7 dicas para adotar a flexibilidade no trabalho na sua empresa

7 dicas para adotar a flexibilidade no trabalho na sua empresa

A flexibilidade no trabalho representa um conjunto de alternativas para que os colaboradores tenham mais liberdade de escolher como, quando e onde desenvolver suas tarefas, para aumentar a produtividade e alcançar sucesso profissional. Esse modelo de gestão do trabalho ganhou força ainda na década de 70, quando questões socioeconômicas e novas metodologias de trabalho colocaram em xeque a eficiência de uma gestão rígida. De lá para cá, a questão geracional deu novos contornos ao que representa flexibilidade no trabalho hoje.

Neste sentido, ser uma empresa flexível significa investir em rotinas desburocratizadas e  permitir o modelo de trabalho remoto ou híbrido sem enfraquecer o plano de carreira dos colaboradores. Ter uma gestão de pessoas alinhada a essas especificidades faz com que a flexibilidade não seja sinônimo de sobrecarga de trabalho, microgestão ou desconexão com a empresa. Para saber como esse modelo pode trazer benefícios para a sua empresa, acompanhe o nosso artigo.

 

O que é flexibilidade no trabalho?

A flexibilidade no trabalho está relacionada a dois âmbitos: maior liberdade das pessoas em escolher quando, onde e como trabalhar e a relação contratual entre empregador e empregado. Esse modelo de trabalho flexível deu seus primeiros passos na década de 1970, quando o sistema de produção guiado pela intersecção entre taylorismo e fordismo se mostrou ineficiente para lidar com a crise do petróleo, o que na época colocou em xeque a capacidade e a rentabilidade das empresas em produzir em grande escala. 

Nessa rearquitetura sobre o modo de produção, ganhou força o modelo toyotista. A metodologia-filosofia, baseada nos ideais do kanban e do kaizen, propõe o aumento da produtividade, flexibilidade e rentabilidade de processos e trabalhadores por meio de uma organização mais dinâmica e da melhoria contínua do desempenho das rotinas produtivas. 

Mas a flexibilidade no trabalho que conhecemos hoje foi incrementada pelo aspecto geracional. Os millennials (pessoas nascidas no início dos anos 1980) passaram a enxergar o sucesso profissional de uma maneira diferente dos baby boomers (os nascidos entre 1946 e 1964). Como resultado, surgiram novas formas de trabalhar, como home office, trabalho híbrido e nômade digital, bem como o desenvolvimento de uma cultura organizacional coerente aos valores de diversidade e autonomia, que tomaram forma com o ESG

No entanto, essa flexibilidade no trabalho se tornou possível pelo incentivo à transformação digital, que permitiu descentralizar de fato o trabalho do escritório sem diminuir a importância dos colaboradores no trabalho à distância. Esse incremento surge a partir da indústria 4.0, conceito empresarial que engloba automação, cultura de dados e internet das coisas (IoT, na sigla em inglês) ao escopo de aspectos do trabalho. 

Neste sentido é que também floresce o segundo âmbito da flexibilidade no trabalho: a questão contratual. A antropóloga Ludmila Abílio aconselha a divisão em duas classes de trabalhadores: os que vão se beneficiar com contratos flexíveis – geralmente esses profissionais desempenham funções de nível superior e, consequentemente, são os mais bem pagos – e a força de trabalho, que precisa se virar na informalidade em meio a contratos precários que estimulam a economia dos “bicos”, um dos derivados da gig economy.

Portanto, neste artigo, a flexibilidade do trabalho gira em torno do primeiro aspecto, referente aos benefícios das empresas em adotar a flexibilidade de escolha dos colaboradores sobre quando, onde e como trabalhar. Se você quiser saber mais sobre os efeitos da flexibilidade em relação a contratos de trabalho, confira o artigo da Ludmila “Uberização do trabalho: subsunção real da viração”, publicado na Boitempo, cujo link disponibilizamos ao final deste texto.

7 formas de desenvolver flexibilidade no trabalho

Existem alguns fatores imprescindíveis que a sua empresa precisa incorporar aos processos para conseguir adotar a flexibilidade no trabalho de maneira assertiva, como citado acima. O incentivo à transformação digital é um desses elementos determinantes para dar a liberdade de escolha aos colaboradores sem que a opção abale a conexão com a equipe e o plano de carreira. Pensando nisso, elaboramos esta lista com dicas de como adotar a flexibilidade no trabalho e o que você pode oferecer aos colaboradores.

