Mundo BANI: saiba como essa visão pode preparar sua empresa para novos desafios

Mundo BANI: saiba como essa visão pode preparar sua empresa para novos desafios

Desde os primórdios da humanidade, os avanços científicos e tecnológicos modificam as relações de trabalho e interpessoais da sociedade. A cada época, somos impactados por uma grande quantidade de mudanças e, para acompanhar essas transições, são criados termos que permitem a compreensão da realidade por uma nova óptica. Nas últimas décadas, o conceito predominante era o do Mundo VUCA, porém, diante do cenário de insegurança causado pela pandemia do novo coronavírus, a lente que mais se adequa ao período atual é a do Mundo BANI

Essa abreviação corresponde ao acrônimo de Brittle, Anxious, Nonlinear and Incomprehensible – que pode ser traduzido como Mundo FANI, em referência a Frágil, Ansioso, Não-linear e Incompreensível. Elaborada pelo antropólogo norte-americano Jamais Cascio, essa percepção substitui uma visão que não é mais suficiente para explicar o momento atual. 

Não há como negar o impacto da pandemia no aumento de incertezas com relação ao futuro. Conforme levantamento feito pela Hibou, empresa de pesquisa e monitoramento de mercado e consumo, hoje 78% dos entrevistados se preocupam com o bem-estar coletivo, enquanto 59% relatam estar inseguros, tanto em relação ao trabalho, quanto aos governos. 

Contudo, um estado pandêmico não é o único fator de preocupação, já que o aquecimento global e a fragilidade dos governos também acendem o sinal de alerta. Diante da imprevisibilidade, pessoas e empresas buscam compreender esse momento de transformações e se preparar para cenários cada vez mais dinâmicos. Nesse artigo, vamos mostrar como o Mundo BANI contribui para o entendimento e reação rápidas às mudanças, bem como aponta os passos necessários para a superação desses desafios.

 

As origens do Mundo BANI 

Pelas suas características e tom da abordagem, existe a ideia que o termo BANI foi idealizado após a pandemia da COVID-19. Sim, o conceito é recente, mas a sua primeira apresentação foi feita em 2018, pelo futurologista Jamais Cascio em um evento organizado pelo Institute For The Future (IFTF). No entanto, o Mundo BANI ganhou popularidade quando o autor publicou, em abril de 2020, o artigo “Facing The Age Of Chaos (Encarando a Era do Caos, em livre tradução)”, no Medium. 

Com uma linguagem mais direta, o autor aborda a perspectiva de um mundo imerso no caos da atualidade. Em seu ponto de vista, Cascio nota que os métodos de estudo em vigor não contemplam a complexidade dos problemas e seria necessário encontrar novas ferramentas para enxergar as possíveis soluções, que seriam úteis e serviriam como estrutura para pessoas e empresas se adaptarem a esse contexto. 

Foi questionando a durabilidade do Mundo VUCA que o autor chegou a uma metodologia mais atualizada e condizente com o cenário em que estamos inseridos e a denominou como Mundo BANI. Para entender as mudanças propostas por esse novo conceito, primeiro vamos explorar um pouco mais o Mundo VUCA. 

Como surgiu o Mundo VUCA 

Criado no final da década de 80, o Mundo VUCA possui bases que até então eram utilizadas como um espelho do período contemporâneo. A abreviatura VUCA também deriva da combinação das iniciais de quatro palavras: Volatilidade (Volatility), Incerteza (Uncertainty), Complexidade (Complexity) e Ambiguidade (Ambiguity). 

Deve-se avaliar que na época da elaboração do Mundo VUCA, a Guerra Fria estava se encaminhando para o seu fim e a internet começava a chegar aos lares. Com essa nova onda de transformações, ter uma ferramenta adequada para abranger as tecnologias recém-chegadas e mensurar o impacto das mudanças era necessário e o Mundo VUCA cumpriu bem esse papel. 

Explicando o termo de maneira breve, podemos dizer que a ideia de volatilidade se refere a velocidade das transições e como o mercado se tornou mais indeterminado. Já a incerteza mostra a dificuldade de se prever o futuro e encontrar padrões definidos. A complexidade engloba a redução do entendimento polarizado, mostrando que o mundo possui mais camadas que apenas o lado certo ou errado, o que torna a ação de decidir mais complicada. Por fim, a visão da ambiguidade envolve a falta de clareza das definições, em que cada escolha profissional seria arriscada e imprevisível. 

