O que é gestão? Tudo o que você sempre quis saber, mas nunca teve coragem de perguntar

O que é gestão? Tudo o que você sempre quis saber, mas nunca teve coragem de perguntar

Muitas vezes, no mundo corporativo, assumimos que todos sabem exatamente o que é gestão. Mas será que é assim mesmo? Nós gostamos de definir gestão como a atividade administrativa que via atingir os objetivos da companhia de maneira eficaz, valorizando o conhecimento e as habilidades das pessoas. Sendo assim, o gestor deve ter a capacidade de manter a sinergia entre o grupo, a estrutura e os recursos já existentes.

Porém, pensando em esclarecer definitivamente o que é gestão, elencamos alguns fatos históricos a respeito e quais os tipos de gestão que você pode adotar na sua empresa. Algo bem didático, estilo Wikipédia, mas com a propriedade de quem vive imerso no ambiente gerencial, de gestor para gestor.

 

Mas, primeiro, vamos esclarecer uma questão muito importante:

Gestão e administração são a mesma coisa?

Na análise gramatical, sim. E muitas vezes os dois termos são entendidos como sinônimos até por profissionais. Mas, na prática, há algumas sutis diferenças que precisam ser analisadas.

Vamos à etimologia: administrar significa planejar algo, controlar e dirigir os recursos humanos, materiais e financeiros. Em sua concepção, o termo é mais voltado para o aspecto técnico, com foco no processo administrativo.

Segundo o francês Jules Henri Fayol, fundador da Teoria Clássica da Administração, o administrador é responsável por conduzir a empresa, levando em consideração alcançar os objetivos da organização. Sendo assim, a administração é racional e visa a atingir as metas e os propósitos da empresa.

E o que é gestão?

 

Já a gestão tem como princípios fundamentais incentivar a participação, estimular a autonomia e a responsabilidade dos funcionários. O foco é a questão gerencial, cujo processo é voltado para o político-administrativo. Ou seja, carrega componentes mais humanos, mais intuitivos do que a administração.

O que é gestão na História? Uma breve linha do tempo

A humanidade é “gestora” faz muito tempo. Ainda que o termo sequer existisse, poderíamos associá-lo à concepção tradicional de liderança. Foram técnicas rudimentares de gestão que permitiram que líderes construíssem cidades e impérios, que erguessem obras monumentais, como catedrais e castelos. O medo costumava ser a principal ferramenta utilizada pelos gestores – tais como os senhores dos escravos, que o usavam para forçar o trabalho dos seus subordinados.

Até que, em meados do século XVIII, o inglês Adam Smith e outros economistas começaram a estudar o aumento da produtividade por meio da divisão do trabalho. A partir daí, a gestão assume caráter mais científico, focada no crescimento de organizações.

 

Conceitos como planejamento, controle da qualidade, custos de produção e estandardização já eram conhecidos pelos gestores antes mesmo do início do século XX. Ou seja, os primeiros passos para a gestão profissional datam de muito tempo.

A gestão no início do Século XX

Na primeira metade do século XX, houve uma divisão entre os especialistas: o engenheiro norte-americano Frederick Taylor defendia a gestão científica, enquanto o economista alemão Max Weber dava ênfase aos aspectos administrativos.

Na gestão científica de Taylor, eram prioridades a medição e a especificação de atividades e resultados. Naquele momento, foram criados procedimentos para que as tarefas fossem realizadas em menos tempo e ao menor custo (as semelhanças com o que o Runrun.it oferece hoje à sua empresa não são mera consequência).

Já a gestão administrativa voltava-se para a organização em vez do desempenho no trabalho. Defendia-se uma organização hierárquica, com níveis de gestão superiores, médios e inferiores, e uma cadeia clara de controle e comando.

Os gestores de topo se encarregavam da estratégia e do planejamento, ao passo que os gestores de nível médio gerenciavam os supervisores (que eram os gestores de nível mais baixo). Estes, por sua vez, chefiavam os trabalhadores operacionais (que realmente executavam o trabalho propriamente dito).

 

No modelo de Weber, cada pessoa na organização seguia as ordens do seu superior direto. Durante esse período, alguns teóricos como Mary Parker Follet começavam a reconhecer a importância dos aspectos humanos na gestão. A gestão passava a se humanizar.

A gestão nos tempos atuais

Lá pelo meio do século XX, começou-se a perceber que nem todo o conhecimento da gestão vinha das cabeças que estavam no topo.

A partir daí, uma nova ideia começou a ganhar terreno: todas as pessoas da organização poderiam contribuir muito mais para o seu sucesso se usassem a sua inteligência.

