Dicas valiosas de como fazer e-mail marketing

Dicas valiosas de como fazer e-mail marketing

Este é um velho conhecido que muitas vezes é mal utilizado. Mesmo com caixas lotadas, mailings sujos e spams, o e-mail marketing continua sendo uma ferramenta essencial para a comunicação das empresas. Mas para trazer resultados efetivos, é preciso se atentar a diversos detalhes. Reunimos aqui algumas dicas práticas de como fazer e-mail marketing: o que deve ser evitado, características que geram mais resultados e como desenhar a melhor estratégia.

E para quem fica na dúvida se a ferramenta está saturada demais e deve ser colocada de lado, é bom repensar a estratégia. Segundo o infográfico da Website Builder, a taxa de conversão de um e-mail é 3 vezes maior que posts em redes sociais. E 89% dos profissionais de marketing dos Estados Unidos afirmam que o e-mail é o canal prioritário para geração de lead.

Nosso case: uma newsletter com mais de 20% de abertura

A newsletter do blog do Runrun.it é um bom exemplo de sucesso. Em 2014, tínhamos a necessidade de aumentar a audiência do nosso blog. Uma ideia foi compartilhar esse conteúdo para a nossa própria base (enorme) de usuários, mas existia a sensação de que poderíamos mais incomodar do que ajudar.

Muitas discussões depois, em uma mensagem sobre uma nova funcionalidade da plataforma, incluímos o link de algumas postagens do blog junto na newsletter. A receptividade foi um sucesso e aconteceu algo que não estava previsto: as pessoas estavam encaminhando o e-mail para amigos e colegas, compartilhando o conteúdo.

O que era uma ação com foco na audiência do blog se tornou uma fonte de novos contratos, já que diversas empresas contrataram o Runrun.it a partir desse conteúdo. A newsletter foi apontada como uma das 9 melhores do país em 2016 – e indicada como a favorita pela curadora. Foi o reconhecimento de um trabalho que começou na última semana útil de 2015 – mais como uma forma exploratória do que como uma estratégia bem delineada.

Além de ajudar a crescer a audiência do blog e os cadastros na ferramenta, a newsletter colaborou (e colabora) para aumentar o awareness da marca, uma vez que leva conteúdo de qualidade para milhares de pessoas toda semana. Eis aí uma prova inegável de que não se deve subestimar uma ferramenta como o e-mail.

Mas como fazer e-mail marketing?

Uma das características que podemos extrair do case da newsletter do Runrun.it é a importância do conteúdo. Você deve analisar muito bem o que será dito. Não adianta um e-mail bonito, atraente, breve e gostoso de ler, se o que é entregue não é relevante para a pessoa. E é muito bom pensar no conteúdo e na segmentação desse conteúdo.

Segmentação

O conteúdo pode ser relevante, mas você tem que ir além na hora de como fazer o e-mail marketing. A mensagem deve carregar a exata informação que o consumidor precisa para você atingir sua meta. É recomendável uma ferramenta de envio que facilite essa segmentação, até para você poder fazer testes A/B de assuntos, temas e produtos.

Parametrize links

Vai incluir links para artigos do seu blog? Uma página para cadastro? Links dos seus produtos? Parametrize tudo. Só assim você saberá o que deu resultado. E essa geração de dados serve para toda a estratégia de e-mails. Defina as métricas como taxa de abertura, cadastro ou resposta e analise para identificar padrões.

>> Leitura recomendada: Marketing de conteúdo pode ajudar empresas

Envie uma oferta

De acordo com o infográfico do Website Builder, 70% das pessoas abrem e-mails de uma marca em busca de descontos ou ofertas especiais. Considere isso no seu plano para aumentar as taxas de leitura e conversão.

Aprenda com o Unsubscribe

São quatro as principais razões para não querer mais o seu e-mail na caixa de entrada:

  • o conteúdo não é relevante;
  • os e-mails são enviados com frequência demais;
  • a caixa de entrada já está muito cheia;
  • e a última razão é porque a pessoa simplesmente cansou da marca.

Veja que os dois primeiros pontos são de responsabilidade única e exclusiva do remetente, que é a definição do conteúdo e a frequência de envio. Isso dá uma grande lição do que deve ser observado na sua estratégia. Monitorando a taxa de unsubscribe, você pode avaliar que tipo de mensagem funciona melhor para o seu público.

O valor de cada linha

Se a mensagem começa com a repetição do assunto do e-mail, então você perdeu um espaço valioso do teaser (aquele preview do conteúdo que aparece em algumas caixas de entrada). E no corpo do e-mail, cada linha é preciosa. Vá direto ao ponto e evite repetições ou textos muito longos.

