Trabalho em equipe: Guia para a igualdade de gênero

Trabalho em equipe: Guia para a igualdade de gênero

Não tenha dúvida: quanto maior a diversidade de pensamentos, mais eficiente é o trabalho em equipe. Mas afinal, as equipes na sua empresa são diversificadas? Reflita um pouco antes de responder: há um equilíbrio entre mulheres e homens, profissionais seniores e juniores, hetero e homossexuais, brancos, negros, orientais e índios? Achou muito difícil balancear todas essas diferenças? Comecemos, então, pela igualdade de gênero – em que as mulheres tenham os mesmos direitos que os homens e ocupem o mesmo número de cargos de liderança. Fomos atrás de uma série de estudos sobre o assunto e identificamos os quatro cenários de desigualdade que elas enfrentam profissionalmente, trazendo à luz algumas soluções.

( 1 )

Cenário: Mulheres desencorajadas a liderar

Conforme você avança na hierarquia de uma empresa, menos mulheres verá – afirma um estudo da McKinsey, mas você provavelmente já conhece essa realidade. Em 2015, elas representavam 45% dos estagiários e assistentes, e apenas 17% da chefia das empresas dos EUA. Por que isso acontece? Uma das principais razões é a seguinte:

“Pense na carreira como uma maratona: longa, esgotante e, por fim, recompensadora. Que vozes os homens ouvem desde sempre? ‘Você consegue! Continue… Você tem uma bela corrida pela frente’. E o que a maior parte das mulheres ouve, sobretudo quando sai da universidade? ‘Tem certeza de que quer correr? A maratona é bem longa… Você provavelmente não vai querer terminá-la. Não quer ter filhos um dia?’. E a torcida para os homens se fortalece: ‘Isso, vai! Ah, você já conseguiu.’ Para as mulheres, as vozes se tornam hostis: ‘Você vai mesmo continuar correndo, sabendo que as crianças precisam de você em casa?’”
— Sheryl Sandberg, chefe de operações do Facebook

Solução: Tome a iniciativa

Em 2010, a igualdade de gênero foi tratada como uma prioridade estratégica para só 28% das empresas em 2010, e um terço delas nem sequer cogitava essa iniciativa. Seguindo algumas das iniciativas adotadas pelo eBay, sua empresa também pode contribuir para a igualdade de gênero ao:
• Padronizar os salários entre mulheres e homens;
• Oferecer salário-maternidade (e paternidade);
• Permitir horários flexíveis para mães com filhos em creche;
• Garantir que haja candidatas e recrutadoras em processos seletivos;
• Rever os critérios usados em promoções para aumentar a diversidade entre novos líderes;
• Assegurar que mulheres em todos os níveis da empresa tenham planos de carreira e os discutam com suas gestoras e gestores;
• Criar a política de que cada presidente e vice-presidente ofereça treinamento e mentoria a um grupo de mulheres para desenvolvê-las;
• Convidar especialistas para falar com as equipes do assunto da igualdade de gênero e abrir espaço para discussão,
• Medir regularmente o progresso da igualdade de gênero na empresa.

( 2 )

Cenário: Mulheres representadas com mau gosto

As redes sociais são um dos canais mais poderosos para esclarecer às pessoas sobre os preconceitos que pairam sobre a figura feminina, mas também para reforçá-los. E o que mais vemos, infelizmente, é o segundo caso.

Nos comerciais de cerveja, quem serve de deleite aos homens enquanto transita pelo bar? Uma mulher de biquíni. Nos de produtos de limpeza e eletrodomésticos, quem é protagonista? Uma mulher na cozinha. E quem sempre acaba torrando o cartão de crédito, porque gastou tudo em roupas? Uma mulher.

Essa representação é reducionista sobre o verdadeiro sentido da vida de uma mulher, incutindo repetidamente na cabeça das pessoas que ela deve deixar seu corpo à disposição dos homens, que deve ser a responsável pelos cuidados domésticos e que dependerá de seu marido para consumir.

“As empresas são responsáveis também por impactar positivamente a sociedade. E os consumidores percebem isso, inclusive pagando mais por marcas que apoiam uma causa com a qual eles se identificam, como o feminismo. Mas não se trata de ir correndo para o coro feminista só porque é ‘o assunto do momento’. Trata-se de falar sobre isso porque é simplesmente a coisa certa a se fazer”
— Michele Morelli, vice-presidente de Marketing da AOL

Solução: Crie conteúdo sobre a autonomia feminina

Assegure que todo o conteúdo que sua empresa produz e divulga não rebaixa nem reduz mulheres, mas as coloca em situações de equidade de poder e independência em relação aos homens. As pessoas responsáveis pela redação e pela criação de arte devem ter em mente que uma campanha ou um simples post nas redes sociais pode levar uma mensagem que só reforça estereótipos e preconceito para inúmeras pessoas.

