Usar SaaS pode transformar sua empresa em 2017 – e poderia ter te salvado do ciberataque do WannaCry

Usar SaaS pode transformar sua empresa em 2017 – e poderia ter te salvado do ciberataque do WannaCry

Você já deve estar cansado de escutar sobre o WannaCry – aquele vírus do tipo ransomware que atacou empresas do mundo todo no dia 12 de maio, cobrando resgate em bitcoins para a liberação dos dados. Neste artigo do UOL tem tudo explicado, se você dormiu no ponto e ficou offline nos últimos dias. O que nos interesse neste post é a forma como o vírus agiu e como usar um SaaS poderia ter salvado o trabalho de muita gente (leia aqui sobre o que é SaaS).

Local versus nuvem

Segundo a reportagem do UOL, o WannaCry pode ter atacado em rede, “sequestrando” os arquivos das máquinas afetadas. Ou seja, pode ter se espalhado sozinho na rede/internet, sem interação humana, indicando que ele é um worm. Neste caso, se um computador de uma empresa estava ligado aos outros em rede, todos poderiam ser infectados. Isso tirou o sono de muita gente, já que a maioria das empresas trabalha em rede local, ou seja, guardam seus arquivos ou nos computadores ou em servidor próprio. Mas pode ser que ele tenha sido enviado por e-mail, necessitando da ação humana para se espalhar…

De uma forma ou de outra, e se os profissionais mantivessem arquivos e gerenciassem seu trabalho com ferramentas na nuvem? Não haveria preocupação, uma vez que o computador estar infectado não impediria que o profissional acessasse suas tarefas entregues, os documentos compartilhados com a equipe e as decisões registradas no sistema a partir de outra máquina – ou até mesmo de um app mobile. A perda produtiva seria mínima.

Além disso, segundo o líder do time de desenvolvimento do Runrun.it, Felipe Navas, “custa muito caro [manter a segurança] e precisa de gente especializada para garantir que os seus sistemas estão seguros. E nem toda empresa pode arcar com esses custos”. Ele ainda afirma que “o vírus é apenas uma das formas de você perder dados”. Navas exemplifica que também pode acontecer falhas no hardware, como problemas no hd. “Usando SaaS é como se você terceirizasse para um especialista guardar seus dados e, mesmo que seu hd queime, ou um vírus malvado sequestre o seu computador, seus dados continuam seguros e acessíveis em qualquer máquina com um navegador”, afirma.

Um cliente do Runrun.it, por exemplo, que fosse atacado pelo WannaCry, poderia liberar seus colaboradores para trabalhar em casa, sem prejuízo das informações envolvidas nos projetos e do esforço já investido nas tarefas. Isso porque a ferramenta oferece espaço de armazenamento para arquivos e comentários nas tarefas, que ajudam a lembrar o que foi discutido nos projetos – sem a necessidade de usar o e-mail ou pastas locais. O ransomware também lembrou da importância de salvar versões do trabalho na nuvem todos os dias, à medida que ele vai sendo executado – não importando seu formato.

Investir em SaaS será o melhor investimento em 2017

Nós já dissemos neste post por que você deveria contratar um software nacional, e seus benefícios frente aos estrangeiros. Mas a Forbes publicou um artigo em que lista os cinco motivos para sua empresa mudar para os SaaS ainda este ano. Ou seja, deixar de usar aqueles softwares que são instalados em cada máquina da sua empresa, e muitas vezes ficam em sua rede local, por software as a service (SaaS), aqueles softwares que estão na nuvem e são acessados em qualquer navegador de internet (assim como o Runrun.it). O autor do artigo fala em migrar a equipe de TI para SaaS, mas nós sugerimos até para pequenas empresas que não possuem times de TI.

1. Custo

Sim, os SaaS são MUITO mais baratos do que os softwares tradicionais. Pense em quanto você já não investiu em licenças para cada máquina de sua empresa. Ou não investiu, pelo preço.

2. Manutenção

Sem necessidade de manutenção e reparo de hardware, como lembrou Felipe Navas acima.

3. Espaço

Salas para servidores e toda uma equipe de TI interna são necessários para os sistemas tradicionais. Além do espaço e do custo com folha, gasto com energia elétrica.

4. Atualização do sistema e customizações

As atualizações de SaaS são feitas de um dia pro outro, automaticamente, você não precisa baixar uma nova versão. Fácil, não? E algumas empresas ainda oferecem possibilidade de você comprar alguma feature específica para a sua necessidade.

5. Gestão de tempo e performance

O deploy de um software na nuvem é muito mais rápido – mesmo que ele seja usado em diversos lugares. Significa que você não precisa perder tempo adquirindo e instalando infraestrutura e VPN.

Na nuvem e no Runrun.it

Não é apenas um reflexo do ataque do WannaCry, mas uma tendência entre as empresas passar a usar serviços na nuvem. Neste post sobre tendências de mercado já havíamos antecipado que investir em serviços na nuvem e automatização seriam duas das orientações estratégicas para as empresas neste ano. Por que você não começa já testando o Runrun.it? Ele é um software de gestão de projetos, tarefas e o fluxo de trabalho, que armazena tudo na nuvem para facilitar a sua vida. E ainda automatiza o trabalho burocrático do gestor, permitindo a ele focar seus esforços no que realmente importa. Teste grátis: http://runrun.it

>> Leituras recomendadas:

 

Gif_Signup-1-1-3

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>