Mais produtividade e colaboração entre equipes: conheça os squads

Mais produtividade e colaboração entre equipes: conheça os squads

A combinação de profissionais com diferentes habilidades somando força em favor de um objetivo único não é algo inédito no mercado de trabalho. A novidade em relação às equipes multidisciplinares é um novo termo que ganhou força nos últimos anos: os squads. Essa tendência, que começou a ser utilizada com frequência nas startups, passou a ser vista com interesse por outros setores a partir da compreensão dos benefícios que o modelo agrega: mais produtividade e autonomia. 

Essa união de talentos pode ser encarada como uma medida temporária para o desenvolvimento de projetos desafiadores, mas na verdade é um método de trabalho em equipe que veio para incentivar a colaboração, o compartilhamento de experiências, a motivação em prol de um ideal e claro, promover a entrega de soluções com precisão e agilidade. 

Para entender a essência dos squads, preparamos um artigo completo para você, mostrando como eles surgiram, quais são as características que tornam a metodologia única e suas vantagens.  

 

O que são os squads? 

Nativa da língua inglesa, a palavra squad pode ser traduzida como esquadrão ou pelotão, uma referência ao contexto militar, que diz respeito a um grupo de soldados com diferentes funções, que são encarregados de cumprir uma determinada missão. O squad também pode ser comparado a um time esportivo, onde cada pessoa desempenha uma posição específica de suma importância para o resultado final.  

Esse modelo de equipe é bastante utilizado nos frameworks da metodologia ágil, que preza pela criação de grupos enxutos, em média com 8 integrantes, unidos para desempenhar um único projeto. Portanto, é comum encontrar squads compostos por profissionais de marketing, de vendas, de programação e da área financeira trabalhando juntos, por exemplo.  É importante salientar que os squads não são especializados em determinada área, mas são multidisciplinares e agem em direção a solucionar as necessidades que aparecem na gestão de projetos

A configuração dos squads como conhecemos hoje foi popularizada pelo Spotify, famoso  serviço de streaming de músicas e podcasts. Em 2014, a companhia sueca compartilhou um vídeo que viralizou na internet, mostrando como era a sua cultura de trabalho. A partir desse momento, o modelo de gestão passou a ser uma referência. Confira: 

Originalmente, o Spotify utilizava o método scrum para guiar suas atividades, mas com o passar dos anos, notou-se que os preceitos se perderam pelo caminho. Foi então que a empresa fez a transição para os squads, em que a autonomia foi a palavra de ordem. Para ter essa capacidade de autogerenciamento, os times destinavam as suas atenções a objetivos bem detalhados, desde projetos internos cotidianos até as metas a longo prazo.

Incorporados por outros segmentos da área tecnológica, industrial e por agências de comunicação, os squads estruturam seus processos em três perguntas: 

  • O que precisamos construir para cumprir nosso objetivo? 
  • Como vamos construir esse projeto? 
  • Como trabalhar juntos? 
 

Com as respostas definidas, as ações podem ser colocadas em prática, dando sequência ao fluxo de trabalho. Assim como nas sprints, são programadas reuniões diárias de alinhamento e retrospectivas, que avaliam os acertos e os ajustes que precisam ser feitos em uma próxima etapa. 

A utilização do espaço também é algo característico dos squads. Nos escritórios, eles normalmente são agrupados em um mesmo ambiente, para que a troca de informações seja mais dinâmica e natural. Os grupos também contam com uma área voltada para as reuniões de briefing e planejamento e salas mais reservadas, destinadas para encontros mais privativos ou para os colaboradores entrarem em um momento de pura concentração

Esse modelo é totalmente adaptável ao trabalho remoto, utilizando softwares de gestão de trabalho para distribuir as equipes, plataformas de reuniões virtuais para a interação entre os membros do squad e criando salas exclusivas para a discussão de projetos específicos. 

>> Leitura recomendada: Guia da gestão de equipes no Home Office

Como montar um squad na sua empresa 

Antes de adotar os squads em sua empresa, é preciso avaliar se a organização está pronta para essa transformação. Por mais que o modelo adicione vários ganhos relativos à produtividade e diversificação da equipe, isso não significa que sua implantação possa ser feita como uma receita pronta, pois é necessário conciliar o método com a cultura organizacional

Existem diferentes tipos de companhias, desde aquelas que preferem o modo tradicional de administrar as atividades até aquelas que já aderiram à gestão ágil. Mais que o aspecto operacional, é importante considerar o perfil dos colaboradores, pois a criação de uma equipe por critérios aleatórios pode ir no sentido contrário ao planejado pelos gestores. Portanto, é importante realizar um processo de aprendizagem e compreensão do modelo proposto, para que a transição ocorra de forma mais natural possível. 

>> Leitura recomendada: Competências que são um diferencial para o profissional

Se a sua empresa está pronta para essa mudança, é fundamental que alguns preceitos básicos dos squads sejam mantidos, como o alinhamento e a comunicação entre as equipes formadas. A seguir, vamos contextualizar as nomenclaturas mais frequentes que estão presentes nessa dinâmica de trabalho. 

Product Owner ou Coordenador 

Por valorizar a autonomia, foi criada a ideia que os squads são formados sem uma hierarquia. Na verdade, o método conta sim com gestores, mas que cumprem o papel de facilitadores. Esses líderes, que também podem ser chamados de Product Owners, são os responsáveis pela composição dos squads, selecionando os talentos de acordo com as áreas de atuação, bem como definem as prioridades do projeto que será desenvolvido. 

Ao mesmo tempo que promovem a livre criação dos times multidisciplinares, eles podem ser consultados em qualquer fase de execução, atuando como mentores e aconselhando o squad acerca das melhores práticas para alcançar o objetivo final. 

