Inteligência artificial na publicidade: o que você precisa saber para não ficar fora dessa revolução

Inteligência artificial na publicidade: o que você precisa saber para não ficar fora dessa revolução

É possível que você já esteja utilizando os artifício da inteligência artificial sem nem mesmo ter percebido. Isso porque os sistemas e ferramentas que fazem uso de inteligência artificial na publicidade estão sendo cada vez mais disseminados entre as empresas do ramo. E não só: estão presentes também em diversos aplicativos do seu cotidiano, como em alguns streamings de música e vídeo, jogos online e redes sociais, que já fazem uso do machine learning (ou “aprendizado da máquina”) como recurso para melhorar a interação.

A propósito, leia mais sobre o assunto em nosso artigo sobre computação cognitiva.

Ela já está entre nós

Um teste prático para verificar como as evoluções tecnológicas estão afetando seu cotidiano, de acordo com este artigo sobre inteligência artificial da Propmark, seria olhar ao seu redor e imaginar como era esse ambiente 50 anos atrás. Bem diferente, não?

Pois é, então tente agora fazer o caminho inverso. Procure imaginar como as coisas estarão 50 anos à frente. Com certeza a paisagem urbana tende a sofrer alterações em seu visual, mas, além do design, as formas operacionais e estruturas sociais também estarão bem diferentes – e isso ocorrerá em grande parte por conta do uso da inteligência artificial (IA).

A experiência de IA em Her

No filme Her, de Spike Jonze, nos deparamos com a personagem artificial Samantha, que é simulada por um sistema operacional. Ou seja, um protótipo de inteligência artificial. Há um momento no filme em que Samantha diz a Theodore, o protagonista, que, ao ler as milhares de cartas que ele escreveu para seus clientes, foi possível selecionar trechos semelhantes.

Com isso, teria sido possível traçar uma linha de raciocínio sobre a depressão coletiva dessas pessoas, numa quantidade de informações suficiente para criar a história de um livro. Tal é o poder da inteligência artificial: análises criteriosas a partir de lotes de dados que nós levaríamos anos para compilar. Não é de admirar que Theodore não fosse o único personagem do filme a namorar seu próprio laptop!

Onde a inteligência artificial em publicidade já é utilizada

Já a empresa de inteligência artificial GumGum elencou, neste artigo da AdWeek, oito possibilidades de você já ter se deparado com a inteligência artificial na publicidade sem nem menos notado:

1. Ferramentas de busca

O Google utiliza um sistema de inteligência artificial denominado RankBrain para entender melhor o que os usuários estão tentando localizar em suas buscas. Além de utilizar recursos de machine learning, o RankBrain é capaz de traduzir textos com os quais o buscador Google nunca tenha tido contato antes para produzir buscas de significados similares.

2. Marketing programado

Você com certeza já se deparou com uma campanha publicitária na timeline do seu Facebook que estava relacionada a um produto do qual você realmente estava precisando – ou porque fez uma pesquisa relacionada, ou por conta dos algoritmos de IA que fizeram uma análise acertada de acordo com os fatores demográficos da sua região.

3. Banners com imagens

A partir de milhões de imagens marcadas em uma rede neural artificial, a tecnologia de IA pode ser treinada para identificar todos os tipos de objetos, pessoas, cores, conceitos e logotipos. Dessa forma, a tecnologia pode colocar um anúncio apropriado dentro de um banner. Por exemplo, um pai poderá ver um banner com anúncio para cadernos dentro de uma foto de ambiente escolar que foi automaticamente inserido por essa IA.

4. Perfil do consumidor

Algumas organizações usam análises a partir de bancos de dados para classificar seus clientes em diferentes grupos. Essas informações são baseadas em questões demográficas, compras realizadas no passado, comportamento off-line e histórico de navegação online. Através de análises preditivas, os comerciantes podem até mesmo identificar quando os consumidores passarão por determinados eventos da vida – como os períodos em que eles estão mais propensos a mudar seus hábitos de compras. Em um exemplo famoso, a rede de varejo norte-americana Target usou o histórico de compra de seus clientes para enviar correspondências com produtos para bebês, e com isso previu a gravidez de uma garota antes mesmo que ela tivesse dado a notícia aos pais.

5. Liderança automatizada

Assistentes de vendas automatizados usam inteligência artificial para realizar conversas introdutórias com potenciais clientes. Isso permite que as empresas coletem informações de contato, promovam os recursos do produto e eliminem os clientes improváveis em grande escala – tudo sem nem sequer envolver suas equipes de vendas.

