Gestão do trabalho: como um sistema pode te ajudar

Gestão do trabalho: como um sistema pode te ajudar

A gestão do trabalho compreende o ato de gerenciar não só a sua própria rotina, mas também a de uma equipe. O que é fundamental para o dia a dia de uma área, ou mesmo da empresa como um todo. Porém, se já existe quem seja capaz de enlouquecer só com as tarefas que tem para realizar sozinho(a), imagine incluir, entre essas tarefas, aquela de comandar o desempenho de outras pessoas? Por isso, um sistema de gestão pode ser o que faltava para você fazer tudo que precisa!  

Veja o que você vai encontrar neste post: 

 

Os avanços são diretamente proporcionais aos desafios. Por isso, nós vamos falar sobre as mudanças históricas que influenciaram a visão de trabalho e gestão ao longo do século XX e XXI e quais são as estratégias que você pode usar atualmente, já que existem diversos métodos e sistema de gestão que facilitam o trabalho, tornam os processos menos burocráticos, fomentam um ambiente colaborativo e a comunicação transparente, o que contribui para um ambiente de empresa ser moderno e inovador. 

>> Leitura recomendada: Precisa de um sistema de gestão do trabalho? Descubra no Quiz

A evolução da gestão e do trabalho nos séculos XX e XXI

A reflexão sobre sistemas de gestão de trabalho remonta a muitos séculos atrás. Em sua famosa obra O Príncipe, o italiano Nicolau Maquiavel propôs que o medo constituía a forma mais eficaz de manipular os trabalhadores a realizarem seu trabalho. O curioso é que, mais de 400 anos depois, essa estratégia ainda seja utilizada em algumas organizações.

Já, nos tempos atuais, Antonio César Amaru Maximiano, professor e pesquisador da USP, ressalta a recorrência da microgestão. No livro Teoria Geral da Administração: da revolução urbana à revolução digital, ele comenta sobre as organizações e as lideranças coercitivas, que ainda usam sua influência para induzir os funcionários à submissão. É muito comum que esse tipo de comando seja construído a partir da insegurança e dos conflitos nas relações. Desnecessário dizer que o resultado seja o medo do desemprego e até a estagnação profissional.

>> Leitura recomendada: Motivação profissional: Porque bons profissionais se demitem?

Por mais que falemos de Maquiavel, o fato é que devemos ao século XX a forma como gerenciamos o trabalho hoje. Foi quando grandes transformações atingiram organizações que ainda estão em funcionamento – pois mudou-se a estratégia de administração.

Podemos dividir essa transformação em quatro períodos diferentes:

1. Era Industrial Clássica

Até meados de 1950, observamos um enorme crescimento da industrialização, em escala mundial. Foi neste momento que as organizações adotaram uma estrutura organizacional burocrática, conhecida pelo formato piramidal e centralizador.

Nessa época, os cargos eram designados de maneira fixa e definitiva para que se obtivesse o máximo de eficiência do trabalhador na sua jornada. Ou seja, ele era treinado apenas para exercer uma única função de modo a rentabilizar a operação da empresa e render lucros ao empregados. A gestão via os funcionários apenas como fornecedores de mão de obra bruta para operarem as máquinas.

2. Era Industrial Neoclássica

Tem início após a II Guerra Mundial (de 1950 a 1990), quando tudo começou a mudar de maneira intensa e muito rápida. As transações comerciais, que eram locais, passaram a ser regionais; e as regionais viraram internacionais, o que levou a um aumento significativo da concorrência entre as empresas.

Este foi o período em que organizações passaram a incentivar a inovação, uma vez que se tratava de uma estratégia para se defender e ainda ganhar espaço diante da concorrência. Assim, o desenvolvimento tecnológico proporcionou condições para que as empresas produzissem, em grande escala, uma variedade de produtos e serviços. Resultado: o modelo clássico tornou-se obsoleto.

3. Era da Informação

Tudo começou a evoluir de maneira mais rápida a partir da década de 1990, quando tem início a era da internet de largo alcance. A economia, que já era internacional, passou a ser global. Chega o momento de empresas darem importância para o capital humano e para o capital intelectual. Enquanto que, até ali, a economia era majoritariamente baseada na manufatura e na exploração de recursos naturais.

