Conheça o roadmap: a ferramenta que auxilia no desenvolvimento de projetos

Conheça o roadmap: a ferramenta que auxilia no desenvolvimento de projetos

“Para quem não sabe onde quer chegar, qualquer caminho serve”. A frase, escrita pelo autor britânico Lewis Carroll (1832-1898) no clássico As Aventuras de Alice no País das Maravilhas (1865), já virou um ditado popular usado em inúmeras situações, principalmente no meio corporativo. E por mais clichê que pareça ser, tem seu fundamento. Afinal, sem um plano de ação, fica difícil alcançar os resultados almejados. É por isso que algumas ferramentas são importantes para direcionar as ações de uma empresa, como é o caso do roadmap

Metodologia extraída da gestão de produtos, o roadmap é o equivalente a um guia de viagem, mostrando com detalhes todas as paradas e rotas, ou melhor, processos e passos necessários para a construção do planejamento estratégico  ou para um  lançamento de grande importância para uma empresa. 

Mapeando todas as estratégias, etapas e envolvidos no projeto, o roadmap é um documento fundamental para organizar as tarefas e definir os caminhos a serem percorridos desde o desenvolvimento inicial do produto até o relacionamento com o cliente após a entrega final, direcionando as ações conjuntas e auxiliando nas próximas tomadas de decisões

Nesse artigo, você vai saber: 

 

O que é o roadmap?

Quando falamos de roadmap, algumas analogias são bastante utilizadas para explicar e traduzir o termo. A mais lógica é a de um mapa rodoviário, como já mencionamos na abertura deste texto. O preceito é similar, já que o documento direciona o caminho que a sua empresa precisa tomar para sair do ponto A (sem produto ou projeto) até o ponto B (com aquele produto ou projeto pronto). 

Valendo de seu apelo visual, pode ser compartilhado com todos os envolvidos como um instrumento da gestão à vista, mostrando para desenvolvedores, líderes e stakeholders a evolução em cada etapa, o que abre portas para uma construção coletiva de funcionalidades. Flexível, o roadmap inclui os pontos de melhorias, como feedbacks apontados pela equipe e clientes, pode trazer os resultados dos testes realizados e permite eventuais mudanças na rota prevista. 

Por essas características, o roadmap é aplicado em ações de grande investimento, cumprindo o papel de nortear o passo a passo de cada departamento, do time de desenvolvimento à equipe de marketing, assegurando que o projeto saia do papel conforme o roteiro planejado. 

Por que o roadmap é tão importante? 

O processo de desenvolvimento de um produto pode ser visto como algo abstrato para muitas pessoas, inclusive pelos próprios colaboradores. Isso porque tudo começa com uma ideia, que pode partir de uma requisição do cliente ou de uma percepção da necessidade de criar algo novo para suprir as necessidades do público. 

Até que a ideia saia do papel, nem todos conseguem visualizar o produto final de forma tangível. Por isso, o roadmap funciona como um plano de ação sintetizado, abordando os objetivos principais e urgentes daquele momento, e principalmente respondendo a três perguntas principais para o planejamento estratégico daquele lançamento: 

  • Onde a sua empresa está posicionada no mercado? 
  • Aonde você quer chegar com a criação de um novo produto/serviço?
  • E como fará para alcançar esses objetivos? 
 

A partir dessas respostas, é possível traçar as rotas para conquistar os objetivos propostos e materializar cada parte das atividades, deixando as atividades mais claras e concretas para que os colaboradores entendam a sua função no desenvolvimento. Por essas capacidades de alinhamento, o roadmap é uma ferramenta que pode ser incorporada à gestão de tarefas e ao cronograma de projetos, pois com descrições simplificadas estabelece as prioridades e a sequência de atividades, fazendo com que a equipe foque apenas nas demandas essenciais.  

O alinhamento proporcionado pelo roadmap não diz respeito somente às etapas operacionais, mas envolve também a apresentação do projeto aos sócios e líderes de departamento. Seja em encontros presenciais ou em reuniões virtuais, o roadmap pode ser aberto ou compartilhado como um guia, mostrando os pontos de partida e chegada e o que precisa ser feito por cada área, além de ajudar a mensurar o orçamento do produto, prevendo quanto custará cada fase de desenvolvimento do produto.

Os modelos de roadmap 

Tal qual os roteiros e mapas de viagem possuem diferentes versões, o roadmap possui suas variações conforme o propósito para o qual ele será utilizado. A seguir, selecionamos as principais para você conhecer: 

Roadmap de produto 

Normalmente, são utilizados em empresas de cunho tecnológico, mas se encaixam perfeitamente com o desenvolvimento de produtos e projetos de outros setores, como a arquitetura e engenharia, por exemplo. 

