Índices de rentabilidade: aprenda a calcular e descubra se o seu negócio vale o investimento

Índices de rentabilidade: aprenda a calcular e descubra se o seu negócio vale o investimento

Quando você assume um negócio ou o gerenciamento de uma equipe, assume também uma série de responsabilidades. Traçar um planejamento estratégico, estabelecer metas e métricas, motivar e engajar a equipe para alcançá-las, comandar processos, entre muitas outras. No entanto, todo esse (monumental) esforço não fará sentido se o negócio não se provar rentável. Ou seja, se os investimentos realizados não derem retorno. E a única forma de verificar isso é usando índices de rentabilidade.

O que são os índices de rentabilidade?

São as evidências de que a empresa é – ou não – rentável. De que ela dá lucro. Assim sendo, os índices de rentabilidade são aqueles que mais interessam aos sócios e gestores, porque demonstram o retorno dos recursos aplicados em um empreendimento ou em um projeto. Ou seja, é um dos principais indicadores de desempenho de um negócio (seguem algumas dicas sobre indicadores de desempenho). Estão ao lado de índices de endividamento, margem líquida, e tantos outros dados financeiros.

A propósito: depois de entender mais sobre índices de lucratividade, clique aqui e leia este artigo sobre lucro real. Ele vai te ajudar na questão do regime de impostos.

Como calcular os índices de rentabilidade?

A calculadora está por perto? Então é hora de pegá-la. Mas não será nada muito complexo, nós prometemos.
Existem alguns índices que podem comprovar a rentabilidade da sua empresa: o índice de margem, de ativos e de retorno de capital. Vamos investigar melhor cada um deles:

Índice de margem

A margem é o valor que a empresa está ganhando ao vender seu produto. E este índice costuma ser dividido em duas partes: margem operacional e margem líquida.

A margem operacional mede o que chamamos de lucro puro de cada unidade vendida, ignorando as despesas financeiras e outras obrigações, como impostos e tributos. Para descobrirmos o valor da margem operacional, precisamos dividir o lucro operacional pelo número de unidades vendidas.

Um exemplo para clarear as coisas: imagine uma empresa de software inserir link para nosso futuro post que tenha sido fundada há um ano. Suponha que a empresa tenha tido um lucro operacional de R$ 1.000.000, tendo vendido 1.000 licenças. Ou seja, a margem operacional (lucro puro) foi de R$ 1.000,00.

Já a margem líquida mostra o grau de lucratividade líquida do negócio depois de deduzidos todos os gastos. Na prática, ela aponta realmente se a empresa está dando certo ou não. Para medi-la multiplicamos o lucro líquido por 100 e dividimos o resultado pelas vendas líquidas. O resultado final apontará o lucro da empresa obtido para cada real de receita líquida.

Assim, assumindo que nossa empresa de software tenha tido um lucro líquido de R$ 80.000,00 e vendas líquidas de R$ 120.000,00, então, temos:

ML = 80.000 x 100/120.000 = 66,67% de retorno para cada real da receita líquida.

Índices de ativos

O retorno sobre o ativo calcula a rentabilidade do ativo – ou seja, o investimento de que falamos ali em cima. Isto ocorre independentemente de onde vieram os recursos, somente admitindo os aportes feitos.

Para calculá-lo, multiplica-se o lucro líquido por 100 e divide-se o resultado pelo valor do ativo. Ou seja, no caso da nossa empresa de software, assumindo que o investimento tenha sido de R$ 150.000, teríamos:

RA (retorno sobre o ativo) = 80.000 x 100/150.000 = 53,33%

Retorno sobre o capital

Outro dos índices de rentabilidade que merecem destaque é o de retorno sobre o capital. Ele aponta a rentabilidade dos recursos e é calculado dividindo-se o lucro líquido pelo patrimônio líquido de uma empresa.

Esse índice aponta se a empresa é um bom investimento para novos sócios, ou se está queimando seu próprio capital para se manter operando.

O que querem dizer esses dados?

Bem, os índices de rentabilidade só ganham verdadeiro significado quando comparados com o retorno de outros investimentos. Como em ações e títulos de bancos, por exemplo. Como uma caderneta de poupança ou mesmo um CDB paga, atualmente, menos de 1% ao mês, o valor calculado acima parece um bom resultado.

No entanto, vale sempre lembrar que uma aplicação como esta, em um banco, oferece riscos muitos menores do que o investimento em um negócio próprio.

Além disso, a aquisição em bancos ou títulos nos gera mais liquidez. Ou seja, maior velocidade de transformar o investimento em dinheiro. Assim, podemos esperar como boa rentabilidade para um negócio no mínimo de 2 a 3 vezes a rentabilidade média de um investimento conservador em um banco – senão o risco não valerá a pena.

Mas não é só isso que me interessa na empresa

Ótimo! É crescente o número de gestores que objetivam algo além do lucro nas empresas em que trabalham – muitas vezes, o propósito até vem antes. A respeito disso, vale a pena você ler este artigo: A sua empresa tem um propósito? Pois deveria…

No entanto, acompanhar os índices de rentabilidade é uma das principais tarefas de qualquer gestor. Até para que se saiba de uma empresa está trazendo retornos atrativos – e, caso não seja assim, para que se tome decisões de alterações no sistema de gestão. Como, por exemplo, buscar por aumento nas vendas ou nas margens, corte de gastos, a abertura de mais unidades ou mesmo a venda da empresa.

Um último indicador que vale citarmos aqui, por se relacionar à rentabilidade, é o prazo de retorno, ou também conhecido como pay back.

O prazo de retorno de uma empresa é o inverso da rentabilidade, calculado pela divisão do investimento pelo lucro de um período. Com base nos números do exemplo acima, da empresa de software, dividiríamos os R$ 150 mil por R$ 80 mil, chegando-se a pouco menos de um mês de retorno. Claro que é um exemplo totalmente fictício, é quase impossível encontrar um negócio com índices de rentabilidade semelhantes!

E por falar em acompanhamento…

Além dos índices de rentabilidade, é fundamental que você monitore outros indicadores financeiros da sua empresa, como o índice de lucratividade que explicamos nesse artigo.

Pois só assim você vai descobrir se sua empresa vem tendo gastos desnecessários, e como eliminá-los; este artigo sobre redução de custos pode te ajudar a realizar isso. E neste você encontra dicas para realizar o controle de gastos. Dessa forma será possível realmente tomar pulso da operação, maximizando sua rentabilidade e recompensando seus esforços.

E o Runrun.it é uma ferramenta bastante útil para isso também. Ela contém uma série de soluções que permitem que você monitore, em tempo real, todas as demandas e projetos realizados pela sua equipe. Você vai saber exatamente quanto de tempo e de recursos está sendo gasto por cada projeto de sua empresa. Faça o teste grátis da ferramenta e melhore hoje mesmo seus índices de rentabilidade: http://runrun.it

Gif_Signup-1-1-3

2 thoughts on “Índices de rentabilidade: aprenda a calcular e descubra se o seu negócio vale o investimento

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>