A partir dessa era, os recursos mais importantes passam a ser as próprias pessoas,  seus conhecimentos e suas habilidades. Tornar esse conhecimento útil e produtivo se transformou na maior responsabilidade de qualquer gestor.

São diversos os desdobramentos dessa mudança de entendimento, mas um dos principais é que, quanto mais informação for compartilhada com as pessoas que trabalham com você, mais preparadas elas estarão para executar suas tarefas.

4. Superjobs 

Uma discussão recorrente ocasionada pelo desenvolvimento tecnológico: seremos substituídos por máquinas? Um novo conceito criado no século XXI tem uma resposta bem interessante para esse tipo de pergunta. 

Os superjobs, ou “superempregos” em português, foi criado pela consultoria Deloitte em seu relatório de 2019 sobre as tendências do capital humano para 2019. 

Superjobs podem ser definidos como cargos que combinam partes de diferentes trabalhos tradicionais em funções integradas, agregando habilidades essencialmente humanas às tecnologias de automação como a robótica, tecnologias cognitivas e IA. 

De acordo com a pesquisa, à medida que as máquinas assumem tarefas repetitivas e o trabalho que as pessoas realizam se torna menos rotineiro, a previsão é de que muitos dos empregos que conhecemos hoje evoluam para os chamados superjobs. Dessa forma, características essencialmente humanas (também chamadas de soft skills) começam a ganhar mais atenção, se incorporando à inteligência artificial. 

Quer entender um pouco melhor como os superjobs funcionam? Antonio Carlos Soares, nosso CEO, discutiu em um webinar esse conceito e trouxe uma resposta interessante para o questionamento acima: vamos perder nossos empregos para as máquinas? Confira abaixo:

A importância da inovação

Desde então, as transformações ocorreram de maneira acelerada. Hoje, é cada vez mais necessário que qualquer organização reflita sobre sua forma de operar, pois só uma estrutura ágil e flexível é capaz de responder rapidamente às mudanças.

Inclusive, vale a pena ter em vista grandes companhias que se reinventaram ao longo dos anos e servem como inspiração para o seu negócio. Gigantes como IBM e HP remodelam sua estrutura, de forma constante, para se manterem competitivas. Por isso, a transformação de empresas é tão importante para você, como gestor(a), adequar a sua operação aos novos tempos, às novas necessidades das pessoas e ao mundo digital.

Segundo pesquisa da McKinsey, o ciclo de transformação ainda está muito longe de ser concluído – e mesmo o crescimento segue lento. Pois somente 4% das empresas estão totalmente digitalizadas. Enquanto isso, a maioria das organizações estudadas (30%) ainda pertence a um estágio incipiente de digitalização. Ou seja, há campo e opções para avanços e mudanças de rota na gestão do trabalho.

Inclusive, se quiser saber mais sobre essa evolução na maneira na gestão do trabalho, é só assistir ao webinar abaixo: 

 

Estratégias para reinventar a gestão do trabalho 

Consultor estratégico para empresas e autor do livro Sua Estratégia Precisa de uma Estratégia: Como Eleger e Colocar em Prática a Melhor Abordagem, Martin Reeves explica que diante das constantes transformações externas é preciso escolher a estratégia correta para garantir sua continuidade e crescimento.

De acordo com ele, é possível abordar o seu negócio de cinco formas distintas: clássica, adaptativa, visionária, modeladora e de renovação. Com isso, você pode ativar uma ou mais dessas estratégias para atualizar a sua organização.

Inovação, transparência e resultados

Neste contexto, alguns fatores tornaram-se chave para o sucesso na gestão do trabalho. A transparência organizacional é um deles e no artigo você encontra tudo o que precisa saber sobre ela para garantir a comunicação clara, a integração das pessoas e feedbacks construtivos. O que permite aos gestores tornar sua liderança confiável e a operação mais organizada e produtiva.