Chapters (Seções) 

A partir do momento que o modelo de squads é aplicado, entendemos que uma empresa irá contar com vários desses grupos, cada um deles reunido em torno de um projeto exclusivo. Logo, os profissionais que antes trabalhavam em um mesmo departamento, agora estão separados por squads únicos.

Conforme os projetos avançam, é necessária a troca de informações e experiências em comum. Essa reunião é feita em grupos de colaboradores da mesma área de conhecimento, que são os chapters. Representando a ideia de departamentos, eles se ajudam mutuamente para encontrar soluções que possam ser aplicadas em seus trabalhos, mesmo que eles sejam distintos. 

Isso promove um alinhamento entre os departamentos. Ou seja, todos os profissionais da equipe de marketing, mesmo estando em squads diferentes, estão ajustados em uma mesma linha de comportamento e conversam entre si para estabelecer procedimentos habituais que vão facilitar a continuidade dos trabalhos quando dois squads convergem em torno de um propósito comum. 

>> Leitura recomendada: Conheça o Marketing 5.0 

Tribes (Tribos) 

Quando dois squads possuem muitas características similares, eles podem se juntar e formar uma tribo. Dentro deste contexto, as tribos trabalham com a ideia de proximidade, para que a comunicação seja fluida e a colaboração entre as equipes criativas aconteça de maneira espontânea. 

Guilds (Guildas)

Na Europa Medieval, as guildas eram organizações montadas com o intuito de oferecer assistência e proteção aos seus integrantes. Dentro dos squads, a essência é parecida. Elas são compostas por colaboradores de qualquer área de formação, que possuem o interesse em assuntos relacionados e promovem o compartilhamento de habilidades, como em uma associação que contribui para o crescimento coletivo. 

Os benefícios de adotar a metodologia squad 

A utilização dos squads permite uma série de melhorias na gestão de trabalho da sua empresa. Nos tópicos abaixo, selecionamos algumas dessas vantagens para você não perder de vista: 

Autonomia 

A descentralização das atividades é geralmente o primeiro benefício mencionado quando o assunto são os squads. O formato e a qualificação dos colaboradores envolvidos nas equipes permite que os profissionais assumam o controle das ações e desenvolvam projetos e campanhas mais assertivas, justamente pelo alto grau de conhecimento que detém sobre a atividade. 

Essa autonomia na tomada de decisão estimula uma nova postura dos profissionais, que passam a ter mais confiança no cumprimento das tarefas e juntos desenvolvem a atitude de dono, ou seja, se sentem mais estimulados a ousar e levar para frente ideais que farão a empresa ser notada pelos seus diferenciais.

Agilidade 

Uma consequência natural do fortalecimento da independência é a agilidade na execução das fases das atividades. Com o squad, as pessoas estão sintonizadas em torno da realização de um mesmo objetivo, sendo assim, as propostas convergem em um mesmo sentido e as ideias são levadas à prática com mais rapidez.

Equipes mais produtivas 

A soma da autonomia para defender suas escolhas e a agilidade na entrega resulta em equipes mais concentradas e produtivas. Nos squads, todos os esforços estão voltados para um propósito. Como os ciclos são mais curtos, as habilidades e recursos também são aplicados com maior nível de eficiência, garantindo assim um maior número de processos concluídos em um menor período de tempo. 

Senso de colaboração 

Em uma estrutura convencional, muitas vezes há pouca interação entre os departamentos, fazendo que a comunicação seja evasiva, dificultando a sequência das atividades. Com os squads, a rotina é bem diferente. O contato entre pessoas com múltiplos conhecimentos converge no amadurecimento profissional e da inteligência coletiva do time, fortalecendo ainda mais o espírito de equipe. 

>> Leitura recomendada: Habilidades essenciais para a gestão de equipes

Efetivando o squad na sua empresa 

Como mostramos, adotar a metodologia dos squad no ambiente de trabalho proporciona diversos benefícios, contudo é preciso ter a sensibilidade de preparar o terreno para que essa mudança aconteça de maneira gradativa e orgânica, respeitando a capacidade dos profissionais que compõem o quadro de colaboradores da sua empresa. 

Para essa transição, os frameworks da metodologia ágil e os softwares de gestão de projetos podem se transformar em grandes aliados. Por exemplo, para organizar a distribuição dos squads e delegar os objetivos com clareza, você pode utilizar o kanban, um sistema visual e interativo que facilita a comunicação entre os colaboradores e o acompanhamento das etapas produtivas. 

Por sua vez, as plataformas de gestão de tarefas agregam múltiplas funcionalidades que oferecem agilidade e praticidade. Softwares como o Runrun.it permitem a elaboração de cronogramas de projetos flexíveis, que além de possibilitar a visualização dos processos em uma página, estima o tempo de cada atividade e possibilitar uma alocação precisa dos recursos necessários, além de uma distribuição de tarefas justa, conforme a capacidade de cada colaborador. 

Organize o seu squad com o Runrun.it

Reconhecido por sua excelente usabilidade pela G2 Crowd, empresa norte-americana de avaliação de ferramentas digitais, o Runrun.it é o software ideal para organizar as atribuições do seu squad. Na plataforma, você pode criar e gerenciar os projetos em uma única tela, assim como atribuir funções em torno de um único objetivo, formando squads específicos. 

Além disso, a ferramenta conta com dois modelos de visualização do fluxo de trabalho, kanban e gantt, o que facilita o acompanhamento das entregas realizadas e as tomadas de decisão na hora de gerenciar a sua equipe. Crie a sua conta agora mesmo e faça o teste grátis:  http://runrun.it

squads” width=

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>