As diferenças entre Mundo VUCA e Mundo BANI

As duas abordagens guardam muitos aspectos em comum, mas também apresentam visões que são adequadas ao seu tempo. No infográfico abaixo, mostramos as principais variações entre as duas metodologias:

Os pilares do Mundo BANI

As quatro letras que juntas formam a sigla são alusivas aos atributos essenciais do Mundo BANI. São eles: 

Brittle (Frágil) 

“A fragilidade é uma força ilusória.”

Para contextualizar a primeira característica do Mundo BANI, Jamais Cascio utiliza diferentes analogias e exemplos que expõem o quanto o mundo globalizado possui rachaduras disfarçadas de armaduras poderosas. A começar pela transformação digital. Segundo pesquisa realizada pela We Are Social em parceria com o Hootsuite, o número de usuários de internet no mundo é superior a 4 bilhões de pessoas. Isso significa que essa grande maioria tem acesso aos diferentes recursos digitais na palma da mão e pode realizar inúmeras atividades com facilidade, certo? 

Sim, isso é verdade. Entretanto, uma instabilidade na rede é capaz de deixar uma grande parcela dessas pessoas desconectadas ao mesmo tempo, o que traria uma série de problemas. A nomeada fragilidade no Mundo BANI expõe um mundo de aparências, ondeo sistema de monoculturas pode causar uma crise de abastecimento e gerar outros impactos econômicos e financeiros. 

Como solução, muitos adotam uma postura de resistência e força para sobreviver ao estado caótico. No entanto, uma outra tendência vem chamando a atenção. É o conceito do antifrágil, desenvolvido por Nassim Nicholas Taleb, professor do Instituto Politécnico da Universidade de Nova York. Segundo o especialista, a conduta da antifragilidade absorve as vulnerabilidades que o rodeiam ao seu favor, encarando o processo com naturalidade e utilizando a situação pouco favorável para aprender como lidar com o inesperado. Ou seja, ao invés de precaver, a resposta é absorver a desordem para crescer e aprimorar as habilidades. 

Anxious (Ansioso)

As incertezas quanto ao futuro amplificaram um quadro bastante presente na sociedade contemporânea: a ansiedade. Nesse caso, não podemos ignorar as preocupações com o bem-estar próprio e dos familiares em decorrência da pandemia do novo coronavírus. As pressões relativas à estabilidade no trabalho e isolamento social agravaram a saúde mental das pessoas e, somente no Brasil, 86% das pessoas apresentaram algum transtorno relacionado à ansiedade nesse período, conforme dados do Ministério da Saúde

Esse estado de vigilância permanente ainda pode agravar outros aspectos, como a produtividade no trabalho e a sensação de esgotamento profundo, um sintoma da Síndrome de Burnout, outro quadro apresentado por profissionais, como aponta a pesquisa realizada por nós do Runrun.it. 

Em um momento em que o home office e o trabalho híbrido são os métodos mais adequados de trabalho, expressar sensibilidade e compreensão é a melhor forma que os líderes têm de se manter perto de sua equipe, apoiando os colaboradores em seus momentos mais delicados. A ansiedade e outros transtornos psíquicos podem ser reduzidos com a ajuda especializada e uma rede de suporte que deixe os profissionais amparados dentro de uma organização. 

Por exemplo, a abertura de um canal de diálogo entre gestores e colaboradores funciona como uma ferramenta de conexão dentro do time. Ao se colocar no lugar do outro e oferecer um espaço de escuta e troca de experiências, há o sentimento de pertencimento profissional, o que incentiva e aumenta a confiança entre os membros da empresa. O interesse pelo bem-estar do próximo é um dos princípios da vulnerabilidade da liderança, um conceito que vem ganhando força no mercado de trabalho. Para entender esse movimento, recomendamos que você assista ao nosso webinar com a Nathália Beividas, diretora de Projetos na agência CP+B Brasil.

Nonlinear (Não-linear) 

A denominada não-linearidade é, por sua vez, resultado da quebra de padrões e do surgimento de eventos não programados, como as alterações climáticas, por exemplo. O rompimento do habitual também interfere em outras esferas, como a política e a social, e abre portas para uma sensação de impotência e desconfiança, na qual a credibilidade das informações veiculadas é sempre contestada, principalmente pelo aumento das fake news. Dessa forma, a capacidade de tomada de decisão é abalada, gerando um público passivo frente às escolhas que precisam ser feitas. 