1. Gestão 4.0 para implementar a flexibilidade no trabalho

Para adotar a flexibilidade de trabalho de maneira assertiva, além de implementar os recursos tecnológicos necessários para a execução e acompanhamento das tarefas, a liderança precisa ser capaz de absorver as especificidades desses pontos de contato para manter o fluxo de trabalho e informação equiparado para todos. 

Neste sentido, é preciso contar com líderes adaptados à gestão 4.0, modelo que é nativo da quarta revolução industrial, e serve como método para adequar as frentes de automação, integração e virtualização à gestão de pessoas

2. Metodologias de trabalho ágeis

Uma boa forma de solidificar a flexibilidade do trabalho é rearquitetar a gestão de processos da sua empresa para responder às exigências do mercado. Para isto, os rituais e métodos derivados das metodologias ágeis oferecem um conjunto de práticas para que você e a sua equipe desenvolvam rotina e projetos flexíveis sem abalar a estrutura das entregas. Dentre os direcionamentos está lidar com equipes mais enxutas e realizar reuniões frequentes de acompanhamento das tarefas com a equipe para manter todos na mesma página.

3. Descentralização do escritório para ter flexibilidade no trabalho

Incorporar metodologias ágeis e realizar a gestão 4.0 são elementos imprescindíveis para descentralizar a rotina produtiva do escritório sem abalar a qualidade das entregas e a conexão com a equipe, caso os colaboradores optem pelo trabalho remoto ou híbrido. Desenvolver essas capacidades é ainda mais essencial para o pós-pandemia, já que dentre as expectativas para o futuro do trabalho está que as pessoas passem a avaliar a necessidade do escritório de outra forma, bem como a sua própria habilidade de ser produtivo e fazer a gestão do tempo no presencial ou no remoto. 

Neste sentido, um software de gestão como o Runrun.it ajuda a levar o fluxo de trabalho para qualquer lugar, pois a ferramenta preserva as informações da sua empresa e deixa todos na mesma página sobre as tarefas do projeto. A metodologia da plataforma é baseada no kanban, que torna visual o fluxo de produção para que você entenda o que já foi feito e o que precisa ser realizado para entregar uma tarefa. 

Com o kanban você consegue acompanhar o andamento do fluxo de trabalho

A outra maneira de visualizar o fluxo do trabalho da sua equipe é no formato gráfico de Gantt, um recurso que coloca o planejamento do seu projeto em uma linha, e o Runrun.it adicionou a isso o indicador de capacidade, uma funcionalidade que mede o tempo de execução de uma tarefa pela disponibilidade do colaborador, assim os gestores não precisam contar apenas com a percepção sobre o esforço da equipe, mas sim com dados transparentes sobre a produtividade. 

Com o indicador de capacidade você consegue organizar as demandas da sua equipe pela disponibilidade e tempo de cada tarefa

4. Benefícios adaptados às necessidades

Se o debate sobre flexibilidade de trabalho compreende outras maneiras de trabalhar, essa discussão também inclui adaptar os benefícios para as necessidades dos modelos de trabalho, para que ninguém saia prejudicado, e fazer uma boa gestão no trabalho remoto. Por exemplo, a sua empresa pode ter uma parceria com uma rede de coworking para que, independentemente de onde estejam, seus colaboradores tenham espaço para trabalhar e, consequentemente, mantenham a produtividade no home office.  

>> Leitura recomendada: Equipe de alta performance: os segredos para turbinar os resultados

5. Carga horária flexível

Além de oferecer novos formatos de trabalho, a flexibilidade no trabalho também precisa assegurar o desenvolvimento da jornada que faça sentido para a rotina dos colaboradores. Isso significa que a vida pessoal e profissional devem estar em sinergia para andarem em equilíbrio. De acordo com uma pesquisa do Runrun.it, realizada com 252 colaboradores, 70% têm a expectativa de no pós-pandemia ter horários mais flexíveis. Quer saber mais sobre o assunto? Assista o webinar que o nosso CEO, Antonio Carlos Soares, gravou:

6. Horizontalidade hierárquica

A flexibilidade no trabalho também inova as estruturas hierárquicas, descentralizando a tomada de decisão nas mãos de uma única pessoa e contando com a opinião de quem coloca a mão na massa. Para isso, envolva a sua equipe em todas as etapas da gestão de projetos para que a construção seja um processo colaborativo.  