( 3 )

Cenário: Mulheres não são cogitadas para altos cargos

“Mesmo com habilidades e qualificação iguais aos homens, as mulheres têm mais dificuldade de alcançar cargos executivos”. Diante desta afirmação, 93% das mulheres concordaram – o que aconteceu com apenas 58% dos homens. É o que descobriu uma pesquisa conduzida pela McKinsey com mais de mil executivos de todo o mundo.

Esses números confirmam a percepção de que a maioria dos homens ainda desconhece a luta da mulher por um espaço que eles já conquistaram e, por isso, não se dedicam a promover iniciativas para revertê-la.

“O que quer que as mulheres façam, elas devem fazer duas vezes melhor do que os homens para serem vistas ainda com metade da qualidade”
— Charlotte Whitton, ex-prefeita de Ottawa (Canadá)

Solução: Reveja seus pré-requisitos

Afinal, existe algum empecilho comprovado para mulheres não serem cogitadas também para os altos cargos? Muito pelo contrário.

A pesquisa anual da Ketchum sobre liderança, com mais de seis mil entrevistados do mundo todo, aponta que as líderes desempenham melhor do que os líderes três dos cinco atributos críticos da liderança, identificados globalmente: 1) comunicar-se de forma aberta e transparente, 2) admitir erros e 3) trazer à tona o que os outros têm de melhor.

Outro estudo, “Women Matter” (“Mulheres importam”), da McKinsey, contou com mais de 900 empresas do mundo, e mostrou relações entre a diversidade de gênero dos líderes de equipes e a eficiência da empresa. Resultado: empresas com três ou mais mulheres em altos cargos de gestão pontuaram melhor em todas os atributos responsáveis pela eficiência de uma organização:
• liderança;
• cultura e clima;
• prestação de contas;
• coordenação e controle;
• capacitação;
• motivação;
• orientação;
• inovação;
• aprendizagem.

( 4 )

Cenário: Mulheres desrespeitadas e violentadas

Cantadas ofensivas na rua, medo de andar desacompanhada à noite, salário menor (62% do salário masculino no Brasil) e coerção para cumprir funções domésticas. Não bastassem esses desafios cotidianos, inúmeras mulheres ainda convivem diariamente com o assédio no próprio trabalho.
Noventa por cento das empresas americanas acumulam ocorrências de assédio sexual – o que engloba desde uma abordagem maliciosa até a tentativa de estupro.

“Quando homens são oprimidos, é uma tragédia. Quando mulheres são oprimidas, é tradição”
— Letty Pogrebin, jornalista e escritora

Solução: Tenha uma conversa séria

Empresas que prosperam são aquelas cujos executivos tendem a manter uma série de conversas desafiadoras, o que necessariamente envolve discutir desigualdade e preconceito no trabalho. Segundo a McKinsey, as questões abaixo deverão ajudar a impulsionar essas discussões e exterminar qualquer tipo de desrespeito e violência contra as mulheres:
• Onde estão as mulheres na hierarquia da empresa?
• Estamos contribuindo para que elas conquistem habilidades?
• Oferecemos benefícios financeiros justos e igualitários a elas?
• Estamos perdendo o preconceito implícito e inconsciente no dia a dia?
• A política e os valores da empresa contribuem para a igualdade?

( 5 )

(Bônus) Feminismo faz sentido?

 

O que há por trás de times que se dão bem?

Confira neste texto quais são os fatores fundamentais para que se crie conxões entre os colaboradores. Afinal, o trabalho em equipe pode gerar resultados melhores.

Runrun.it sobre o trabalho em equipe igualitário

Se todas as pessoas reunidas no trabalho em equipe cotidiano pensam a realidade de forma semelhante e colecionam vivências parecidas, não há embate de ideias. E é o que pode acontecer numa equipe sem mulheres. Por isso, leve este guia com você e o coloque em prática. O Runrun.it pode te ajudar nessa tarefa, tornado a relação de trabalho mais transparente. Crie sua conta grátis: http://runrun.it

trabalho em equipe

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>