Método do caminho crítico: encurtando o caminho da sua empresa até a melhor gestão de projetos

Método do caminho crítico: encurtando o caminho da sua empresa até a melhor gestão de projetos

Prazo, custo e qualidade: seja qual for o projeto que você realiza no campo de TI, não há como não usar esses três elementos como fatores-chave de sucesso. Gerenciar bem o tempo e os recursos investidos, assim como assegurar a qualidade do trabalho, é indispensável para que o resultado final cumpra o objetivo traçado. Neste processo de gerenciamento, novas metodologias surgem a todo momento. Uma delas é o método do caminho crítico, que pode trazer grandes benefícios para os seus projetos de TI. E que por isso merece ser conhecido.

O que é o método do caminho crítico?

Trata-se de uma metodologia que permite, ao gestor(a), identificar a sequência de atividades dentro da elaboração de um projeto. O que você ganha com isso? Muito mais controle, pois, caso uma das atividades sofra atraso, todo o projeto também sofrerá. Em outras palavras, o método do caminho crítico apresenta a sequência das atividades que não podem ser atrasadas. E isso implica também o cálculo de folgas de cada tarefa (mais adiante mostraremos como fazê-lo).

Desta forma, o método do caminho crítico apresenta, dentro daquela sequência, as atividades às quais você e sua equipe devem dedicar atenção redobrada. Ou seja, a ideia básica é a de identificar o caminho que consome mais tempo (daí vem o termo “crítico”) por meio de uma rede de atividades que sirva como base para o planejamento e o controle de um projeto.

Como aplicar a metodologia na sua gestão de projetos de TI

Para adotar a metodologia, você deve observar dois pré-requisitos fundamentais: a estimativa de duração de cada uma das atividades e os predecessores de cada uma delas.

Isto feito, o passo a passo para a implementação é o seguinte:
1 – Primeiro, monte um diagrama com todas as atividades e as relações entre elas. Isso deve dar origem à chamada “rede orientada a atividades”;

metodo do caminho críitico
Exemplo de rede | Fonte: Escritório de Projetos

2 – Feito isso, inclua as atividades e suas respectivas durações;
3 – Calcule, então, as datas de início e de término antecipadas (os chamados “Early Start” e “Early Finish”, em inglês), e este será o seu caminho de ida. Importante: quando uma atividade tiver mais de uma predecessora, você deve usar sempre a maior data de término mais cedo entre essas tarefas como data de início mais cedo para a sucessora;
4 – Determine, então, a duração do projeto;
5 – Agora você deve estabelecer as datas de início e de término mais tarde (“Late Start” e “Late Finish”, em inglês): este será seu caminho de volta. Aqui também é importante saber que, quando uma atividade tiver mais de uma sucessora, você deve usar sempre a menor data de início mais tarde entre as sucessoras como data de término mais tarde da predecessora.

E as folgas?

Calma que o passo a passo ainda não acabou! Acontece que essa etapa é tão importante que requer uma explicação mais detalhada.

Após o cumprimento dos passos descritos acima, você deve calcular as folgas de cada atividade. Lembrando que “folga” consiste no tempo adicional que pode ser gasto na atividade em questão, sem que a duração do projeto seja afetada.

Trata-se de uma “margem de atraso permitida” (MS Project, em inglês), ou seja, o tempo que uma atividade pode atrasar sem que haja impacto no início da atividade sucessora.

Calculando a margem de atraso total

O índice de folga total ou margem de atraso total apresenta quanto tempo uma atividade pode atrasar sem que haja impacto no término do projeto. Deve ser calculado da seguinte forma:

Diferença entre o término mais cedo (Early Finish – EF) e o término mais tarde (Late Finish – LF): EF – LF = ?

Lembramos também que o caminho crítico pode ter folga positiva, igual a zero ou negativa dependendo das restrições de prazo aplicadas. E as atividades com folga igual a zero são aquelas que compõem o caminho crítico, que merecem mais atenção.

Quais são os tipos de projeto encaixam nesse método?

Como você pode perceber, o método do caminho crítico consiste na mais longa sequência de atividades do início ao final de um projeto que devem começar e terminar exatamente de acordo com o planejado, para garantir que o trabalho seja concluído da melhor forma possível.

A metodologia foi criada para projetos complexos, mas relativamente previsíveis, mas há também possibilidades de flexibilizar. A que tipo de projeto nos referimos?

Vejamos, então, um exemplo prático dessa aplicação. Suponhamos que sua empresa precise lançar uma nova versão de um app. As tarefas podem incluir, por exemplo:

  • Levantamento de funcionalidades que precisam ser aprimoradas e de problemas que precisam ser resolvidos;
  • Desenvolvimento das novas funcionalidades e resolução dos problemas;
  • Incorporação desses features no sistema em funcionamento.

 
Dessas tarefas, podem derivar algumas tarefas, como:

  • Desenvolvimento de novo design para a atualização.

 
Essa tarefa pode constituir um subprojeto que pode ser tratado como um caminho não-crítico, porque é possível que o novo design seja implementado a qualquer momento ao longo do projeto principal. Abrange tarefas mais flexíveis, paralelas, que podem “flutuar” e não precisam ser colocadas no escopo do método do caminho crítico.

>> Leitura recomendada: Seu projeto de TI está pronto para o sucesso? A resposta depende de uma boa análise de requisitos

Uma ferramenta para aperfeiçoar sua gestão de projetos de TI

Quanto mais controlados e otimizados forem as suas tarefas internas, mais tempo sobrará para você dedicar ao aperfeiçoamento dos projetos. Por isso, para além de metodologias como a do caminho crítico, uma ferramenta de gestão como o Runrun.it pode ser de enorme auxílio.

Na verdade, o Runrun.it pode te ajudar em praticamente todas as etapas de uma operação, já que permite que você formalize a comunicação, controle o desempenho de seus colaboradores e mensure o tempo e os recursos investidos nos projetos. Em suma, o braço direito do gerente de projetos de TI. Experimente de graça e comprove: http://runrun.it

Artigos que você também vai querer ler:

 
Gif_Signup-1-1-3

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>