APIs: o que são e como podem gerar valor para a sua empresa

APIs: o que são e como podem gerar valor para a sua empresa

No artigo sobre a metodologia ágil, nós comentamos sobre como a prática nasceu na indústria de software e vem se espalhando por outros segmentos. Com as Application Programming Interfaces (APIs), ocorre um movimento parecido: antes fortemente limitados aos domínios de empresas de desenvolvimento e de TI, hoje já se tornaram uma importante engrenagem para o crescimento dos negócios em outras áreas também. Se você não as conhece, pode estar perdendo a chance de cortar custos e aumentar a produtividade. E agora vai descobrir o porquê.

O que são (Application Programming Interfaces) APIs?

São as Application Programming Interfaces, ou Interfaces de Programação de Aplicativos, em português. Ou seja, um conjunto de rotinas e padrões de programação para acesso a um aplicativo de software ou plataforma baseado na web.

Empresas de software criam APIs para que outros criadores desenvolvam produtos associados aos seus serviços. De acordo com este artigo do Canal Tech, muitas organizações disponibilizam seus códigos e instruções para serem usados em outros sites da maneira mais conveniente para seus usuários.

Um ótimo exemplo de API é o Google Maps: graças ao seu código original, muitos outros sites e aplicações utilizam os dados gerados, adaptando esse código da melhor forma para utilizar os serviços.

APIs para além da indústria de softwares

Ainda que seja um recurso essencialmente técnico, já há, como dissemos, empresas em outros segmentos que vêm adotando as APIs. E o vêm fazendo para criar novos produtos e canais, além de aprimorar a eficiência operacional.

A indústria automotiva é um exemplo disso. De acordo com esta matéria da McKinsey as APIs vêm sendo usadas para incrementar a eficiência de dados, alavancar estatísticas e para embutir alertas em tempo real nos paineis de controle de veículos.

Já algumas redes varejistas estão usando APIs para montar plataformas multi-marcas, monitorar inventários e ajudar os consumidores a encontrar lojas. Bancos e instituições financeiras, por suas vezes, vêm usando APIs para, entre outras funções, ajudar seus clientes a integrar dados bancários a softwares de contabilidade e de investimento, além de providenciar acesso interno mais rápido às informações das contas.

Uma oportunidade de quase 1 trilhão de dólares

De acordo com o mesmo texto da McKinsey, o valor em jogo é tremendo. Um estudo da empresa verificou que cerca de 1 trilhão de dólares de todo o lucro gerado globalmente poderá ser disputado por empresas que redistribuem suas receitas entre setores dentro de um ecossistema.

Isso faz com que as APIs, que exercem um papel crucial na conexão entre organizações e tecnologias nos ecossistemas, um fator de destaque fundamental na “batalha” por parte dessa imensa fatia.

Assim sendo, o desenvolvimento de APIs deve crescer vertiginosamente, também. A McKinsey estima que o número de interfaces vai triplicar pelos próximos doze meses. Os objetivos serão variados: de capacitar um uso mais amplo de carteiras de investimento digitais, até permitir que a computação cognitiva entregue operações mais sofisticadas (para saber mais a respeito de IA, leia nosso artigo sobre inovação na gestão).

Dicas para desenvolver uma estratégia eficaz de API

Conforme o que já vem sendo observado, empresas bem-sucedidas no desenvolvimento de APIs costumam seguir as seguintes práticas:

1. Identifique e priorize o valor

Você viu os números: APIs podem gerar quantidades extraordinárias de valor, mas sua empresa deve entender onde esse valor deve ser aplicado. Como líder, você precisa analisar onde a geração de valor pode ser inibida ou estimulada, e então mensurar o potencial em termos de receita, customer experience e produtividade.

Nesse sentido, analisar as jornadas de seus clientes costuma ser a melhor forma de se identificar oportunidades de API. Por exemplo: um banco reuniu profissionais de negócio e de tecnologia em um time e pediu para que identificassem como as APIs poderiam ajudar a resolver uma série de dores enfrentadas pelos clientes.

O grupo, então, encontrou oportunidades de desenvolver APIs que permitiram que os usuários acessassem as informações de que precisavam com mais rapidez, cortando formulários e outras etapas. Foi um importante salto qualitativo na experiência dos consumidores.

2. Gerencie a monetização bem de perto

Com uma visão clara sobre onde a API vai gerar valor, você precisa focar no que precisa desenvolver para capturar esse valor. Muitas empresas pegam atalhos, o que pode comprometer toda a estratégia.

Determinar quanto e como cobrar, por exemplo, exige entender o quanto valem os dados subjacentes que serão acessados; o quanto vale o serviço. É preciso também saber o quanto desenvolvedores e usuários estão dispostos a pagar para acessá-los. Essas respostas, combinadas com a estratégia macro da sua organização, devem fornecer as soluções de monetização mais adequadas a serem adotadas com diferentes parceiros.

Assim, as opções mais tradicionais são a “pague pelo uso” e a “freemium,” usada quando é estrategicamente válido escalar o alcance de um produto ou de uma marca.

3. Crie um modelo centralizado de governança

Para que você desenvolva e consuma APIs com eficiência, será também necessário uma “remodelagem” significativa do negócio. Você precisará repensar a relação com parceiros, além de buscar um novo caminho para combinar negócios e tecnologia, de modo que trabalhem juntos. Mas o grande desafio, sem dúvida, diz respeito à privacidade dos dados e à segurança da informação.

Por isso é tão importante estabelecer um modelo central, como um Centro de Excelência (CoE, em inglês) para APIs. Com isso, você conseguirá ter o panorama geral, monitorando a criação e o desenvolvimento das interfaces em toda a organização.

Neste ponto, ferramentas de gestão como KPIs dashboards podem ser extremamente úteis. Pois elas ajudam o CoE a gerenciar todos os APIs de seu catálogo para evitar duplicação, possibilitar o reuso e fornecer assistência aos desenvolvedores que precisarem.

>> Leitura recomendada: Governança de dados: organize esse processo crítico para a sua empresa

 

Uma ferramenta para aperfeiçoar sua gestão de projetos de TI

Quanto mais controladas e otimizadas forem as suas tarefas internas, mais tempo sobrará para você dedicar ao desenvolvimento de APIs. Por isso, uma ferramenta de gestão como o Runrun.it pode ser de enorme auxílio.

Na verdade, o Runrun.it pode te ajudar em praticamente todas as etapas de uma operação, já que permite que você formalize a comunicação, controle o desempenho de seus colaboradores e mensure o tempo e os recursos investidos nos projetos. Em suma, o braço direito do gerente de projetos de TI. Experimente de graça e comprove: http://runrun.it

Explore a API do Runrun.it

Deseja integrar o Runrun.it com seu sistema interno de gestão? O nosso software permite ser integrado com diversos sistemas por meio de API (Interface de Programação de Aplicações, do inglês Application Programming Interface). Essa aplicação permite que nossos clientes consigam utilizar os recursos de gestão de tarefas, tempo e talento do software em outros sistemas, como seus ERPs (Enterprise Resource Planning), CRMs (Customer Relationship Management) e BPMSs (Business Process Management Suite/System). Saiba mais neste post.

Artigos que você também vai querer ler:

Gif_Signup-1-1-3

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>