Trabalho híbrido: o modelo favorito das próximas gerações

Trabalho híbrido: o modelo favorito das próximas gerações

O formato de trabalho híbrido mescla as jornadas remota e presencial, onde os profissionais alternam entre dias de atividade em home office e no escritório. 

As jornadas de trabalho híbridas já eram uma tendência, que foi acelerada pela pandemia, agradando as novas gerações de profissionais, como mostrou a Pesquisa de Clima Organizacional realizada pelo Runrun.it

Dos 203 participantes, 75,2% apontaram sua preferência pelo trabalho híbrido, com idas menos frequentes ao escritório. A adesão ao modelo se deve a diferentes motivos, como a adaptação ao trabalho remoto, vantagens econômicas e até o aumento da produtividade em ambientes remotos. 

Atualmente, gestores e empresas já estruturam maneiras de unir as vantagens do modelo sem prejudicar o crescimento profissional das equipes e o desempenho da instituição. Se a sua empresa também está nessa fase, acompanhe as dicas do nosso artigo.

 

Trabalho híbrido ou 100% remoto: o que as pessoas preferem?

Tanto os modelos de trabalho híbrido quanto remoto oferecem vantagens e desvantagens, exigindo readequações das empresas e dos profissionais. Veja um comparativo entre os principais tipos de jornadas de trabalho atuais:

Comparação entre trabalho híbrido e remoto

Para entender melhor esse cenário do presente e futuro do trabalho, a Microsoft divulgou o relatório Grandes Expectativas, com dados relevantes sobre o panorama do mercado. 

No estudo, 50% dos líderes globais afirmam que suas empresas pretendem voltar à dinâmica presencial nos próximos 12 meses. Ao mesmo tempo, 52% dos colaboradores demonstram que estão mais alinhados com uma transição para o trabalho híbrido ou manter suas funções remotas. 

A diferença entre os objetivos das empresas e o desejo dos profissionais fica mais nítida quando olhamos para os dados da pesquisa da ADP Research Institute. Dos entrevistados, 71% dos jovens de até 24 anos declararam que preferem mudar de emprego a voltar ao presencial. 

>> Leitura recomendada: Sua empresa está preparada para receber a geração Z? 

Já a nossa pesquisa de clima apontou que a alternativa de mesclar dias no escritório e no home office é a favorita de 75% dos entrevistados, enquanto o trabalho totalmente remoto é visto como ideal para 26,2% dos participantes.

As razões por trás dessa postura está na flexibilidade que o home office e o trabalho híbrido proporcionam para este público. Outro ponto é que muitas lideranças mudaram a forma de reconhecer talentos, aumentando suas conexões com suas equipes e humanizando o trabalho. 

Trabalho híbrido e os modelos de contratação 

Publicada em março deste ano, a Medida Provisória 1108/22 trouxe mudanças na definição de teletrabalho na legislação brasileira, inclusive permitindo a formalização do trabalho híbrido

Antes, a elaboração dos contratos de trabalho previa a descrição das jornadas apenas como presenciais ou integralmente remotas. Com a modificação proposta na normativa, as empresas podem optar por estabelecer uma escala híbrida. 

A definição dos dias em que o trabalho é remoto ou presencial também é ajustável às necessidades dos colaboradores, abrindo possibilidades para que lideranças e equipes entrem em acordos mútuos.

Para você entender melhor as alterações promovidas pela nova MP do teletrabalho, acesse gratuitamente a nossa cartilha especial sobre o tema: 

Equilibrando as tarefas no trabalho híbrido 

Um dos debates que o trabalho híbrido impulsiona é em relação ao papel ocupado pelo escritório na rotina de trabalho. Afinal, com a adoção do sistema, as empresas precisam refletir sobre quais atividades podem ser feitas presencialmente ou seriam melhor executadas em home office.