Nesse modelo de roadmap estão expostos os feedbacks e direcionamentos coletados a partir do contato com os clientes e lideranças, e tais descrições serão importantes para definir os recursos e usabilidades que o novo produto irá apresentar ao mercado. 

Utilizando métodos ágeis, como o scrum, são iniciados os ciclos de construção do produto de acordo com a estrutura desenhada no roadmap. Com o decorrer das atividades, há o período de testes e experimentações e para por fim, o produto ou serviço ser lançado conforme o planejado. 

Roadmap estratégico 

Esse modelo de roadmap é elaborado junto com o planejamento estratégico anual de uma empresa. Quando as metas definidas devem ser alcançadas a longo prazo, é preciso ter um instrumento norteador que irá mostrar o que precisa ser feito a cada período para que os objetivos sejam cumpridos e os resultados possam ser conquistados. 

Por isso, o roadmap estratégico contém informações mais ricas e precisas, detalhando os passos subsequentes após a finalização de cada ciclo e facilitando a gestão e execução dos projetos a longo prazo. 

Roadmap de desenvolvimento pessoal

Também conhecido como roadmap de coaching, ele diz respeito ao contexto pessoal e profissional de um indivíduo. A partir de um objetivo idealizado, ele irá dividir o caminho até esse propósito em pequenas jornadas, mostrando as ações necessárias para você chegar ao cargo onde deseja ou realizar aquela viagem de seus sonhos, por exemplo.

>> Leitura recomendada: Kaizen: saiba como o método pode melhorar a produtividade da sua empresa

Como criar e colocar um roadmap em prática? 

Da ideia genial para um novo produto até a aceitação dele no mercado, há um longo caminho que a sua empresa precisará percorrer. E sem um guia para orientar os testes, avaliações e as melhorias, a proposta que parecia ser inovadora pode se transformar em um produto sem praticidade efetiva para o consumidor final. 

Isso não representa que o roadmap é um manual com regras rígidas, mas um roteiro que mostra os pontos principais de desenvolvimento e conduz a companhia rumo ao melhor resultado. Por isso, é importante que o roadmap seja usado para documentar todas as ações programadas desde o momento que você define o planejamento estratégico para a sua empresa.  

Quer saber quais são as etapas de construção de um roadmap? Detalhamos elas para você: 

Defina os objetivos estratégicos 

Você já percebeu que nesse artigo, falamos várias vezes sobre a necessidade de ter um planejamento estratégico para que a empresa obtenha lucros e crescimentos. Dessa maneira, você terá uma visão abrangente do momento atual da instituição, o espaço que ela ocupa no mercado e qual é o potencial que ela pode alcançar dali a alguns anos. 

Ao saber em qual patamar sua corporação deseja chegar, todas as ações devem convergir para que esse objetivo se cumpra. Logo, com todos os caminhos desenhados em um roadmap, não há a necessidade de criar atalhos incertos para acelerar o processo. Seguindo as diretrizes planejadas, você será conduzido(a) com segurança rumo ao sucesso. 

Dessa maneira, os produtos e serviços que serão lançados devem estar de acordo com a visão proposta. Se a intenção é que a sua empresa esteja mais conectada ao ambiente digital daqui há 3 anos, por exemplo, seus lançamentos devem entregar funcionalidades atualizadas e que conversem com as necessidades do público-alvo. Nessa situação, o roadmap irá apontar os procedimentos padrões que serão feitos, relatar as características fundamentais que tornam o produto diferenciado e mostrar as oportunidades e tendências digitais do seu setor de atuação. 

Descubra os problemas que precisam ser resolvidos 

O uso do roadmap está inserido dentro da visão de uma gestão ágil, na qual um dos princípios é uma comunicação aberta com o cliente e a construção colaborativa de novas ferramentas. Essa inclusão é imprescindível, pois o cliente mostrará quais são as dores que enfrenta por não ter a solução ao seu alcance. Além disso, você conta com informações sobre como ele consome  os produtos atualmente, o que permite o entendimento de qual é o melhor formato para disponibilizar o seu item depois de pronto. 

A partir dessas consultas e pesquisas de mercado e marketing, você terá dados concretos para traçar as rotas em seu roadmap e definir todas as etapas necessárias para que seu lançamento seja inovador e alcance o objetivo desejado. 