6. Marketing de produtos

As lojas online oferecem recomendações personalizadas através de filtros colaborativos, uma solução de IA que relaciona os visitantes do seu site através de gostos semelhantes. Se o usuário A e o usuário B comprarem os mesmos cinco produtos em um determinado mês, por exemplo, há uma boa chance de que o usuário A se interesse pelos mesmos produtos que o usuário B venha a adquirir no mês seguinte.

7. Preço dinâmico

O recurso de preço dinâmico utiliza machine learning para definir o preço mais razoável para um bem ou serviço em determinado momento, com base no que as pessoas estão dispostas a pagar pelo produto em circunstâncias similares no passado. É por isso que os preços das passagens de avião flutuam de acordo com o número de vezes que você faz uso do serviço. Isso também explica o aumento do preço do Uber quando você usa o aplicativo, por exemplo, em um sábado à noite.

8. Sincronicidade

Empresas digitais podem fornecer experiências envolventes e personalizada através da interface de usuário passiva, uma forma de IA. Este método coleta dados comportamentais de dispositivos de consumo continuamente, usando machine learning para adaptar a experiência aos desejos e necessidades do consumidor. Exemplo disso é o que o Spotify faz ao rastrear dados de usuários que gostam de realizar cooper para combinar a batida da música com o ritmo da corrida.

Já mais especificamente dentro da publicidade, é possível citar o exemplo da Alana, um sistema de inteligência artificial que está sendo desenvolvido pela startup brasileira Nexus Edge exclusivamente para a publicidade. O objetivo do projeto é automatizar e interpretar dados de ponta a ponta na cadeia da propaganda.

Fazendo a diferença ao usar inteligência artificial na publicidade

Marcel Jientara, CEO da Nexus Edge, salienta neste artigo do PropMark que, no mercado publicitário, “estamos andando em ciclos há 10 anos”, ressaltando a importância de modernização do setor. Em reforço, Steve Wadsworth, da Forbes, afirma que a inovação tecnológica está acontecendo tão rápido que é quase impossível acompanhá-la, transformando o ambiente de marketing em um local ao mesmo tempo excitante e assustador.

De acordo com um dos insights do guia de marketing da GumGum, e-book intitulado “It’s an AI AI AI AI World”, os computadores teriam a capacidade, em relação ao nosso intelecto, de duplicar seu desempenho a cada 18 meses. Isso explicaria por que estamos sendo substituídos, em parte, pela inteligência artificial, como foi retratado em um dos nossos artigos sobre o que é a IA, e também no artigo sobre impacto da inteligência artificial na inovação da gestão e neste ebook sobre a transformação digital no trabalho.

Números que você precisa conhecer

Além dessa grande diferença de produtividade, a GumGum ressalta alguns números de como a inteligência artificial na publicidade já está transformando o mundo do marketing:

68% dos CEOs confirmaram que sua empresa já está vendendo, usando ou planejando negócios a partir do uso de inteligência artificial;

55% dos CEOs esperam que a IA tenha maior impacto no marketing e nas comunicações do que as mídias sociais tiveram;

58% acreditam que, nos próximos cinco anos, as empresas terão de competir usando recursos de inteligência artificial para ter sucesso. Confira 7 exemplos de automatização que você pode adotar para agilizar o trabalho em sua organização a partir do software Runrun.it;

16% das organizações recentemente pesquisadas pela Tata Consultancy Services afirmaram que fazem uso da IA para impulsionar a venda de mídias.

Ainda de acordo com o e-book da GumGum, em vez de “correr e se esconder”, os comerciantes estão estudando as bases da inteligência artificial e seus diversos recursos para incorporá-los em suas organizações:

78% das organizações esperam estar aptas a fornecer aos clientes experiências por meio do uso de realidade virtual nos próximos quatro anos;

80% das organizações usarão chatbots para interações com clientes até 2020 – confira nosso artigo sobre softwares de inteligência artificial onde falamos de chatbots e diversas outras ferramentas prontas para você implementar no seu dia a dia;

48% das organizações já implementaram tecnologias de automação em vendas, marketing e atendimento ao cliente, com outras 40% planejando fazê-lo até 2020;

19% das empresas globais pesquisadas pela Tata Consultancy Services disseram que utilizam ferramentas de automação para antecipar compras de clientes e apresentar propostas de negociação.

Se o lema é adaptação, vale a pena testar um software de automatização como o Runrun.it para não ficar para trás na indústria publicitária. Faça um teste gratuito e aumente sua produção hoje mesmo: http://runrun.it

Gif_Signup-1-1-3

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>