A indecisão no momento das escolhas interfere diretamente no controle da situação. Mas como é possível monitorar um evento que foge do habitual? O fator surpresa altera a linearidade dos acontecimentos e por isso é preciso estar preparado para se adaptar às novidades. 

No entanto, quando essas mudanças possuem origem biológica, a sequência das ações fica comprometida. As mudanças climáticas, a pandemia e outros ciclos que repetem a relação entre causa e efeito mostram de maneira mais clara como opera o mundo não-linear. Ao parar para pensar em todos esses aspectos, temos o pressentimento de conviver com o que é estranho. E precisamos nos adaptar a essa nova realidade.

Incomprehensible (Incompreensível) 

Todos os dias, consumimos uma quantidade de informação equivalente a 174 jornais. É o que aponta um estudo feito pela Universidade do Sul da Califórnia em 2011. Ao considerar dados mais recentes, os números são mais assustadores. Por exemplo, no Instagram, são publicados mais de 300.000 stories por minuto, segundo o relatório Data Never Sleeps, produzido pela DOMO. Isso significa que somos expostos a uma infinidade de notícias e conteúdos durante o dia. 

Todo esse acesso, facilitado pela inteligência artificial, tem seus bônus, mas também seus ônus. Inconscientemente, desejamos filtrar e interpretar essas novas informações, porém não temos a capacidade de interpretar tamanha densidade de fatos, o que deixa o cenário incompreensível. E mais: a necessidade de nos mantermos atualizados acaba por criar fenômenos sociais como o FoMo, abreviação de Fear of Missing Out, traduzido como o medo de perder algo. Esse temor de ficar por fora das notícias, acaba por nos afastar da conexão com as pessoas. No webinar a seguir, nosso CEO Antonio Carlos Soares explica um pouco mais sobre esses comportamentos e como um desligamento virtual pode gerar benefícios à saúde mental 

Essa percepção da multiplicidade de escolhas e informações a serem consumidas torna o panorama global mais confuso de ser entendido. Como notamos, o Mundo BANI é uma espécie de lupa que avista as condições do mundo atual e pode até apontar um cenário pessimista. Mas a proposta do conceito é justamente detalhar todos esses pilares, para que sejam encontradas soluções não convencionais e ações que possam indicar as perspectivas para o futuro do trabalho

As respostas do Mundo BANI para a “era do caos”

Ao passo que Cascio descreve a fundo um panorama preocupante, ele mostra em seu artigo que o Mundo BANI também proporciona soluções. “O Mundo BANI oferece uma lente para estruturar o que está acontecendo pelo mundo. Pelo menos, em um nível superficial, os componentes da sigla podem até sugerir oportunidades de resposta”, afirma o autor. 

As sugestões são encaradas como reações e não deixam empresas e pessoas no escuro. As respostas passam por competências socioemocionais, inerentes ao ser humano, que podem ser aprimoradas e utilizadas para transformar o ambiente social e profissional nos quais estamos envolvidos. Sendo assim, listamos algumas habilidades importantes para a adaptação a esse contexto. 

Colaboração e resiliência 

Além da abordagem da antifragilidade, já citada anteriormente, outra maneira combativa ao mundo frágil é o despertar de características mais humanizadas no espaço de trabalho, por exemplo. A resiliência já virou sinônimo de mantra para muitas pessoas e provou ser uma soft skill bastante valiosa ao encarar a realidade por meio de uma visão otimista, além de estimular a capacidade de improviso, fundamento essencial para a superação dos desafios. 

Por sua vez, a cooperação propaga o enfrentamento coletivo de situações que precisam ser encaradas tanto no aspecto pessoal quanto profissional. Não é de hoje que o trabalho em equipe é visto pelo fator motivacional e de engajamento, já que a união em torno de um propósito é fortalecedora. O mesmo é válido em cenários de crise. Conforme uma pesquisa realizada pela ADP Research Institute, a pandemia influenciou o crescimento do envolvimento dos funcionários e sua resiliência no local de trabalho, provando que a coletividade é capaz de transpor momentos adversos. 

