Share of voice: como a sua empresa se posiciona no mercado?

Share of voice: como a sua empresa se posiciona no mercado?

O share of voice (ou SOV) é uma métrica que pode ser utilizada no marketing, especialmente na área de branding. Como o próprio nome diz, essa métrica corresponde à parcela que a “voz” da sua marca ocupa no nicho do seu negócio, quando comparamos os resultados com os concorrentes. Assim, você consegue compreender qual a sua amplitude no mercado, se a sua comunicação está, de fato, chegando no público desejado e entender também quais serão os seus próximos objetivos, para ampliar o seu market share. 

Em períodos de crise, essa métrica adquire uma maior relevância, justamente porque muitos investimentos em marketing acabam sendo cortados e as empresas precisam desenhar estratégias mais certeiras, escolhendo quais são os canais que receberão mais atenção. 

Pensado no cenário em que estamos vivendo, você sabe como pode trabalhar o SOV na sua marca?  Para saber mais, acompanhe esse post: 

 

Como calcular o Share of Voice? 

Como nós já mencionamos acima, o Share of Voice (SOV) é uma forma de entender qual fatia de mercado a sua marca ocupa em relação aos concorrentes. Para fazer esse análise você pode levar em consideração os bons e velhos dados do Google Analytics (ou outra ferramenta de sua preferência) para cruzar informações como posicionamento de palavras chaves e posicionamento de busca, tráfego em suas páginas ou no site, visibilidade, cliques e conversões, ou até mesmo o valor investido em mídia, por exemplo. 

Exemplo: 

Se você investiu 5 milhões em mídia e total do mercado investiu 100 milhões, a sua taxa de SOV é de 5%. Esse número é bom ou ruim? Depende! Se você possui apenas 5 concorrentes esse número é muito baixo, porém se estamos falando de 2 mil concorrentes, esse percentual pode ser um bom resultado.  

Você pode combinar outras informações, como as já mencionadas acima, sempre fazendo o comparativo com o mercado que você atua. Assim, esse cálculo vai culminar na sua porcentagem de SOV. 

Além disso, é importante destacar três itens:

  1. 1. O Share of Voice e o Share of Market (a fatia do mercado que você ocupa), são diretamente proporcionais ao retorno financeiro que a sua marca terá; 
  2. 2. O retorno financeiro dificilmente vai acontecer no curto prazo, porém isso não significa que ele não será relevante no futuro, apenas que você precisa desenhar estratégias de curto, médio e longo prazo para o seu negócio 
  3. 3. O SOV pode ajudar a determinar quais são os objetivos futuros que a organização deseja alcançar. 
 

Como o Share of voice pode ajudar em períodos de crise? 

A pandemia causada pelo novo coronavírus foi responsável por diversas mudanças no mundo, o que acabou ocasionando também novos hábitos de consumo, como o aumento de pedidos via delivery. No mundo no trabalho não poderia ser diferente, já que grande parte das empresas passaram a adotar o home office

Em artigo publicado pelo Think With Google, ficou comprovado que os brasileiros (se comparados com pessoas de outras nacionalidades) já estão mais acostumados com as oscilações do PIB – isso para o bem ou para o mal. Portanto, a incerteza já fazia parte do nosso modus operandi. 

O que, ninguém esperava é que a situação ficasse tão mais precária. Segundo pesquisa do MindMiners, 66% dos entrevistados acredita que a situação do Brasil é pior do que no resto do mundo. 

Nesse cenário, muitas coisas se tornaram instáveis, aumentando sentimentos de incerteza, ao desenvolver estratégias para o público, comunicação e gestão de marca. Tanto que, durante a crise, é comum que os investimentos em Marketing sejam cortados ou pelo menos suspensos até que o planejamento seja ajustado. 

Um estudo realizado após a crise global de 2008, causada pela quebra dos bancos americanos, por conta do setor imobiliário, mostrou que marcas que continuaram seus investimentos em Share of Voice durante a crise se recuperaram cerca de 3 vezes mais rápido, passados 2 anos do momento crítico. 

Através do SOV você vai conseguir entender qual a sua visibilidade ou popularidade no mercado, onde a sua voz é predominante. Além disso, também será possível entender a jornada de compra do seus clientes: em que momento eles te procuram, para qual situação, seus concorrentes e o papel da internet nesse período. Ter essa jornada e os principais pontos de contato mapeados vão guiar o seu planejamento e também os investimentos, evitando que você aplique dinheiro e também esforço do time em ações que não trarão os resultados esperados. 

>> Leitura recomendada: Como investir em marketing na crise

Resiliência de marca e surgimento de novas oportunidades 

Em momento de crise a resiliência no trabalho entra em ação e se torna muito importante para o planejamento de comunicação das marcas. A resiliência é um termo aplicado na física para descrever objetos que sofrem pressão e são capazes de retornar ao seu estado original, sem avarias.   