Além disso, cada setor vai ter uma impressão sobre o real valor do escritório. Para a área de vendas, por exemplo, há uma relevância que para o marketing pode ser diferente. 

O que pode ser observado é que as empresas preferem deixar tarefas que precisam de alta concentração para o ambiente remoto, e no presencial, reuniões de brainstorm, com clientes e dinâmicas de grupo, que demonstram um melhor resultado.

A tecnologia também é vista como um ponto decisivo para a divisão de tarefas presenciais e remotas. Se antes projetos complexos precisavam ser realizados no escritório, hoje com o auxílio de softwares como o Runrun.it, eles podem ser gerenciados em tempo real por meio da criação de fluxos de trabalho online.

Contando com isso, empresas vêm pensando em não estabelecer dias para o trabalho remoto e presencial, mas distribuir as idas ao escritório em horas. Assim a sua equipe pode trabalhar no escritório somente naquilo que é realmente essencial, deixando as demais funções para o home office.

Essa divisão pode minar a própria maneira como os líderes avaliam as tarefas entregues. Para isso, o caminho é encaixar as atividades em remotas ou presenciais de acordo com as especificidades de cada modelo.

>> Leitura recomendada: Gestão no trabalho remoto: os principais desafios e as melhores práticas  

As principais vantagens do trabalho híbrido 

O trabalho híbrido vem conquistando espaço nos modelos flexíveis de trabalho por oportunizar alguns benefícios para as empresas e colaboradores. A seguir, separamos alguns desses pontos positivos que são diferenciais do trabalho híbrido. 

Economia de custos 

Assim como o trabalho remoto, o modelo híbrido dá a empresa a oportunidade de reduzir gastos mensais, como de energia elétrica, internet, água, equipamentos, vale-transporte e até mesmo o aluguel. 

Dependendo do número de colaboradores que precisam se encontrar presencialmente, muitas vezes vale mais a pena reservar um espaço coworking, do que alugar mensalmente uma sala comercial. 

Para o colaborador, há menor tempo de deslocamento e redução de gastos com transportes e alimentação fora de casa, uma vez que poderá revezar entre o escritório e o home office tendo os direitos trabalhistas garantidos. 

Flexibilidade 

A flexibilidade no trabalho está relacionada a dois aspectos: maior liberdade das pessoas em escolher quando, onde e como trabalhar e a relação contratual entre empregador e empregado. 

O trabalho híbrido proporciona aos profissionais essa característica, que a partir de um acordo com o empregador, as pessoas constroem seus rituais de trabalho, sem interferir na produtividade ou na qualidade de entrega. 

Aliás, muitas vezes acontece o contrário: um aumento da motivação e da participação em equipe. Isso porque o indivíduo está no seu ambiente de conforto para a realização das suas funções e sabe que poderá resolver desafios presencialmente se isso for necessário. 

Melhora na gestão do tempo 

A transição do presencial para o remoto ou híbrido tem seu impacto no cotidiano do trabalhador. Com o apoio das lideranças e ferramentas para a realização dos projetos à distância, é possível estruturar hábitos que levam a melhoria da autogestão. 

Conhecendo os horários e períodos do dia mais produtivos, as pessoas conseguem elaborar escalas que funcionam no trabalho remoto. Com essa consciência, as equipes conseguem distribuir  o tempo investido no home office e no escritório com mais inteligência, trazendo resultados positivos para a organização. 

Liderança no trabalho híbrido

Ao trazer esse tema para a conversa, há dois aspectos a serem considerados. , O primeiro é evidenciado pelo que a pesquisa Work Trend Index, conduzida pela Edelman Data X Intelligence com 31 mil pessoas em janeiro de 2021, mostrou: os gestores estão conseguindo prosperar mais na carreira em comparação aos colaboradores que não têm poder de decisão. 

O estudo não apresenta os motivos para essa disparidade, mas quando aborda os principais desafios da equipe destaca a sobrecarga de trabalho como principal vilão para a experiência em home office ser prazerosa.

