“Efeito Manada”: como impedir este fenômeno na sua empresa

“Efeito Manada”: como impedir este fenômeno na sua empresa

Algumas das frases que mais escuto de gestores são: “não aguento mais falar a mesma coisa para meus colaboradores”; ou ainda: “aqui cada um só pensa no seu”.

Você já ouviu ou até disse algo semelhante para a sua equipe? Por que isso ocorre? O que está por trás deste tipo de comportamento que aflige os grupos de trabalho?

Segundo estudos do matemático Steven Strogatz, da Universidade de Cornell, nos Estados Unidos, isso ocorre devido à Força da Sincronização – uma propensão ao agrupamento dos átomos, a organização espontânea presente no Universo e em todos nós.

É definida simplificadamente para nosso cotidiano humano, como uma inclinação para harmonização das ações de forma coletiva, que todos podem desenvolver ao se agruparem com outros indivíduos. O fenômeno é observado quando o grupo começa a praticar uma mesma ação, num mesmo sentido, independente de certo ou errado. Veja no vídeo abaixo, em palestra no TED, a explicação do conceito por Strogatz.

Comportamentos individuais x coletivos

Este tipo de tendência dos indivíduos, de se comportarem da mesma forma, atualmente está sendo estudado pelo segmento da Inteligência Coletiva, e a conclusão até o momento é:

Grupos podem ser mais inteligentes e produtivos do que indivíduos sim! Isso se não começarem a sincronizar no comportamento de “Manada”. Ou seja, uma condição em que os indivíduos começam a fazer o que os outros estão fazendo, sem refletir se esse comportamento será bom para o resultado final do grupo. Como no caso de pessoas aglomeradas numa multidão, em que todos começam a querer se deslocar abruptamente numa mesma direção, sem se preocupar com os outros ao redor. A “massa” é levada sem controle e esse tumulto pode causar acidentes como fortes empurrões, esmagamentos e até pisoteamentos, se alguém sofrer uma queda.

O que o “Efeito Manada” tem a ver com sua empresa?

E por que isso é importante para sua equipe? Já dizia o filósofo Friedrich Nietzsche: “nos indivíduos a loucura é algo raro – mas nos grupos, partidos, povos, épocas, é regra.”

Vivemos inseridos nesse contexto e, diante disso, ninguém está imune a este tipo de mau uso da Força da Sincronização. Conjuntos de pessoas num trabalho podem se tornar uma boa equipe ou um mau grupo. E a próxima vítima pode ser sua empresa, equipe ou até mesmo, você!

Para evitar isso, proponho a reflexão de algumas argumentações dos colaboradores que você pode observar no dia a dia. Geralmente, exigem que sejam tomadas atitudes urgentes e assertivas, para evitar a queda na produtividade coletiva.

>> Leitura recomendada: Um por todos, todos por um: a gestão à vista como forma de engajar equipes e aumentar produtividade

Identifique comportamentos de “Efeito Manada”

Exemplos usuais de funcionários ou membros da equipe sob “Efeito Manada” (EM):

“Por que todos podem sair mais cedo e eu não?”
“Todo mundo faz assim, eu também comecei a fazer.”
“Se todo mundo errou, por que só eu sou o responsável?”

Já viu isso acontecer? Reconheceu outras pessoas? Você se identificou com os exemplos?

O gestor que vivencia ou já assistiu isso ocorrer não está diante de pessoas essencialmente egoístas ou individualistas. Simplesmente está presenciando uma situação em que a ação do coletivo prevalece e o indivíduo se sente mais à vontade seguindo o grupo. Está entrando em “Efeito Manada” e sem perceber se essa forma de trabalho faz sentido. Em alguns momentos, quando olha para o lado, ele observa todos tendo a mesma atitude e se torna lógico fazer igual. Mas, a longo prazo, isso vai se tornar um grave problema na equipe, além de ocasionar atrito entre os membros e diminuição da produtividade.

Imagine se todos começarem a querer sair mais cedo, porque outros estão saindo. Justificar suas ações ao invés de mudá-las, porque todos estão fazendo assim. Ou se ninguém começar a assumir a responsabilidade em relação às suas atitudes, porque todos fazem isso. E a não se preocuparem com as próprias tarefas, porque os outros integrantes da equipe também não se preocupam. Qual a chance disso dar certo no final?

>> Leitura recomendada: Gerenciamento de conflitos: o que fazer para manter a harmonia na equipe

Como impedir a sabotagem do seu time

A Inteligência Coletiva relata diversos comportamentos que podem sabotar uma equipe. Vou citar quatro dos itens mais relevantes. Esses fatores são desencadeadores de EM nos grupos de trabalho, e o líder deve evitá-los:

1 – Falta de clareza na elaboração da meta

Quanto menos detalhada for a informação, quanto maior a falta de planejamento, gerenciamento e descrição das tarefas, maior a chance das pessoas não saberem como conquistar a meta proposta. Isto pode causar um EM de paralisia coletiva, em que ninguém tomará nenhuma atitude por não existir protocolo definido para determinadas situações. Ou pior ainda, alguém pode ter uma interpretação errônea do objetivo a ser atingido, e todos começarem a seguir esse caminho até o ponto que levará a um abismo sem retorno.