Um olhar atento para o próximo e para si mesmo 

A criação de um ambiente empático é o que podemos considerar como um cenário ideal diante das premissas do Mundo BANI. A capacidade de compreender os outros sem julgamentos permite um relacionamento mais saudável entre as pessoas, principalmente no cotidiano do trabalho. A adoção da empatia ameniza sintomas mais agudos de ansiedade, pois cria-se uma abertura para o diálogo entre as partes e soluções mais adequadas para a continuidade das ações. 

Assim como perceber as necessidades das pessoas ao seu redor é benéfico, olhar para si mesmo também agrega pontos positivos. Técnicas como o mindfulness, traduzida como atenção plena, costumam aliviar o estresse e despertar a energia, além de contribuir para a melhora da concentração e facilitar a tomada de decisão, com lógica e clareza. Dessa maneira, não apenas um indivíduo sai ganhando, mas todo o contexto ao seu redor. 

Adaptação e flexibilidade 

Durante um longo período, a administração das empresas foi regida por regras e padrões bem estabelecidos. Mesmo os resultados se mostrando positivos em outros momentos, na atualidade, a rigidez nos processos coloca mais obstáculos no fluxo de trabalho. Por isso, a flexibilidade propiciada pelas metodologias ágeis ganham mais espaço nas corporações, não apenas pela agilidade na entrega dos projetos, mas pela capacidade de transformar as mudanças em insights criativos. 

Tanto a flexibilidade quanto a adaptação vêm de encontro à ideia proposta por Jamais Cascio: a solução ao Mundo BANI é mostrar o quanto somos maleáveis e capazes de moldar situações adversas a nosso favor. São nos momentos que alteram a estabilidade das coisas que as revoluções surgem. Ao absorver os impactos internos e externos, podemos reformular padrões e desenvolver uma gestão de trabalho eficiente e produtiva. 

Transparência 

Em uma era de acesso à informação, devemos concordar que não faz mais sentido esconder indicadores e resultados dos colaboradores. Quanto mais clareza e o entendimento dos objetivos do negócio, maior é a identificação dos membros da equipe com a empresa e dos clientes com as marcas.

A adoção das transparência em uma organização passa por uma série de itens, como a incorporação da gestão à vista, na qual projetos e resultados ficam visíveis a todos, o alinhamento dos canais de comunicação, para que todas as informações sejam transmitidas aos seus destinatários e a utilização da tecnologia para promover um contato mais humanizado entre as pessoas da equipe, por meio de brainstorms visuais, nos quais todos podem contribuir e tornar o time ainda mais criativo

Uma ferramenta pronta para o futuro 

No Mundo BANI, as inovações tecnológicas são mais frequentes e para acompanhar essas transformações é preciso investir em capacitações e plataformas completas de gestão que facilitem a compreensão das pessoas e do mercado, como o Runrun.it

Com o software de gestão de tarefas, você vai conseguir obter a visão do todo, acompanhado o progresso dos projetos e clientes. Além disso, você vai conseguir se comunicar de forma transparente com a sua equipe – independente de onde estiverem  – e registrar todas as decisões que foram tomadas. Crie sua conta grátis agora: https://runrun.it

mundo bani” width=  

Pesquisas e conteúdos mencionados

>https://www.panrotas.com.br/mercado/pesquisas-e-estatisticas/2021/04/pesquisa-aponta-que-pandemia-ainda-gera-medo-e-inseguranca_180812.html 

>https://medium.com/@cascio/facing-the-age-of-chaos-b00687b1f51d 

> https://wearesocial.com/digital-2021 

>https://pebmed.com.br/ansiedade-e-o-transtorno-mais-comum-entre-os-brasileiros-durante-a-pandemia/#:~:text=Segundo%20uma%20pesquisa%20realizada%20pelo,traum%C3%A1tico%20(45%2C5%25).

https://www.bbc.com/portuguese/geral-56726583

https://www.amazon.com.br/Antifr%C3%A1gil-Coisas-que-beneficiam-caos/dp/8576846136

https://www.domo.com/learn/data-never-sleeps-8

https://g1.globo.com/mg/minas-gerais/especial-publicitario/bem-viver-em-minas/noticia/2020/11/13/evitar-excesso-de-informacao-e-um-cuidado-a-mais-com-a-saude-mental.ghtml

https://www.contabeis.com.br/noticias/46826/covid-19-pesquisa-aponta-que-pandemia-aumentou-engajamento-e-resiliencia-de-funcionarios-na-empresa/

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>