Não desista no primeiro e-mail

Sua mensagem está atraente, clara e com conteúdo realmente relevante para o destinatário. Porém, ela pode se perder na torrente de bilhões de e-mails e não ser lida na primeira vez. Persistir é necessário. Faça o acompanhamento do envio e retome a produção.

Envie com frequência, mas sem exagero

Ainda segundo o infográfico, 78% dos consumidores clicam em unsubscribe, porque a marca mandou e-mails demais. É importante manter uma frequência, mas você não pode virar mais um spam. Um a dois e-mails por mês é um número muito praticado ao se traçar estratégias de como fazer e-mail marketing.

>> Leitura recomendada: Dicas e ferramentas para agilizar sua gestão de marketing

No entanto, cabe a você identificar dentro do seu nicho qual é o volume que gera mais conversões (e menos unsubscribes).

Esse é o e-mail certo?

Vale lembrar que é necessário ter certeza de que o endereço de e-mail está certo. Não é apenas a grafia correta, porém você precisa saber qual é o e-mail realmente utilizado. É muito comum ter diversas contas, uma pessoal, uma profissional, a do antigo servidor… Em casos em que o próprio público deve preencher um cadastro de inscrição para receber a newsletter, o e-mail preferencial do seu usuário é obtido de forma mais direta.

Também é importante monitorar a taxa de abertura e a interação com as mensagens para limpar frequentemente a lista de contatos. Neste artigo da CIO, são discutidas quatro ações para manter e melhorar a qualidade do seu mailing.

Credibilidade

Você pode ser direcionado para a lista de spams mesmo não sendo um. Basta um endereço estranho de envio ou um assunto mal redigido. Por isso, atenção com o “cartão de visita” e estude como fazer e-mail marketing.

O disparo dos e-mails deve ser feito a partir de um servidor confiável, com um endereço que passe credibilidade, e também possuir um assunto claro, sem características clássicas de spams.

Alguns erros recorrentes

Além dessas dicas, vale dar uma espiada nos equívocos que fazem com que algumas mensagens não sejam lidas. Esta matéria do portal Entrepreneur traz uma lista contundente de como não fazer e-mail marketing:

Subject e primeiras linhas confusos

Quando se trata de e-mail marketing, o “misterioso” é inimigo do bom. A maioria dos tomadores de decisão não abre e-mails por pura curiosidade. Se o seu e-mail não for declaradamente relevante, ele não será lido.

Teaser egocêntrico

Sabe quando você recebe um e-mail e, no teaser, lê “Fulano(a), eu queria que você conhecesse…”; pois então. É uma péssima forma de começar a conversa. Pois o(a) remetente dificilmente terá interesse no que você ou sua empresa quer.

Nome do remetente no subject do e-mail

Provavelmente a melhor forma de garantir que seu e-mail seja deletado. De acordo com o texto do Entrepreneur, somente criadores de spam fazem isso.

Quando desligar o e-mail é uma boa decisão estratégica

Enfim, o e-mail tem que ser uma ferramenta para sua marca se comunicar com seus clientes. Mas, na comunicação interna da empresa, é importante que você considere deixá-lo um pouco de lado para utilizar uma plataforma específica de fluxo de trabalho.

Muitas empresas têm seguido por este caminho. Neste artigo sobre o fim do e-mail na comunicação interna, mencionamos o exemplo da multinacional britânica Virgin — que, desde junho de 2016, impediu milhares de colaboradores de usarem e-mails nas manhãs de quarta-feira.

Neste período, os colaboradores são encorajados a ir ao ginásio Virgin Active com a equipe, participar de brainstorms, clubes de corrida, ou conversar pessoalmente com seus colegas e gestores. A ideia era aumentar a interação entre a equipe, já que as pessoas dificilmente se encontravam pessoalmente.

Veja abaixo o infográfico da Website Builder com mais dados sobre a prática de e-mail marketing.

Email marketing

Ferramenta online para comunicação e planejamento

Há também os casos — cada vez mais frequentes — de empresas que, na comunicação interna, substituem o e-mail por uma ferramenta de gestão. Um exemplo é a gigante francesa de TI Atos, que baniu os e-mails da vida de seus mais de 76 mil colaboradores, em 52 países, e adotou uma ferramenta de colaboração online.

>> Leitura recomendada: 8 razões para substituir o e-mail por software de gestão

O Runrun.it é uma dessas soluções. A ferramenta permite a você diminuir a quantidade de e-mails da sua caixa de entrada, oficializa sem burocratizar e acompanha de perto o desempenho da equipe. Isso vai ajudar justamente a obter uma comunicação eficaz e a criar estratégias adequadas para seus clientes e projetos Faça um teste grátis hoje mesmo: http://runrun.it

 

Gif_Signup-1-1-3

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>