7. Plano de carreira para além do óbvio

No mesmo sentido que a flexibilidade no trabalho propõe outras hierarquias, os planos de carreira também precisam ser mais abertos, com a possibilidade dos colaboradores fazerem reskilling de suas competências e desempenharem novas funções. De acordo com o último relatório da consultoria Deloitte sobre gestão estratégica de pessoas, as empresas estão inclinadas a contar com a sua força de trabalho atual para ocupar posições estratégicas mesmo que para isso seja necessário investir em mentoria ou qualificação das habilidades. Um dos motivos é o capital social que o colaborador carrega a partir dos anos de trabalho, reconhecendo as necessidades e direcionamentos da empresa e conseguindo aplicar em novas áreas.

>> Leitura recomendada: People Analytics: A transformação da gestão de pessoas

Benefícios da flexibilidade no trabalho

A flexibilidade no trabalho já faz parte da racionalidade sobre a maneira de trabalhar, empresas que preferem não ser flexíveis podem ter suas justificativas coerentes, mas é preciso abrir mão da rigidez para responder às expectativas das pessoas. Este movimento de alinhamento às exigências pode ser bastante vantajoso para a sua organização. 

1. Retenção de talentos

Um dos principais benefícios de investir na flexibilidade no trabalho é reter seus talentos com rotinas maleáveis às expectativas de carga de trabalho, jornada e modelo de trabalho. De acordo com o levantamento “Global research reveals flexible working matters to employees”, feito pelo International Workplace Group (IWG), 83% dos entrevistados definem que a flexibilidade no trabalho é fator decisivo na hora de aceitar uma proposta de emprego.

2. Aumento da produtividade

Além de reter talentos, a flexibilidade no trabalho pode aumentar a produtividade, pois os colaboradores conseguem se dedicar às suas tarefas da maneira que acreditam se concentrar mais ou ter mais insights. Assim você consegue observar a vantagem de dar a liberdade à equipe de escolher onde e como prefere trabalhar. 

Para acompanhar de perto a produtividade da sua equipe, com o Runrun.it você consegue analisar o tempo investido em cada tarefa e o volume de entregas. Cruzando esses dados você extrai relatórios de produtividade mais transparentes sobre o que consome mais tempo da sua equipe e consegue tomar melhores decisões no seu planejamento.  

3. Inovação

A flexibilidade no trabalho possibilita inovação na forma de fazer as coisas, já que não tem um modelo rígido que deve ser seguido a qualquer custo, mas além disso, a hierarquia horizontal possibilita a troca de ideais transparentes com as equipes.   

4. Maturidade de gestão

Para colocar em prática a flexibilidade no trabalho, a sua empresa vai investir em elementos que tornam a sua gestão mais madura. Isso porque, no modelo tradicional, as opções são fixas e a flexibilidade aumenta o leque de alternativas, o que exige aprimoramento tecnológico, novas metodologias de trabalho que deem conta das especificidades do modelo e gestores comprometidos em deixar todos confortáveis e na mesma página. Para dar certo, a sua empresa precisa sair da zona de conforto e inovar sobre o próprio modo de entender trabalho e sucesso profissional.

Quer investir em flexibilidade no trabalho? Conte com o Runrun.it

A plataforma do Runrun.it oferece uma infraestrutura de gestão completa para que, independentemente da rotina da sua equipe, a comunicação e colaboração fluam de maneira organizada, produtiva e com recursos que evitam a sobrecarga de trabalho. Dentro da ferramenta, você encontra funcionalidades para montar o planejamento do seu projeto de forma online e interativa, servindo como um cronograma para a organização da pauta da equipe e para fazer conexões entre os prazos de entrega e a disponibilidade dos alocados. 

Conforme as suas tarefas vão sendo atualizadas, com o Runrun.it, você também consegue gerar relatórios de produtividade e rentabilidade da sua equipe. Com essas métricas transparentes, você evita a microgestão, tem informações sólidas para avaliar o trabalho da sua equipe e consegue exercer a confiança e ter a certeza de que, além de confortáveis, os colaboradores estão executando suas tarefas. Se você ainda não tem uma ferramenta de gestão para facilitar a flexibilidade no trabalho, crie a sua conta no Runrun.it e teste grátis: https://runrun.it

flexibilidade no trabalho” width=
 

Link de pesquisas e estudos mencionados:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>