Backlog: a lista que ajuda você a refinar o desenvolvimento dos seus produtos

Backlog: a lista que ajuda você a refinar o desenvolvimento dos seus produtos

Há algum tempo, falamos aqui no blog sobre as checklists – e como essas ferramentas podem contribuir para o aumento da sua produtividade. Agora, vamos tratar de algo parecido: uma espécie de lista, também, mas mais associada ao segmento de TI, por referir-se ao desenvolvimento de um produto ou um sistema. Vamos abordar o que é backlog, e como a prática pode tornar a sua gestão mais ágil.

O que é backlog e quem deve administrá-lo?

Como foi dito, backlog, também conhecido como product backlog, é uma lista que contém breves descrições de todas as funcionalidades desejadas para um produto específico. Essa lista traz os requisitos para um projeto, priorizados de acordo com o valor entregue para o cliente.

No mundo ideal, o backlog deve ser gerenciado pelo product owner, que é o gestor o gestor de produto que fica responsável por todos os aspectos de um software, desde os objetivos estratégicos até os detalhes de experiência do usuário. Já falamos sobre o product owner neste artigo sobre gerenciamento de conflitos em equipes de TI.

Mas não se trata de uma lista estanque; conforme o projeto avança e à medida que os requisitos são descobertos, o backlog pode e deve ser ampliado. O importante é que contenha informações suficientes para que o time consiga realizar estimativas de desenvolvimento.

O Runrun.it conta com um recurso de Backlog que consiste em uma fila de tarefas em cada projeto. Os membros das equipes envolvidas podem consumi-la conforme sua disponibilidade em trabalhar em novas tarefas. Para compor o Backlog do projeto no Runrun.it, basta que o usuário crie novas tarefas selecionando uma equipe como responsável – em vez de uma pessoa. É preciso selecionar o botão ao lado do ícone do responsável e escolher uma equipe. Saiba mais neste artigo.

Como funciona?

Geralmente, o time e o “dono do produto” responsáveis pelo projeto escrevem e priorizam os itens iniciais do product backlog. A premissa, aqui, é que tais itens bastem para que a equipe inicie a primeira iteração (sprint) – que é o ato de repetir, de tornar a fazer. Neste momento, teremos o sprint backlog, composto pelas histórias que fazem parte da iteração em questão.

Perceba que temos, assim, dois tipos de backlog: o product e o sprint. Mas não confunda: de acordo com este artigo do site OAT Solutions, enquanto o product backlog é criado uma vez e atualizado ao longo do projeto, um sprint backlog é criado sempre no início de cada iteração. E enquanto o product backlog costuma ser atualizado semanalmente, o sprint é revisado e atualizado diariamente.

Reiteramos que, ao longo de todo o processo, a lista do backlog irá crescer e mudar à medida em que se aprende mais sobre o produto e sobre o cliente a quem é direcionado.

>> Leitura recomendada: Chegou o RR-Board®, o kanban inteligente do Runrun.it

Como refinar o backlog?

Às vezes, obter um processo de backlog refinado pode ser um tremendo desafio. Dificuldades durante o planejamento das iterações (sprint backlogs), um product backlog enorme ou muito pequeno, a falta de atendimento durante um sprint… São vários os obstáculos que se impõem para o product owner, ou o gestor.

Este artigo do portal DZone traz dicas imperdíveis para você superar tais desafios. Vamos a eles:

Formalize

De acordo com o texto, não há um jeito certo de incorporar o refinamento de um product backlog em uma iteração. Mas uma coisa é certa: formalizar as atividades de refinamento que ocorram numa cadência regular dentro de cada iteração é essencial. Assim sendo, aproveite esses eventos para inspecionar e adaptar o backlog durante as retrospectivas, e descubra o que funciona melhor para seu time.

Envolva somente quem precisa ser envolvido

Em equipes de desenvolvimento, é bastante frequente o entendimento de que todo mundo deve se envolver em tudo. Mas, no refinamento de product backlog, isso não deve acontecer.

Quando envolvemos colaboradores que não deveriam ser envolvidos nessas atividades, tempo e recursos são desperdiçados. Então, procure sempre conversar com sua equipe para estabelecer quem deve comparecer a uma sessão de refinamento. Mas isso não significa que o resto do time não deve ser informado de mudanças; pelo contrário, todo mundo deve estar a par de quaisquer novidades que venham por aí. Nesses momentos, metodologias como a gestão à vista ou o KPI dashboard podem ser extremamente úteis.

Defina o que “Pronto” significa para seu time

Esse ponto é fundamental. Você deve estabelecer com todo cuidado possível o que “Pronto” significa; por “Pronto”, entenda um pequeno checklist de itens que seu time deve realizar antes que um item do product backlog seja trazido para uma iteração. A prática é de grande auxílio para estabelecer alguns limites ao redor daquilo que seu time de desenvolvimento precisará fazer para que um item seja feito.

Não se antecipe demais

Se você estiver refinando itens do product backlog que serão trabalhados pelo seu time de desenvolvimento com muitos meses de antecedência, pare. Será uma perda do seu tempo. Porque os requisitos são, com frequência, um dos aspectos mais instáveis do desenvolvimento de software (leia sobre análise de requisitos aqui). É muito difícil captar, com precisão, as exigências de um cliente sem considerar o formato que você estará usando ou a quantidade de esforço que você colocará nele.

Um product backlog com itens “caducos” significa que você perdeu tempo utilizando requisitos que não são mais relevantes. Assim sendo, mantenha-se com um ou dois que possam ser definidos como “Prontos” para o sprint backlog.

Da mesma forma, não assuma que todo aspecto de um item do product backlog deva ser explicitamente definido. Abra espaço para conversas e para a criatividade de sua equipe durante uma iteração.

Uma ferramenta online para auxiliar seu backlog

No fundo, o product e o sprint backlogs tratam de priorização. Há diversos modelos prontos de matriz de priorização disponíveis para download na internet, seja em forma de planilhas ou mesmo aplicativos. Neste post sobre ferramentas de gestão empresarial, listamos algumas das mais queridas dos gestores.

Agora, se você não quer procurar mais e quer ir direto para a melhor opção em software de gestão, experimente o Runrun.it. Com ele, você consegue monitorar as atividades de sua equipe bem de perto, acompanhando a realização de cada item disposto em um backlog. Sem bagunças, desperdício de esforços, de forma organizada e priorizando as tarefas automaticamente. Faça um teste grátis hoje mesmo: http://runrun.it

Artigos que você também vai querer ler:

Gif_Signup-1-1-3

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>