, conforme o mercado e os dispositivos amadureçam, os usos serão cada vez mais diversos, e, os wearables, cada vez mais semelhantes a smartphones.

Isso acontecerá de tal modo que permitirão: acompanhar o andamento de projetos, acessar rapidamente informações e números sobre clientes e orientar a equipe à distância, incluindo a transmissão de conteúdo em tempo real (com smartglasses, por exemplo).

Os principais usos da tecnologia wearable, aponta o estudo, atualmente são: para acesso ao espaço de trabalho, como uma chave digital (para 23%); comunicação instantânea entre profissionais (20%) e gestão do tempo (20%).

Para os gestores,

os dados gerados a partir de aplicativos de gestão de tempo e projetos, CRM e gestão financeira em wearables atualmente já oferecem dados e, mais que isso, informações estratégicas para reduzir custos e aumentar a produtividade da equipe. É possível, por exemplo:

A) ter uma mensuração precisa do tempo investido pelos profissionais em suas tarefas, por meio do time-tracking integrado;
B) entender melhor se a distribuição de demandas aos colaboradores é sensata ou se há gargalos e, como resultado,
C) descobrir o que mais motiva as pessoas e o que deve mantê-las engajadas no trabalho.

Para os colaboradores,

a praticidade dos wearables para trabalho, especialmente dos smartwatches, está em:

A) ter acesso às prioridades do dia, sem ter de recorrer à memória, a uma agenda, e nem mesmo à tela do computador ou do celular;
B) poder facilmente iniciar a contagem de tempo investido nas tarefas, e entregá-las com a mesma facilidade, de modo a valorizar seu esforço, e informar se há coerência nas horas de trabalho contratadas pelo cliente, e
C) estar em permanente contato com a empresa, para receber orientações rápidas e responder e-mails de clientes;

Além disso, o estudo The Human Cloud At Work, conduzido por pesquisadores da Universidade de Londres com profissionais de uma agência de publicidade, descobriu que o seu aumento de produtividade, graças ao uso de um wearable, pode ser de quase 10%.

4. Desafios e soluções

Em 2015, apenas 8% dos gestores usuários de wearables consideravam suficientes para tomar decisão os insights provenientes do uso desses dispositivos pelos profissionais, afirma o estudo do Salesforce.

No entanto, conforme se aumenta o estímulo à adesão a essa tecnologia, maiores serão as chances de vermos mais e mais profissionais usando seus wearables e contribuindo para a construção de um ambiente de trabalho mais transparente, inteligente e integrado.

“Wearables são a próxima fase da revolução mobile. Assim como foi com os smartphones, a chave para o sucesso dessa tecnologia no trabalho está nos aplicativos,” pontuou Lindsey Irvine, diretor global do Salesforce.

Isto é, as possibilidades de uso que os apps oferecerem serão cruciais para ditar seu sucesso. Mas, parece que nesse quesito a tendência é a mais positiva. Em 2015, havia mais de 4 mil apps disponíveis para a linha de smartwatches Android, e mais de 8 mil para Apple Watch.

O estudo do Salesforce ainda destacou que as empresas podem se preparar melhor para incorporar a cultura de wearables no ambiente de trabalho, adotando, por exemplo a política “Traga-Seu-Próprio-Wearable” (BYOW em inglês), como já fazem 54% das empresas.

  • Para ler todo o relatório do Salesforce, entre aqui.
  • Para saber sobre o Runrun.it para smartwatch, clique aqui.

Runrun.it

Conheça o aplicativo de gestão de projetos, tarefa e fluxo de trabalho disponível para web, mobile e smartwatch, capaz de aumentar a produtividade de uma equipe de profissionais em 25%. Experimente grátis: http://runrun.it

smartwatches e wearables

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>