Outro aspecto importante para a sua empresa é a mensuração de resultados. E vale destacar que essa prática está diretamente ligada à transparência. Com o método, você consegue deixar todos os objetivos e indicadores às claras, engajar a equipe e incentivar a atitude de dono. Pois nada é tão contraproducente quanto colaboradores que se sentem à margem da operação. Então, construir uma cultura de resultados é fundamental para mensurar o que acontece dentro da sua empresa.

>> [Ebook] Cultura de resultados: Só se gerencia o que se mede

Por isso, uma gestão à vista é tão valiosa para o seu negócio e conta com os principais dados ao alcance de todos. Até porque a partir dos painéis com informações, as métricas podem ser facilmente visualizadas e interpretadas por toda a equipe. Inclusive, com a implementação de um software inteligente de gestão do trabalho, você automatiza processos e pode acompanhar todos os KPIs de que precisa. O Runrun.it, por exemplo, possui o Dashboard customizável, que permite a criação de métricas de desempenho das pessoas, o monitoramento dos projetos e as entregas.

>> Leitura recomendada: KPI dashboard: para você descobrir o que funciona

A gestão do trabalho também pode ser remota

Além disso, novas formas de gestão do trabalho devem aliar as necessidade da empresa às dos colaboradores. Por exemplo, muitas empresas oferecem o trabalho remoto, já que chegaram  à conclusão de que o importante é as entregas e não a presença no escritório.

Em uma pesquisa recente, realizada pela Buffer, 99% dos entrevistados gostariam de trabalhar remotamente em algum momento da carreira. As duas principais vantagens enxergadas por eles são: rotina flexível (40%) e a possibilidade de trabalhar de qualquer lugar (30%).

Porém, em contrapartida, quando falamos das principais dificuldades enfrentadas pelos entrevistados que trabalham remotamente vemos que:

Com essa pesquisa nós podemos entender que não só de vantagens vive o trabalho remoto. Portanto, é importante que a empresa tenha políticas sólidas sobre o assunto e que adotem programas que sejam capazes de incluir esse funcionário na rotina do escritório, evitando o sentimento de solidão e desmotivação. 

Se achar que uma política que trabalho flexível vai se encaixar melhor na sua empresa, você pode começar a implementar jornadas flexíveis, apostando, por exemplo, no 4-Day Workweek. Se quiser mais dicas sobre o assunto, assista ao webinar abaixo: 

A era dos sistemas de gestão do trabalho 

Chegou a hora de conhecer mais sobre o sistemas de gestão do trabalho. Basicamente, eles são ferramentas usadas para facilitar a complexa tarefa de gerenciar pessoas e metas e conectar a estratégia da empresa à execução de projetos. 

Dessa forma, você consegue cadastrar as suas demandas, acompanhar o progresso e orçamento dos seus projetos em um único lugar, além de deixar a comunicação transparente para todos. 

Essas ferramentas auxiliam a vida de um gestor, que pode ter a visão do todo, acompanhar os processos, extrair relatórios e métricas úteis para a análise da produtividade de uma equipe, ou até mesmo de um colaborador específico.

Elas também tornam a vida do colaborador melhor, justamente porque ele consegue trabalhar de forma mais colaborativa com seus colegas de equipe, ou mesmo com outras equipes, entendendo o impacto de seu trabalho nos processos da empresa e facilitando também sua própria organização, para que ele não se sinta perdido e chegue no trabalho sem saber o que precisa ser feito. 

Por isso, você precisa encontrar o sistema de gestão que mais de adequa as necessidades da sua empresa.  

O melhor sistema de gestão de trabalho para sua empresa

O Runrun.it é um ótimo exemplo de sistema de gestão do trabalho. Ele permite que você conduza sua equipe com maior agilidade, transparência e dinamismo e garante entregas de maior qualidade aos seus clientes.

Com o Runrun.it, você consegue ter a visão do todo – de todos os projetos e processos -, obter indicadores de performance, estabelecer a gestão de custos por cada cliente, promover uma comunicação integrada e formalizada entre a equipe, engajar colaboradores e muito mais.

Já que você conheceu as inúmeras funcionalidades de um sistema de gestão, que tal experimentar um software inovador, que é o braço direito de qualquer gestor? Faça o teste grátis agora mesmo: http://runrun.it

dados-tempo-real-gif-CTA

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>