Demandas de trabalho versus entregas

Nas entrelinhas, isso significa que os colaboradores estão sendo demandados de uma forma intensa de tal maneira que não conseguem focar em outros aspectos individuais do trabalho, como o network

Por outro lado, o número de entregas do setor são positivas e o gestor pode receber mais facilmente promoções. O segundo aspecto é que, na nossa pesquisa sobre estresse e burnout nas empresas, todos os marcadores de exaustão foram maiores entre os respondentes em cargo de colaborador do que entre os gestores.

Um dos reflexos dessa exaustão é que os colaboradores estão menos inclinados a seguir no remoto do que os líderes, assim o trabalho híbrido é visto como a solução para esse cenário.Isso porque, a gestão à distância permanece no modelo híbrido e os colaboradores podem se sentir desmotivados em trabalhar de casa se perceberem que no presencial a delegação de tarefas é mais justa. 

Para evitar isso, as dicas de gestão no trabalho híbrido são: 

  • Fortaleça sua coleta de dados transparentes sobre a produtividade dos colaboradores;
  • Capacite a sua equipe para a flexibilidade da própria jornada como a dos colegas;
  • Invista em espaço e tecnologia para unir os mundos físico e digital;
  • Nunca deixe de analisar a exaustão digital dos colaboradores;
  • Faça feedbacks frequentes; 
  • Crie benefícios para atender de maneira justa os dois formatos;
  • Fortaleça a comunicação assíncrona na equipe;
  • Ajuste a forma como você conduz as reuniões para que nenhum membro fique desfalcado.
 

Os líderes como orquestradores do trabalho híbrido

A atenção aos pontos de maior sensibilidade no home office, como comunicação e conexão com a equipe e tarefas delegadas, precisam ser prioridade dos líderes principalmente para que não falte equilíbrio.

“Em empresas onde alguns trabalham à distância e outros não, os trabalhadores remotos receberam menos promoções, menos capacitação e menos feedback sobre seu desempenho por estarem um pouco fora de vista”, afirma a professora de Recursos Humanos e Organização da Universidade Aberta da Catalunha e especialista em teletrabalho, Eva Rimbau, em entrevista ao El País. 

Por isso, ao adotar o trabalho híbrido é importante que gestores se preocupem em equilibrar os dias e quem vai ou não ao escritório, para evitar que apenas aquilo que é visto seja levado em consideração.

 E é aqui que a gestão do tempo adquire um novo significado, obrigando gestores a pensar de forma mais modular na hora de distribuir as atividades para que as equipes possam trabalhar de forma síncrona e assíncrona. 

Do contrário, a longo prazo, esse desequilíbrio pode gerar conflitos entre os membros da equipe, aumentar o índice de turnover e causar queda na produtividade. 

Ademais, é importante também que as empresas se preocupem em desenvolver programas de reconhecimento e promoção, evitando injustiças e considerando as entregas realizadas e não o esforço percebido, prevenindo a tomada de decisão arbitrária. A longo prazo, isso vai se refletir na retenção de talentos e na manutenção do capital intelectual da organização.

Cultura organizacional e trabalho híbrido

A cultura organizacional de uma empresa é composta pelo conjunto de valores e comportamentos que são esperados de todos os colaboradores.

Ou seja, a cultura vai muito além das regras escritas de uma empresa e é importante que isso também seja estendido para o trabalho remoto. Isso assegura que o sentimento de pertencimento seja cultivado desde o onboarding.

Outro ponto importante também se refere a como a empresa está organizando as jornadas dos trabalhadores e avaliando as entregas. Em termos de cultura da empresa, é importante garantir o equilíbrio entre vida pessoal e profissional.

Mudanças no ambiente de trabalho

Antes da pandemia, a agência britânica NOVOS tinha um contrato tradicional com um coworking, o WeWork, onde trabalhavam todos os funcionários.