Assim, a gestão foi se descentralizando. Além do fator inteligência, o crescente poder de sindicatos e as políticas promulgadas pelos governos democráticos, obrigaram os gestores de empresas a se preocupar mais com o lado humano da organização.

 

Os princípios da ciência comportamental passaram a ser aplicados na gestão. Formas de conectar colaboradores aos objetivos de uma empresa começaram a ser exploradas. A gestão de pessoas ganhou um peso fundamental no sucesso de qualquer negócio. Expressões como cultura organizacionalgerenciamento de conflitos e muitas outras se tornaram centrais para a administração. Afinal, hoje, pessoas são o principal ativo de uma organização.

Globalização, meio ambiente e propósito

Temos que mencionar, também, o fato de que organizações se tornaram imensamente mais complexas. E essa complexidade leva à proliferação de novas abordagens de gestão. Tal fato, unido a um ambiente de negócios muito competitivo e que permanece em rápida mutação, à globalização das companhias e às questões ambientais, faz com que novas formas de gestão surjam a todo momento.

 

Muitos desses aspectos se relacionam ao propósito de uma empresa, que hoje é um elemento essencial para qualquer organização que deseja ter e reter bons colaboradores. Este artigo tem tudo o que você quer saber sobre propósito.

>>Leitura recomendada: Tendências do capital humano

Tipos de gestão 

Agora que nós já abordamos os diversos conceitos e pensadores do universo da gestão, vamos apresentar para você alguns tipos de que podem ser aplicadas em conjunto para melhorar os resultados da sua empresa, aumentar a produtividade e a análise de dados e controle de informações. 

1. Gestão de pessoas 

Quando falamos em gestão de pessoas, temos que pensar em tudo que envolve os recursos humanos da empresa, ou seja, as habilidades, métodos, políticas, técnicas e práticas adotadas para entender  o comportamento e potencializar o desenvolvimento dos colaboradores na empresa. 

Segundo Chiavenato, um dos pais da administração, a gestão de pessoas se inicia no processo de recrutamento, passando pela seleção e treinamento e, posteriormente, por recompensas e avaliação de desempenho

Atualmente, uma das formas mais eficazes de realizar a gestão de pessoas é utilizando o People Analytics, que nada mais é do que a coleta e análise de dados para entender os comportamentos no ambiente de trabalho e obter informações como o que torna as pessoas eficientes, felizes, criativas, especialistas, líderes, seguidores, etc. 

>> Leitura recomendada: As tendências globais de gestão de pessoas, segundo Deloitte e McKinsey

2. Gestão de processos 

Na gestão de processos você vai cuidar daquilo que é fundamental para o funcionamento do seu negócio: o caminho que uma determinada atividade percorre dentro da empresa, ultrapassando as barreiras entre departamentos, até que ela seja finalizada.

Tudo isso porque é muito raro que as atividades sejam feitas apenas por um único colaborador e até mesmo por uma única equipe. Dessa forma, quando todos os processos são bem mapeados, fica fácil aprimorar a produtividade, tornar o fluxo de trabalho menos burocrático e entender as necessidades de cada equipe. 

3. Gestão do tempo 

Você pode controlar o tempo da sua equipe ou da empresa através de uma planilha de horas trabalhadas, ou de um timesheet automatizado (como o que nós temos disponíveis no Runrun.it).Com ele, você poderá controlar melhor a produtividade da sua equipe, entender qual tipo de demanda leva mais tempo para ser concluída, ou mesmo saber, por exemplo, quanto tempo foi gasto em reuniões. Além disso, isso vai melhorar a sua precificação de serviços e a análise de custos e a rentabilidade, já que vai ficar claro quanto aquele projeto custou para você e o quanto ele gerou de retorno. 

>> Leitura recomendada: Administração do tempo no trabalho: 10 técnicas testadas e aprovadas

4. Gestão de projetos 

Quando falamos em gestão de projetos, estamos pensando em tudo que gira em torno do desenvolvimento das atividades da empresa, desde os recursos alocados, o tempo, custos, estratégias, riscos, acompanhar o cronograma, medir a qualidade das entregas e cumprir prazos. 

Com uma gestão de projetos eficiente você vai conseguir controlar melhor os seus processos e o cronograma de projetos, minimizar os riscos, tomar decisões de forma mais ágil. 

>> Leitura recomendada: [Ebook] Um Salve à Organização: Gestão de Projetos em Agências

5. Gestão à vista 

A gestão à vista tem por princípio divulgar, de maneira clara e sucinta, a todos os funcionários e colaboradores e em um local de fácil visibilidade, informações importantes sobre o atual desempenho da empresa como um todo – e de cada área.

