Não seja produtivo: como trabalhar remotamente em meio a uma pandemia global

Não seja produtivo: como trabalhar remotamente em meio a uma pandemia global

O início dessa história todo mundo já conhece: com a pandemia do novo coronavírus, grande parte do pessoal que trabalhava em escritórios começou a trabalhar remotamente, em casa. E, com exceção daqueles que exercem atividades essenciais e que, por isso, precisam sair constantemente, muitos mal colocaram os pés para fora de casa desde que tudo isso começou. 

Com o isolamento social, surgiram também diversos conteúdos com dicas para te ajudar a  trabalhar melhor no home office e manter (ou até aumentar) a produtividade. Além disso, muito se falou a respeito de como usar o novo “tempo livre”, porque agora não é mais necessário se locomover até o escritório físico. Mas será tudo assim tão simples?

Se já é difícil se manter produtivo em condições normais, é de se esperar que, vivendo um período cheio de incertezas e situações adversas (que envolvem desde lavar um pacote de farofa a se preocupar excessivamente com parentes que podem adoecer), nós não estejamos no auge de nossa produtividade e criatividade. E está tudo bem. 

Nesse artigo, vamos falar sobre como trabalhar remotamente, sem descuidar da saúde mental, e como avaliar melhor  o desempenho da sua equipe e exercer a liderança remota (spoiler: não tem nada a ver com prazos de resposta e o total de horas trabalhadas). 

 

(Não) seja produtivo

“Está em toda parte. Está nas postagens dos blog, nas redes sociais, nos e-mails que eu recebo, cujo assunto é ‘use esse tempo de forma produtiva!’. Como se eu não fosse produtiva”. Esse depoimento, que consta em um artigo da New York Times, é de uma fotógrafa de Colorado que, assim como tantos outros profissionais, podem estar se sentido pressionados, como se não estivessem fazendo o bastante em sua vida pessoal e profissional. 

Em um primeiro momento da pandemia essa foi, sim, o direcionamento  dos conteúdos e de alguns anúncios que vimos por aí. Além disso, observar, no nosso próprio círculo, pessoas virando Master Chef, treinando religiosamente todo dia às 6h35 da manhã ou aprendendo mandarim em um cursinho online talvez tenha criado certa pressão, no sentido de que todos deviam ser tão ou mais proativos, despertos, produtivos. Mas, como já disse toda mãe para seus filhos um dia: você não é todo mundo. 

Em contextos difíceis e momentos de crise, cada um reage de uma forma e é possível que aquele seu colega que está fazendo prancha abdominal todo dia esteja apenas encontrando a forma dele de lidar com esse momento, empregando energia em algo que ele de fato gosta. Mas, para outros, a falta de perspectiva ou a mera ausência de uma visão clara de futuro pode ser o bastante para tornar difícil fazer tarefas banais como lavar a louça ou responder e-mails. 

“Já é difícil o suficiente ser produtivo nos melhores momentos, o que dizer agora que estamos vivenciando uma crise global”, diz Chris Bailey, consultor de produtividade e autor de Hyperfocus: How to Manage Your Attention in a World of Distraction. “A ideia de que temos mais tempo disponível é fantástica, mas hoje em dia isso pode ser considerado o oposto de um luxo. Estamos em casa porque somos obrigados a estar e temos muito menos atenção porque estamos vivendo um período difícil”, afirma Bailey. 

Desafios ao trabalhar remotamente

A verdade é que, no mundo do trabalho, a cobrança por resultados, somado ao receio de não conseguir fazer as entregas corretamente, pode ser paralisante e prejudicar bastante a saúde mental. Ainda por cima, há o fantasma de ser demitido de uma hora pra outra ou, ainda, da empresa na qual você trabalha simplesmente quebrar. Esses fatores podem dificultar ainda mais a capacidade de concentração. 

Isso sem falar nas dificuldades que o próprio trabalho remoto já impõe por si só. Segundo as pesquisas realizadas pela Buffer nos últimos três anos, as principais dificuldades para quem se propõe a trabalhar remotamente continuam sendo as mesmas: comunicação, colaboração e, é claro, solidão. A diferença é que esse percentual só tem aumentado ao longo dos anos. 

O relatório de 2020 aponta que as maiores dificuldades do home office são:

  • Colaboração e comunicação (20%)
  • Solidão (20%)
  • Dificuldade de se desconectar do trabalho (18%)
  • Distrações em casa (12%)
  • Estar em um fuso horário diferente dos colegas (10%)
  • Se manter motivado (7%)
  • Tirar férias (5%)
  • Boa conexão wifi (3%)
  • Outros (5%)
 

Além disso, segundo artigo publicado recentemente na Valor Econômico, a maior parte dos jovens brasileiros estariam “desiludidos” com o home office e prefeririam não trabalhar remotamente em tempo integral, num contexto em que não houvesse a prerrogativa do isolamento social.

Há ainda quem afirme que nem sequer é um bom momento para medirmos a efetividade do trabalho remoto. Segundo pesquisadora do MIT, “o que o mundo está experimentando hoje com a Covid-19 não é um teste justo para o home office, por ser um período tão atípico” e um dos motivos de maior frustração (e que pode levar os profissionais remotos ao burnout), segundo ela, é a cultura de controle nas organizações.

Assim como no espaço físico do escritório, ao trabalhar remotamente os colaboradores devem ser “tratados como adultos” e, em vez de ficar controlando o número de horas trabalhadas e o tempo de resposta de e-mails e chats, o ideal seria que gestores focassem mais na qualidade do trabalho realizado. 