Exemplos de frases típicas desta condição: “eu não sabia”, “ninguém me falou que era assim”, “não foi a informação que chegou até mim”, “eu não entendi assim”.

>> Leitura recomendada: Expectativas alinhadas, prioridades estabelecidas: conheça a metodologia de pilha e seus benefícios

2 – Falta de independência profissional

Quanto mais engessado o sistema de trabalho, menor a possibilidade de postura flexível dos colaboradores. A médio prazo, a rotina fortemente estabelecida vai robotizando as pessoas, deixando-as cada vez mais cheias de vícios de trabalho e não demora muito para começarem a sincronizar via EM.

Aquilo vai crescendo e contaminando todos ao redor, que começam a praticar a mesma ação no mesmo sentido que os demais, tornando todos cada vez mais inflexíveis. Exemplos de frases típicas desta condição: “esse trabalho não vai mais dar tempo hoje”, “este serviço não sou eu quem faço”, “não posso te dar certeza se vou conseguir, porque não depende só de mim”.

3 – Falta de diversidade de perfis

Por mais que a filosofia da empresa, missão, visão e valores já estejam pré-definidas e bem estabelecidas, a ausência de perfis psicológicos diferentes e complementares entre indivíduos da mesma equipe pode fechar o leque de possibilidades. Isso limita a criatividade e a melhoria das atividades com poucas formas de análise de necessidades.

Se todos tiverem o mesmo perfil de afinidades num curto espaço de tempo iniciam a sincronização via EM e começam a ter as mesmas opiniões e atitudes para tudo, independente da área de atuação. O que pode causar um grande desequilíbrio na empresa inflando demais alguns setores e deixando outros abandonados. Exemplos de frases típicas desta condição: “não me sinto bem fazendo isso”, “qual a necessidade de termos este setor na empresa?”, “vamos deixar este departamento para depois”.

>> Leituras recomendadas:
Como o estímulo à diversidade cultural pode resultar em mais criatividade para a sua empresa 
Cultive a diversidade de gênero em sua empresa para alcançar melhores resultados

4 – Falta de segurança psicológica

Recentemente, o Google, obcecado por descobrir padrões que melhorem o trabalho em equipe, criou o projeto Aristóteles (leia nosso artigo sobre o Projeto Aristóteles: os segredos para o trabalho em equipe). Eles descobriram que a segurança psicológica é fundamental para o crescimento em equipe. E a ausência dela é a principal causa de EM, na minha opinião. Uma pessoa insegura psicologicamente, desconfortável dentro de um grupo, dispara dentro de si o instinto mais primário de todo ser vivo: a sobrevivência.

Para se proteger dos perigos decorrentes da falta de confiança ao seu redor, ela começa a se defender escondendo seus erros. Como consequência, cria um clima de insatisfação no ambiente, o que acaba sendo disseminado entre os outros membros da equipe. Todos passam a agir dessa mesma forma, se autoprotegendo, sem se preocupar com o resultado final. Resultado: “Efeito Manada” crescendo e a produtividade? Despencando. Exemplos de frases típicas desta condição: “não fui eu!”, “a culpa é sua”, “isso não vai ficar assim”, dentre outras possibilidades.

>> Leitura recomendada: Tudo sobre produtividade: um guia com dicas, estudos e artigos para adaptar à sua rotina

Olhos abertos para o prejuízo

Por mais que a sincronização via “Efeito Manada”, por muitas vezes, pareça um caminho plausível para se conquistar um bom resultado, por ser de fácil assimilação e estar ancorado no argumento de que todos fazem assim também. Seu uso contínuo pode ser extremamente prejudicial, em todos os segmentos da vida.

O primeiro passo para um grande líder evitá-lo é saber que existe e como funcionam os fatores descritos acima. Desta maneira, quando você observar sua equipe nesse caminho, irá perceber o quanto isso pode ser determinante para o sucesso da sua empresa e, como líder, buscará uma solução.

O outro viés de atuação da Força de Sincronização coletiva, e que é bem diferente do “Efeito Manada” – EM, é o que chamamos de comportamento “Mente de Colmeia” – MC. É sobre isso que vou falar…no próximo artigo.
Adriano Simoes


Automação para evitar “Efeito Manada”

Para minimizar os riscos de EM na sua equipe, você, gestor(a), conta com o Runrun.it. A ferramenta ajuda a estimular e motivar os colaboradores com metas claras e planejamento das suas atividades.

O software é um aliado no gerenciamento e descrição das tarefas, compartilhamento de informações, gestão do tempo e trabalho. Experimente agora um teste grátis: http://runrun.it

 

Gif_Signup-1-1-3

8 thoughts on ““Efeito Manada”: como impedir este fenômeno na sua empresa

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>