Na história, momentos de ruptura como esse que estamos vivendo atualmente são responsáveis por grandes mudanças de hábito e de rotina. Como vivemos em uma era cada vez mais acelerada pela tecnologia, não podemos medir quanto tempo essas mudanças vão durar, porém já podemos sentir que ela já começaram – mesmo que a gente não tivesse o intuito. 

Dessa forma, essas mudanças provocadas pela nova rotina de isolamento social, criou uma janela de oportunidades, a curto, médio e longo prazo. E claro, quando falamos de oportunidade estamos falando de novas formas ou maneiras mais eficientes de atender uma nova necessidade e não de oportunismo. 

Justamente por conta dessas mudanças, o Share of voice se tornou muito relevante para o posicionamento da sua marca do mercado, em frente aos seus concorrentes, já que ela representa a parte no nicho no qual a sua “voz” é dominante. 

Como encontrar a sua voz

Agora que nós sabemos que vale a pena manter os investimentos em SOV, é importante alinhar a mensagem da sua marca ao momento atual. Afinal, é a “voz” que vai fazer a diferença no futuro. 

Segundo pesquisa da MindMiners, citada acima, 38% dos entrevistados acredita que as empresas precisam proteger seus funcionários e colaboradores e 27% acha que as marcas precisam também estar comprometidas em conscientizar a população sobre medidas de combate ao coronavírus. 

Por isso, é importante entender como o seu público absorve a sua voz e também se a sua mensagem é sensível ao momento atual e também de forma transparente. 

Além de considerar o contexto político social no qual você está se comunicando é importante entender que o tom de voz da sua marca transparece a missão, visão e valores da sua empresa. Dessa forma, você demonstra tudo aquilo que acredita e procura estabelecer conexões com o público alvo desejado para construir a sua autoridade no assunto para que você se torne a primeira resposta para a solução de um problema do seu possível cliente, porque já existe uma relação de confiança pré estabelecida. 

Para construir a sua voz você vai precisar: 

  1. 1. Criar uma persona: nada mais é do que criar uma pessoa com gostos, estilos, preferências e características que correspondem ao seu público alvo; 
  2. 2. Definir o seu estilo: se o tom é mais sério, divertido, informativo, jovial, minimalista, e etc, mas não se esqueça de que é necessário ser flexível para que a sua comunicação se encaixe em diversas plataformas (blogs, vídeos, redes sociais e etc). 
  3. 3. Storytelling: criar uma narrativa para a marca já é um conceito difundido no mundo do Marketing. Mas é importante que essa narrativa se sustente e que ela seja verdadeira, histórias que não se sustentam costumam deixar o público desconfiados; 
  4. 4. Estratégia: nesse momento os seus objetivos são claros, agora você precisa começar a montar as estratégias, definindo quais serão seus principais canais de atuação, a plataforma que favorece a conversão e onde você acha que é mais seguro apostar para crescer. 
 

>> Leitura recomendada: Do planejamento à entrega de projeto: dicas para uma gestão bem-sucedida

Planejamento e gestão de marca

Planejamento e gestão andam juntos quando o assunto é estratégia de marketing. Como falamos nesse artigo, além de criar um conceito e partir para a produção o primeiro passo é definir o plano a ser seguido. Do contrário, por mais que você se esforce, vai acabar colhendo resultados sem saber se foi sorte ou teste. 

Nesse momento, os gestores precisam ter claro quais são as prioridades e as expectativas da empresa. Em períodos de crise é comum que muitas coisas comecem a pipocar e que a equipe se sinta sem direcionamento. Por isso, identifique a maior dor, aquela que será fundamental para o funcionamento da empresa e comunique isso de forma clara para o time. 

Com as prioridades definidas, fica mais fácil montar o planejamento, que seja para o próximo mês ou no máximo para os três próximos meses, mas por que isso? Como as mudanças são muito rápidas, se você se propor a fazer um plano para 6 meses, vai acabar gastando muito tempo e vai acabar tendo que refazer e ajustar muitos itens, então vale mais a planejar um período maior, porém com mais precisão. 

Se você estiver trabalhando em um cenário remoto, boa comunicação e transparência serão a chave para manter o bom relacionamento com o time. Isso porque o gestor é o principal elo entre a empresa e equipe e você precisa manter todos alinhados. 

Para fazer uma gestão eficiente você pode contar com uma plataforma completa de gestão: o Runrun.it! Assim, você e sua equipe estarão na mesma página, registrar todas as tarefas e informações importantes, se comunicar com o time, definir prioridades e urgências, além de obter dados e relatórios gerenciais para avaliar a produtividade e alocação de tempo dos projetos. No Quadros, será possível ter a “visão do todo” e também determinar o seu fluxo de trabalho, o que vai te ajudar a executar suas estratégias com eficiência. Crie sua conta gratuitamente: https://runrun.it

share of voice

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>