Líderes remotos também sofrem

Uma coisa é certa:  não está sendo fácil para ninguém. É importante lembrar que tudo isso é novidade não só para os colaboradores, mas para os líderes também e, aqueles que estavam acostumados à troca diária e ao contato pessoal do escritório físico podem ter alguma dificuldade em reproduzir esse ambiente agora de forma online. 

Segundo Kevin Eikenberry e Wayne Turmel, autores de “The Long-Distance Leader: Rules for Remarkable Remote Leadership”, as maiores dúvidas e angústias do gestor com relação ao trabalho remoto são:

Tratam-se de desafios que, como já dissemos, têm a ver com processos e também com saber gerenciar um time – seja ele remoto ou não. Com o agravante de que um time remoto está muito mais suscetível a se perder sem uma liderança eficiente.

Entretanto, é preciso lembrar que liderar um time a distância ainda é, antes de mais nada, apenas “liderar”. Os princípios da liderança não mudaram. O que mudou é que pessoas estão trabalhando em lugares diferentes e, talvez, em tempos diferentes. Com isso em mente,  o que interessa agora – para os colaboradores que estão trabalhando de casa, para você como líder e para a organização como um todo – é como aplicar o princípios da liderança neste novo contexto.

Dicas para trabalhar remotamente

Agora, para ajudar colaboradores e gestores a lidar melhor com o contexto e procurar manter a mente ativa durante esse período difícil (que não sabemos por quanto tempo irá se estender), separamos algumas dicas. Lembre-se: não se tratam de metas, muito menos imposições. Procure implementar essas coisas na sua rotina aos poucos e conforme achar que é o melhor pra você. 

Traga para dentro de casa a cultura do seu escritório. Programe almoços ou happy hours online com seus colegas de trabalho, crie canais de descontração no Slack com base em interesses compartilhados para criar um senso de comunidade. Ainda que vocês não estejam se vendo pessoalmente, seus colegas ainda são seus colegas. 

Não espere normalidade. Você e sua equipe podem não ter o melhor desempenho imediatamente. Cada um leva um tempo pra se adaptar. Agende reuniões e calls mais frequentes até que todos fiquem um pouco mais à vontade.

Menos é mais. Use algumas ferramentas às quais sua empresa já está habituada. Novos procedimentos devem ser adotados aos poucos e somente se houver  necessidade. 

Crie uma rotina e novos rituais que te ajudem na concentração. Exercite a concentração começando por períodos curtos. Comece com 40 minutos de trabalho profundo e vá aumentando aos poucos. E não esqueça de fazer pausas. 

Procure manter uma rotina. Nada muito diferente do que você fazia antes: dormir e acordar nos mesmos horários, se alimentar, se exercitar. Na sua mesa de trabalho, podem haver os mesmo objetos que você tinha no seu escritório (incluindo a garrafa de água, certo?). 

Cuide de si e do seu espaço. Use roupas confortáveis e procure adaptar a sua casa para criar um ambiente de trabalho o mais ergonômico possível. 

Além de todas essas dicas, nesse vídeo, damos dicas de como lidar com o trabalho remoto e superar as dificuldades.

 

Pesquisa confirma tendência de trabalho remoto

Segundo pesquisa realizada por nós, do Runrun.it, com mais de 300 líderes e gestores de empresas de serviço (dos setores de tecnologia, consultoria, marketing e publicidade) 80% dos líderes não pretendem voltar ao presencial, mesmo após o fim do isolamento social.  

Por mais que trabalhar a distância já fosse considerado uma tendência e que muitas empresas tivessem aderido a essa modalidade, para a grande maioria dos entrevistados essa é a primeira experiência trabalhando remotamente. 

Anterior ao período de isolamento social, os adeptos ao home office (20%), em sua maioria, trabalhavam fora do escritório apenas 1 vez por semana (24,2%). 

Atualmente, 88% das empresas está trabalhando de forma 100% remota e a tendência é que, mesmo após o relaxamento das medidas de isolamento social, esse número continue crescendo, já que 80% dos gestores de agência afirmaram que gostariam de continuar trabalhando em home office em uma frequência de 3 (19,6%) a 5 (17,3%) dias por semana. 

“O home office foi uma grande mudança que aconteceu de forma repentina, mas que veio para ficar. Desde o nascimento do Runrun.it, acreditávamos que trabalhar remotamente seria uma ótima proposta para proporcionar mais bem-estar para os colaboradores e agora, após a realização da nossa pesquisa, descobrimos que realmente trata-se de algo positivo e que pode até mesmo aumentar a produtividade. O segredo é encontrar equilíbrio para empregadores e colaboradores”, pontua Antonio Carlos Soares, CEO e co-fundador do Runrun.it.

Dúvidas para adotar o trabalho remoto?

Para te ajudar a implementar o trabalho remoto na sua empresa, adotar um gerenciador de tarefas é fundamental. Com o Runrun.it, você pode fazer o acompanhamento em tempo real do andamento dos projetos, assim como ver as tarefas que estão sendo desenvolvidas pela sua equipe e o tempo investido em cada uma delas.

Dessa forma, mesmo com todos trabalhando de casa, você não perde seu fluxo de trabalho de vista. Além disso, a ferramenta facilita a comunicação entre os colaboradores e o acesso às informações, pois tudo fica centralizado em um só lugar. Crie uma conta grátis: http://runrun.it

trabalhar remotamente

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>