Como a organização das equipes pode influenciar na produtividade dos colaboradores

Como a organização das equipes pode influenciar na produtividade dos colaboradores

Você sabia que a disposição das mesas no seu escritório interfere nos resultados da sua empresa? Por incrível que pareça, é o que mostra uma recente pesquisa O estudo revela que, para incrementar a performance dos colaboradores, para além de investir em treinamentos, ferramentas e recompensas, os líderes e gestores devem considerar uma prática tão simples quanto eficaz: rearranjar as cadeiras no ambiente de trabalho. Pois é. Saber como organizar o escritório é fundamental para o aumento da produtividade. E, se você pensar bem, é uma das medidas mais baratas e rápidas, também.

Já abordamos como organizar uma empresa neste artigo. E neste, damos dicas sobre como trabalhar em equipe. No entanto, agora vamos conhecer os insights que a pesquisa trouxe sobre organização de escritório.

A distância entre nós

Realizada em parceria entre a empresa de gestão de talentos Cornerstone OnDemand e a Harvard Business School, a pesquisa foi intitulada “Planning Strategic Seating to Maximize Employee Performance” (em português, numa tradução livre: “Planejando estrategicamente a disposição das cadeiras maximiza a performance de colaboradores”). É o primeiro estudo a realizar esse tipo de cruzamento entre onde sentam os funcionários e o desempenho deles.

>> Leitura recomendada: Como aumentar a produtividade renovando seu espaço de trabalho

De cara, a pesquisa já traz alguns insights bem interessantes. Por exemplo, sobre como a distância entre duas mesas pode afetar a performance de dois colaboradores – em várias medidas. E mais: a investigação mostra que, se você colocar os tipos certos de funcionários próximos uns aos outros, o desempenho organizacional tende a crescer em até 15%.

Amostragem, métricas e medidas da análise

Para chegar aos resultados, os pesquisadores analisaram dados de mais de dois mil funcionários em diversas locações dos EUA e da Europa durante um período de dois anos. E uma das principais conclusões foi a de que o(a) vizinho(a) importa e muito para um(a) colaborador(a). Ou seja, a disposição organizacional faz toda a diferença.

>> Leitura recomendada: Projeto Aristóteles: o Google revelou o segredo do trabalho em equipe

E para medir as performances, os pesquisadores estabeleceram uma métrica chamada “Spillover” – que, em português, pode ser entendido como “transbordamento”, ou ainda “efeito colateral”. A métrica permitiu entender o quanto a vizinhança de mesa atrapalha ou estimula os colaboradores em três quesitos: produtividade (quanto tempo leva para realizar uma tarefa?); efetividade (quantas vezes um colaborador precisa “escalar” seu trabalho para que outro colaborador o resolva?); qualidade (quão satisfeito está quem recebeu a tarefa concluída?).

Como organizar o escritório de acordo com cada perfil de profissional

A pesquisa também levou em consideração três tipos de profissionais, baseados nos seus níveis de desempenho: alta, média e baixa produtividade.

E aqui aparecem os achados mais interessantes da pesquisa: quando um funcionário de baixa produtividade está próximo de outros que sejam altamente produtivos, o “Spillover”, ou efeito colateral, é mais intensamente alterado. Por outro lado, os efeitos colaterais são apenas incidentais quando um colaborador produtivo é exposto a outros cujo desempenho é menor.

E a pesquisa apresenta, ainda, outros pontos interessantes:

  • Trabalhadores produtivos devem ser posicionados próximos a trabalhadores de qualidade;
  • Generalistas devem ser mantidos em grupos;
  • Essa configuração resultou em um ganho de produtividade de 13% e de efetividade de 17%.

 

Revelando e eliminando as ameaças de comportamentos tóxicos

A pesquisa também aponta que os efeitos colaterais (Spillover) podem se estender a performances bem negativas por meio de comportamentos antiéticos e perigosos.

Ao medir a extensão de quanto um “colaborador tóxico” (por exemplo, alguém que agrida, ainda que verbalmente, a organização ou as pessoas) influencia os outros, o estudo descobre que o desempenho negativo desses trabalhadores “contamina” os outros da mesma forma que ocorre o efeito colateral positivo.

Para solucionar o problema – além do possível desligamento do funcionário tóxico, claro -, os autores do estudo recomendam surveys (pesquisas online). De acordo com eles, a prática captura a forma como colaboradores se sentem em relação ao ambiente de trabalho, e seus gestores podem eliminar esse tipo de ameaça.

O estudo também sugere que um simples “desvio” aumenta a probabilidade de o colaborador se tornar tóxico em 150%. Por isso, é fundamental que você se mantenha sempre vigilante.

>> Leitura recomendada: Por que e Como fazer uma pesquisa de clima organizacional

O mapa das cadeiras importa, e muito

Não tem saída. Considerar com cuidado onde cada colaborador da sua equipe ou da sua empresa vai se sentar é extremamente importante, em vários sentidos.

Os resultados da pesquisa mostram que uma organização pode elevar significativamente a performance organizacional somente pelo rearranjo espacial – sem grandes investimentos em cursos, por exemplo.

>> Leitura recomendada: Os pilares da comunicação no trabalho em equipe

É evidente que diferentes organizações terão diferentes tipos de tarefas – e diferentes tipos de Spillovers. No entanto, uma vez que uma empresa identifica quais desses Spillovers existem em seu escritório e como eles afetam diferentes perfis de trabalhadores, os gestores devem levá-los em consideração na organização do ambiente.

Afinal, o espaço físico – existente em praticamente todas as organizações e barato de ser “gerenciado” – pode ser um recurso muito importante. E que você, como líder, deve utilizar a favor da produtividade da sua empresa.

Espaço bem organizado? Então use uma ferramenta para integrar os colaboradores

Seja qual for a disposição espacial da sua empresa, você vai precisar de uma ferramenta de gestão para integrar todo mundo. Como o Runrun.it, que organiza todo o trabalho numa hierarquia: cada tarefa pertence a um projeto, e todo projeto pertence a um cliente. Você pode se comunicar com outra pessoa, tanto dentro das tarefas, deixando comentários e anexos, quanto no mural das equipes.

Além disso, o Runrun.it é intuitivo. Com ele, a comunicação fica organizada, e todos os colaboradores terão como demonstrar o quanto trabalham para serem reconhecidos. Ou seja, fica fácil colocar em prática essas dicas de como organizar o escritório. Faça o teste grátis da ferramenta aqui: http://runrun.it

Gif_Signup-1-1-3

2 thoughts on “Como a organização das equipes pode influenciar na produtividade dos colaboradores

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>