 

Dessa forma, a sua gestão fica mais transparente e, em um momento de crise, todos podem colaborar na tomada de decisão, oferecendo insights. Isso pode aumentar a produtividade da equipe, motivar mais os colaboradores, além de aprimorar a  atitude de dono

>> Leitura recomendada: Domine a arte da retenção de talentos (sem games e piscinas de bolinha)

Quem são as grandes autoridades sobre o que é gestão?

Como qualquer campo de conhecimento, a gestão tem seus estudiosos fundamentais. Então, para que você se aprofunde no tema, preparamos uma lista com autores e obras que você precisa conhecer:

A Riqueza das Nações, de Adam Smith – A obra mais famosa do pensador britânico. Embora seja um estudo sobre economia, o livro apresenta as bases da divisão do trabalho e do valor atribuído a ele.

A Quinta Disciplina, de Peter Senge – Considerado fundamental por muitos especialistas, o livro apresenta o conceito “da organização que aprende” — inovador nos anos 90 e ainda hoje em voga. Para o norte-americano Senge, o crescimento das empresas está mais relacionado à capacidade de aprender de seu pessoal do que com a estrutura material e tecnológica.

 

Empresas feitas para vencer, de Jim Collins – O autor mostra os princípios atemporais do processo de transição de boa empresa para a grande organização. Escrito a partir de uma pesquisa com companhias americanas, o livro apresenta os fatores que criam organizações duradouras de qualquer setor da economia. De acordo com este artigo da Exame, presidentes de grandes companhias consideram a obra como excelente.

FAQ sobre gestão

O que é gestão? 

A gestão é o ato de incentivar a participação, estimular a autonomia e a responsabilidade dos funcionários, focando no processo político administrativo de uma empresa. 

Gestão e administração são a mesma coisa?

Não. Enquanto a administração foca mais em atividades técnicas e racionais (como planejar, controlar e dirigir recursos humano e financeiros), a gestão carrega mais componente humanos, voltada para o político administrativo. 

Quando a gestão surgiu?

A humanidade já é gestora desde os primórdios. Porém, foi só no século XVIII, que Adam Smith e outros economistas começaram a estudar e aprofundar os conhecimentos nessa área. 

Quem são os grandes pensadores da gestão?

São eles: Adam Smith, Peter Senge e Jim Collins.

Quais são os tipos de gestão que existem?

Podemos enumerar 5: Gestão de pessoas, Gestão de processos, Gestão do tempo, Gestão de projetos e Gestão à vista. 

O que é gestão de pessoas?

A gestão de pessoas é tudo que diz respeito aos recursos humanos da empresa, ou seja, as habilidades, métodos, políticas, técnicas e as práticas adotadas.

O que é gestão de processos?

Na gestão de processos, você vai estruturar o seu fluxo de trabalho, ou seja, o caminho que uma determinada atividade percorre dentro da empresa, ultrapassando as barreiras entre departamentos, até que ela seja finalizada.

O que é gestão do tempo? 

A gestão do tempo é medir, através de um timesheet, que pode ser automatizado ou não, quantas horas são investidas pelas equipes por demanda, projeto ou cliente na sua empresa. 

O que é gestão de projetos?

A gestão de projetos gira em torno do desenvolvimento das atividades da empresa, desde os recursos alocados, o tempo, custos, estratégias, riscos, acompanhar o cronograma, medir a qualidade das entregas e cumprir prazos. 

O que é gestão à vista? 

A gestão à vista tem por princípio divulgar, de maneira clara e em um lugar de fácil acesso para todos os colaboradores dados e informações relevantes para a empresa.

 

Uma ferramenta para todas as gestões

Agora que você está bem informado sobre o que é gestão, está na hora de colocar a teoria em prática! E, para isso, nada melhor do que praticar uma gestão inovadora! Com o Runrun.it,, você vai conseguir gerenciar os fluxos e processos da sua empresa, possibilitando a organização de demandas, tornando a relação com a sua equipe mais transparente. Faça agora mesmo o teste grátis: http://runrun.it.

o-que-e-gestao

2 thoughts on “O que é gestão? Tudo o que você sempre quis saber, mas nunca teve coragem de perguntar

  1. Senhores!
    Parabéns à Vossa equipa que soube bem definir a gestão sucintamente ao longo das épocas através de vários pensadores. Por outro lado agradeço a evolução da definição desta ciência e sobretudo o esclarecimento pela diferença desta com a administração.

    Com respeito e mais uma vez sinceros agradecimentos.
    Osvaldo Zink

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>