Avalie o tempo, pessoas e os recursos necessários

Para que um projeto saia do papel, é preciso fazer uma avaliação de quais recursos serão necessários para que o produto seja aprovado. Em um roadmap, você pode listar todos os profissionais que estarão envolvidos, detalhar a gestão do tempo e a organização das tarefas e definir o aporte financeiro que tem para concretizar a ideia. 

Assim, você não correrá o risco de ter os processos interrompidos por falta de dinheiro ou planejamento. E os imprevistos e mudanças de planos? Bem, o roadmap, assim como os métodos ágeis, é bastante flexível e permite alterações no meio do caminho se for constatado que o objetivo original é inviável.

Estabeleça as funcionalidades 

No roadmap, também há espaço para agregar informações, como as sugestões e ideias compartilhadas por parceiros e clientes. Depois que reunidas em uma lista, fica mais fácil priorizar cada uma das funcionalidades elaboradas, conforme a coerência com a ideia estabelecida e a praticidade de esse recurso ser efetivado. 

Uma maneira bem prática de categorizar as funções é usando o diagrama de Kano. Esse método de gestão de qualidade elenca os atributos em três grupos: os obrigatórios, que correspondem às necessidades básicas dos clientes; os de desempenho, que são aspectos que tornam o produto mais satisfatório e eficiente; e os de encantamento, que são detalhes e experiências que superam as expectativas.

Revise o roadmap com frequência 

Assim como os mapas rodoviários são atualizados com a inclusão de novas rotas e pontos de referência, o roadmap deve ser revisitado com certa frequência, pois ao decorrer do desenvolvimento, os feedbacks podem mostrar outros caminhos para o projeto.

Inclusive, o documento deve continuar sendo utilizado mesmo após o lançamento do produto, pois surgirão novas avaliações que, quando bem trabalhadas, resultaram em incrementos e versões reformuladas do serviço oferecido, mostrando que a sua empresa está preparada para responder às sugestões e valorizar a opinião dos seus clientes. 

As ferramentas para usar e visualizar o roadmap 

Uma das vantagens de utilizar o roadmap é que ele se encaixa perfeitamente em qualquer modelo de organização, das mais tradicionais até as mais atualizadas, que estão alinhadas com os pilares da gestão 4.0. E claro, os roadmaps podem ser criados e vistos em diferentes plataformas, planilhas e softwares de gestão de trabalho. 

Um bom exemplo é o próprio Runrun.it. A ferramenta possui um layout agradável e um funcionamento bastante intuitivo, onde você pode criar as etapas do roadmap em quadros e acompanhar o progresso das atividades em uma única página, além de selecionar qual o modo de visualização que mais se enquadra com o seu fluxo de trabalho

Nesse quesito, a ferramenta oferece duas opções: o kanban, um framework ágil e simples de usar, em que é possível visualizar o percurso das atividades do planejamento à entrega, além de ser um recurso que evita a microgestão, pois os líderes contam com informações transparentes sobre a produtividade dos colaboradores. 

No kanban, define-se etapas pelas quais as tarefas devem passar até ser entregues. Isso torna o fluxo mais enxuto e ágil

O segundo formato de visualização possibilitado pela plataforma é o Gráfico de gantt, que possui um visual bastante semelhante ao idealizado para o roadmap. Com essa funcionalidade, você consegue observar a capacidade de execução e tempo investido para desempenhar as tarefas. 

Dessa maneira, é possível fazer uma distribuição de demandas equilibrada, identificar possíveis gargalos no processo e realizar o gerenciamento do tempo e recursos em um único lugar. 

cronograma
Com o Gantt, você acompanhar a capacidade de trabalho da sua equipe

Uma ferramenta que é o motor para você chegar lá

Para conduzir as etapas listadas no roadmap com mais agilidade e segurança, você pode contar com uma ferramenta online de gestão como o Runrun.it. Com ele, você acompanha, em tempo real, o andamento de todas as demandas e projetos realizados.

Com o sistema, você pode visualizar, de forma inteligente e estratégica, o que está em desenvolvimento através do Quadros, um kanban que fornece a visão do todo, cujas colunas representam etapas. E, por meio de um Dashboard, você consegue criar e monitorar as métricas de desempenho que são importantes para a sua empresa.

gestao 40” width=  

Leituras recomendadas e temas mencionados

 5 passos na implementação de sistemas de TI

Elimine 7 gargalos no gerenciamento de TI

https://en.wikipedia.org/wiki/Kano_model

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>