Porém, com a pandemia eles abandonaram esse contrato e passaram a trabalhar em grande parte de forma remota e aderiram ao We Membership, onde pagam um valor para alugar o espaço algumas vezes por mês.

O CEO da NOVOS, Antonio Wedral, em entrevista à BBC, explicou que anteriormente eles possuíam apenas funcionários das redondezas de Londres, e atualmente, há colaboradores até da Polônia. Para ele, esse modelo tem funcionado bem, já que é possível aproveitar o ambiente físico quando necessário e ampliando o quadro de funcionários de outras cidades, estados ou até países. 

A pesquisadora de comportamento organizacional da Universidade Carnegie Mellon, Anita Williams Woolley, acredita que a tendência é que os espaços físicos destinados ao trabalho presencial sejam cada vez menores. 

Para ela, esses espaços serão voltados para encontros e reuniões, a ideia é que as famosas “baias” deem lugar para ambientes de trabalho que sejam mais compatíveis com as necessidades daqueles que estão nos escritórios. 

Comunicação e trabalho híbrido 

Manter uma comunicação fluida entre todos na equipe já não é uma tarefa fácil quando estamos em um modelo presencial. Portanto, no trabalho híbrido é preciso adotar algumas práticas frequentes para manter a qualidade do fluxo de trabalho.

Uma maneira eficiente de manter as interações no trabalho híbrido é com o Runrun.it. A ferramenta possui funcionalidades que facilitam a troca de informações, o compartilhamento de arquivos e a aprovação de materiais entre as equipes, por meio dos comentários e chat de projeto. 

[Webinar] Comunicação não-violenta no trabalho remoto 

Além desse cuidado com a informação passada, há a atenção sobre a forma como gestores e equipes estão se comunicando entre si.

Para isso, a comunicação não-violenta (ou CNV) é uma abordagem voltada para a forma como expressamos nossas necessidades.

As quatro noções básicas da comunicação não-violenta são: 

  1. 1. Evitar julgamentos.
  2. 2. Reconhecer emoções desconfortáveis.
  3. 3. Identificar necessidades não atendidas.
  4. 4. Viabilizar a convivência.
 

Seguir os ensinamentos da CNV faz parte de um movimento que começa com um interesse pessoal, que pode acabar te ajudando a lidar melhor com a sua equipe, ainda mais nessa situação híbrida.

 Para saber mais sobre o assunto, confira a conversa do nosso CEO, Antonio Carlos Soares, com Debora Gaudêncio, facilitadora de diálogos. Para conferir a entrevista completa é só assistir ao vídeo abaixo: 

Tecnologia no trabalho híbrido

A transformação digital deixou de ser algo para os próximos cinco anos, assumindo um papel fundamental na sobrevivência de muitas empresas no ambiente virtual.

Nesse sentido, softwares de comunicação e temas como segurança do trabalho no home office ganharam destaque. Isso porque eles se tornam essenciais para garantir as condições de trabalho favoráveis remotamente.

Embora a pandemia tenha tido efeitos negativos imensuráveis na vida das pessoas, é impossível negar que o período causou uma aceleração de tendências na transformação digital das empresas.

A importância de um software de gestão do trabalho

Garantir a segurança da informação no home office começa na escolha de bons softwares e com as melhores práticas de uso acessíveis a todos. Para isso, você pode adotar uma plataforma como Runrun.it, software de gestão em formato SaaS (software as a service).

Ele permite que as informações sejam acessadas por todos, independentemente do lugar que estejam, e sem a necessidade de salvar os dados em ambientes físicos, garantindo mais segurança e integridade dos dados. 

A plataforma é uma verdadeira aliada para acompanhar e gerenciar projetos a distância, automatizar processos e gerar relatórios completos para você basear suas decisões em dados. Crie sua conta e teste grátis: https://runrun.it

trabalho hibrido” width=
 

Links de artigos e pesquisas citados: 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>